Goleada atípica, com futebol perfeito, também atípico neste ano

Amigo são-paulino, leitor do Tricolornaweb, não há um torcedor do Tricolor, hoje, que não esteja soltando rojões, comemorando, vibrando. E tem que comemorar muito. Afinal, ganhar de 4 a0 do Corinthians, deixá-lo fora do grupo que dá acesso à Libertadores, e selar definitivamente nosso afastamento do Z4, ao qual nunca pertencemos, e tudo isso jogando um futebol primoroso, lembrando os velhos tempos do grande São Paulo, não é para qualquer um.

Mas pera lá. Vamos com calma. Comemorar muito o que ocorreu neste sábado à noite, sim. Achar que esse time pode render muito no ano que vem, já que 2016 acabou, não. Isso tem uma distância enorme. Pés no chão e olho na realidade. Temos uma espinha dorsal? Claro que temos. Temos um jogador que desequilibra um jogo, como Cueva? Claro que temos. Mas temos muito o que fazer para que em 2017 não cheguemos a cinco rodadas do final do Brasileiro fazendo contas para se livrar do Z4.

O resultado, portanto, foi totalmente atípico. Ninguém, nem o são-paulino mais fanático e cego da nossa realidade, arriscaria esse palpite. Poderia falar, sim, como eu disse no ar, na Jovem Pan, que o São Paulo ganharia o jogo. Longe de um grande favoritismo, mas porque o time do Corinthians é tão ruim ou pior que o nosso. Não fosse o período de Tite lá, hoje estaria brigando para não cair.

Ricardo Gomes colocou em campo o time que eu imaginava, aquele que, na minha visão, é o melhor que temos. O time jogou com vontade, para a frente, marcando a saída de bola, sufocando o Corinthians. O gol logo a 16 minutos foi fundamental para que o esquema funcionasse. A marcação muito forte, defesa bem postada, impediu o Corinthians de criar qualquer chance de gol. Tanto que o primeiro chute foi dado aos 34 minutos, de fora da área, e no final do primeiro tempo uma bola que cruzou toda a área e levou certo perigo.

No segundo tempo o São Paulo não fugiu do jogo, não recuou. Continuou com marcação forte e com contra-ataques precisos. Chegou aos 4 a 0 num verdadeiro baile em pleno Morumbi. Não fosse a atitude covarde do árbitro, ao menos dois jogadores do Corinthians deveriam ser expulsos.

Um parágrafo para falar de Cueva. Que jogador. Desde que chegou vem sendo citado como o principal do time. E neste sábado ele verdadeiramente desequilibrou. Marcou um golaço de pênalti, com cavadinha, e deu assistência para os outros três gols. Sem contar as jogadas de efeito e a luta em campo. Um espetáculo à parte.

Fica para nós a certeza que time grande cai. Time gigante não cai. Pés n o chão para terminarmos bem o  Brasileiro. Que a vitória deste sábado dê a moral e a confiança necessárias ao elenco. Mas que não faça o torcedor sonhar com algo que, com o que temos, me parece muito irreal.

4 comentários em “Goleada atípica, com futebol perfeito, também atípico neste ano

  1. Fico impressionado como as pessoas julgam a coisa toda só pelo último jogo.
    Até rodada anterior, eramos sério candidato ao rebaixamento, o pior time da história tricolor, porque perdemos para o lanterna.
    Agora ganhamos bem um clássico e já estão falando em libertadores???

    Ahh vá

  2. O time dos travecos é muito ruim!!!!
    Osvaldo de oliveira afunda qq time….
    Estadio com $$$$ publico caindo literalmente.
    Lava jato vai lavar cara de areia mijada.Este pelo menos nao vai precisar usar uniforme do presidio, basta colocar a camisa do timinho…..rsrsrsrsrsrs

  3. Curto e grosso :
    O ex- diretor de futebol Luis Cunha foi
    monstruosamente CONTRA
    a contratação do Cueva………
    Gustavo de Oliveira bancou………

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.