Golaço de Rogério, o “novo M1TO” e estamos na Libertadores

Amigo são-paulino, leitor do Tricolornaweb, o São Paulo venceu o Goiás por 1 a 0, golaço de Rogério, no Serra Dourada, e está na Libertadores.

Escrevendo assim, para quem lê, parece que foi uma vitória sensacional, de um time aguerrido, com raça, disputando minuto a minuto a posse de bola até chegar ao gol que premiou a atuação do Tricolor. Quem dera!

Mas também não vou dizer que foi uma vergonha. O time entrou com o regulamento embaixo do braço, certamente orientado parte por Milton Cruz, parte pelos jogadores mais experientes que estavam em campo. Apesar das críticas vorazes do Casagrande, comentando o jogo na Globo, foi a opção tática. Tanto que, de surpresa, MC tirou Pato e escalou Carlinhos. Com isso povoou mais o meio de campo, deixando Ganso como centro-avante, já que ele não tem recomposição rápida para marcação e fez Kardec voltar. Michel Bastos já faz essa função rotineiramente.

Foi, portanto, um time muito defensivo, mas com requinte técnico. Afinal, há que se considerar que Ganso, Thiago Mendes, Carlinhos e Kardec, tinha potencial para segurar a bola. Por isso o jogo foi chato, patético, com o São Paulo dando a impressão que não queria nada, mas sabendo muito bem o que estava fazendo, pois não correu risco algum em todo o primeiro tempo.

No segundo, como era de se esperar, o Goiás subiu a marcação e dificultou a posse de bola são-paulina. Ganso passou a atuar mais no meio de campo e Kardec foi mais para a frente. Vendo a pressão goiana aumentar Milton Cru reforçou ainda mais o meio de campo e o sistema defensivo, colocando Wesley no lugar de Bruno, com Hudson indo para a direita e Lyanco no lugar de Thiago Mendes, que saiu machucado.

Incrível foi a prova que boa parte do esquema tático foi definido pelos próprios jogadores. Quando Milton ia colocar Rogerio no lugar de Kardec, Ganso fez sinal que não, Kardec também, indicaram a saída de Michel Bastos e isso se processou. E Rogério marcou o gol – um golaço – que carimbaria nosso passaporte para a Libertadores.

Torci muito, mas muito mesmo. Mas entendo que foi uma grande “sacanagem” essa classificação. Um time modorrento, lento, vagabundo, com quatro técnicos ao longo do ano e um presidente que renunciou. Claro que mostra a força que tem este clube, pois outro, numa crise destas, estaria sendo rebaixado. Mas é fato que por tudo isso não merecíamos a Libertadores. E já que estamos – graças a Deus – que pensemos como um time grande, como sempre fomos, e que 2016 chegue cheio de glórias.

8 comentários em “Golaço de Rogério, o “novo M1TO” e estamos na Libertadores

  1. Paulo, bom dia. Estou achando você muito condescendente com está diretoria incompetente….o Ataíde não tem a mínima condição de permanecer, além de tudo não tem palavra pois disse com todas as letras que se não fosse campeão sairia em dezembro. Leco , depois da humilhante derrota por 6 x 1 também disse para ” cobrá-lo em 15 dias” , já se passaram mais e nada foi feito…que lástima…

  2. Paulo Pontes boa noite.
    Se não fosse a irregularidade do time poderiamos ter chegado em 2º lugar.
    Pontos perdidos que tinha obrigação de ganhar.
    Morumbi São Paulo 1 X 1 Avai = 02 pontos
    Morumbi São Paulo 1 X 1 Corinthians = 02 pontos ( erro do arbitro)
    Morumbi São Paulo 0 X 3 Goias = 03 pontos
    Morumbi São Paulo 0 X 0 Chapecoense = 02 Pontos
    Morumbi São Paulo 1 X 1 Palmeiras = 02 pontos ( erro RC)
    Morumbi São Paulo 2 X 2 Vasco = 02 pontos
    Não fosse esses pontos perdidos em casa terminariamos o brasileiro com 75 pontos em 2º lugar.
    Se formos ver alguns jogos fora poderia ser melhor, e passando pela crise que passamos.

  3. cade os protestos em frente o CT do soberano ? a hora é agora de protesta e nao quando começa os campeonatos.

    cade as pessoas que estavam depois do 6×1?

    ninguém vai falar ou fazer nada ? vão viver 2016 como 2015

    obs protestos de forma pacificar e respeitosa.

    abraços a todos os soberanos

  4. cade os protestos em frente o CT do soberano ? a hora é agora de protesta e nao quando começa os campeonatos.

    cade as pessoas que estavam depois do 6×1?

    ninguém vai falar nada ?

    abraços a todos os soberanos

  5. Rogerio, esse sim e’ fabuloso,
    nao o outro popokkkkkkkkero
    que gracas a Dios foi embora,
    para meu alivio e de muitos,
    marren to, egoce ntrico, mascaraado,
    narcizisista e RUIM DE BOLA.
    Fabuloso de palhacadas.

  6. Caro Paulo, considero sua análise do jogo parcialmente correta. A leitura tática foi essa mesma, com a ideia de aumentar a posse da bola e dominar o meio. Osorio já havia montado o time de maneira semelhante. Não há nenhum problema em jogar pelo empate. Era aliás uma opção prudente na teoria, considerando a fraqueza do Goiás. Os problemas são dois. Primeiro, e menos grave, é que o time conseguiu pouquíssimas vezes retomar a posse de bola. Digo, roubar a bola e contra-atacar. Ou seja, se defendeu mal. Sorte o Goiás ser fraquíssimo. Segundo, e mais grave, é que o time entrou numa partida decisiva sem ânimo, sem tesão, sem raça. Como pode?! Fiquei perplexo em ver que Rogério Ceni e Leco estavam mais alegres que os jogadores ao final da partida. Que apatia doente! Ficou muito clara durante o jogo a diferença de disposição entre jogadores. Enquanto Kardec, Thiago e, sim, Lucão, estavam dando o sangue, Michel, Ganso, Bruno e Hudson corriam sem saber para onde e erravam lances simples. Michel e Ganso, lentos, matavam todos os contra-ataques, davam de calcanhar, perdiam a posse tolamente. Ambos tiraram o pé de dividida hoje, a TV mostrou. Uma vergonha. Hudson é o volante com pior noção de posicionamento e cobertura que eu já vi. Está sempre mal colocado. Dá agonia vê-lo tentando encontrar posição.
    Acho que o São Paulo precisa mudar o técnico, os jogadores e a mentalidade.
    O time fez pouco por merecer a classificação à Libertadores. Só está lá pelas vitórias que o esquema ofensivo do Osorio obteve e pelo baixo nível geral dos adversário.
    Já a torcida merece muito. Sofreu demais esse ano com esse clube em crise permanente.
    Entramos em 2016 conscientes de que só uma mudança ampla e profunda vai nos afastar de outro 2015.
    Meu pedido de Natal: que a diretoria pare de perguntar ao Milton Cruz quem contratar.
    Abraços e até a Libertadores!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.