Nova diretoria de Leco tem a feição de Roberto Natel

Amigo são-paulino, leitor do Tricolornaweb, depois de nove dias e muitas negociações nos bastidores da política do clube, Carlos Augusto de Barros e Silva anunciou a formação da diretoria que, na teoria, comandará o São Paulo até abril de 2017. Nas vice-presidências ele restituiu o cargo a Roberto Natel, que ocupou essa posição na gestão Carlos Miguel Aidar, manteve no Futebol Ataíde Gil Guerreiro – também remanescente de Aidar -, escalou José Manssur para a vice-presidência de Comunicação e Marketing, Carlos  Sadi para vice-presidência Social e de Esportes Amadores, Elias Albarello para a vice-presidência de Patrimônio e José Jacobson Neto para a vice-presidência Administrativa.

Antes de qualquer análise quero ratificar nossa posição de apoio à pacificação no clube, acima de qualquer coisa, e que para chegarmos a isso passamos, necessariamente, ao apoio a esta diretoria. É necessário um mínimo de tempo para mostrar ao que veio. Todavia, apoiar não significa elogiar o tempo todo, mas a vigilância constante do que estão fazendo com nosso clube. Mas me permito fazer a análise desta composição.

O que senti na nova diretoria é um domínio completo de Roberto Natel. Assim como a gestão Aidar teve em Antonio Donizette Gonçalves seu homem forte na condução política do clube, agora é Natel quem exercerá de fato sua condição de vice-presidente geral e dará as cartas. Quem sabe não esteja por trás disso aí um apoio para Leco se reeleger em 2017 e confirmar apoio a Natel para 2020. Só tenho medo que esse domínio monocrático prejudique a busca do melhor.

Não entendi a colocação de José Francisco Manssur na vice-presidência de Comunicação e Marketing. Ele é advogado bem sucedido e não tem, até onde eu sei, formação nessa área. Vou dar o tempo necessário para ele provar seu valor, mas tenho dúvidas nessa nomeação. O lado bom é que Vinicius Pinotti foi mantido na diretoria de Marketing e Bruno Caetano, que ocupou a diretoria de Comunicação na gestão Juvenal Juvêncio, foi reconduzido ao cargo. Pessoa da maior competência e seriedade.

Nas demais vices-presidências acho que tivemos uma evolução. Se não no contato com o público – o sócio e o torcedor -, ao menos na seriedade e compromisso com o São Paulo. Aqui estou querendo dizer os nomes de Ataíde Gil Guerreiro e Carlos Henrique Sadi.

Outros avanços estão centrados em algumas diretorias: na área jurídica saiu Leonardo Serafim dos Anjos e entrou Paulo Mutti, pessoa que foi exemplo na condução da Comissão Disciplinar do clube no tempo em que foi seu presidente; no Financeiro saiu Osvaldo Vieira de Abreu, responsável por conduzir o desastre financeiro das gestões JJ e Aidar e entra Adilson Alves Martins, profissional bem sucedido e com competência suficiente para ajudar a tirar o São Paulo do buraco onde se encontra; Manoel Moreira, na diretoria Social, José Moreira, na Administrativa e Fernando Bracalle, nos Esportes Amadores, foram mantidos das gestões anteriores, mas vinham fazendo grande trabalho e mereceram permanecer no cargo. Também gostei do nome de Roge Davi como Diretor Ouvidor. E aprovo Angelina Juvêncio, esposa de Juvenal Juvêncio, que foi reconduzida ao cargo de diretora de Assistência Social e que durante o mandato de seu marido fez um grande trabalho na área social.

Me surgem como surpresas – agradáveis, as nomeações de Tércio Molica, para a diretoria de Manutenção, e Rodrigo Gaspar, para Assessoria da Presidência. São oriundos da oposição e tiveram trabalho muito sério no combate a toda a quadrilha que se instalou no São Paulo nos últimos 18 meses.

Nada a acrescentar quanto a manutenção de Rubens Moreno na diretoria de Futebol – papel um tanto decorativo – e as demais diretorias, pois alguns eu não conheço e outros preciso ver como se comportam nos seus novos cargos. A lamentar apenas a indicação de  José Carlos Ferreira Alves para a função de Diretor Secretário Geral. Este foi o grande engavetador dos pedidos de apuração das denúncias contra a administração de Juvenal Juvêncio, principalmente as denúncias que fizemos – e vencemos na Justiça -, sobre as irregularidades do CT de Cotia. À época, ele presidia o Conselho Deliberativo do São Paulo.

Mas vou dar meu aval a apoio a todos que começam essa jornada de retomada de credibilidade do São Paulo. Com a participação de dois membros da oposição na diretoria, me parece que a pacificação está a caminho.

 

16 comentários em “Nova diretoria de Leco tem a feição de Roberto Natel

  1. A maioria dos diretores nomeados tem rabo preso desde o tempo do JJ, Mansur recebe uma fortuna do clube, Natel até agora não explicou o assunto gasolina, O Leco tem ai o assunto do Jorginho Paulista sem explicação, eu já falei aqui e vou repetir para ser Diretor de qualquer coisa no São Paulo tem que apresentar a declaração de imposto de renda antes de entrar e ter condições financeiras para se manter, nego quebrado não pode assumir cargo , ou vai trabalhar mal ou vai ter que receber alguma coisa no clube, como isto não é possível, não é cargo para nego quebrado e duro.

  2. Eu já falei vou repitir
    Quem elegeu
    Quem magoou
    Quem causou o grande estrago
    SÃO 160 vitalícios
    Estavam todos juntos e irão continuar
    Irão resolver a portas fechadas como sempre foi
    Quem estava fez quem entrou vai fazer também é ninguém entrega ninguém
    ESPERO QUE NÃO
    Quem viver verá PROFICIONALIZACAO JÁ iliminar os xupins

  3. Pacificação: deixar de cobrar a diretoria e falar dos vagabundos que ainda estão lá para tentar manter a pose de clube organizado e ético.

    Pacificação: Chutar para fora todos os Filhos de uma P. que de alguma forma se beneficiaram do clube e juntar os bons nomes para uma administração decente.

    Qual dos dois vamos ter?

  4. Apoiar a diretoria e a pacificação do clube é extremamente importante, agora, apoiar Ataíde é demais né… Este senhor não deveria sequer poder entrar no clube, quanto mais participar da diretoria. Mas vamos lá, mais uma vez o torcedor sendo feito de palhaço.
    Vai terminar 2016 e nem mais vão comentar sobre a tal gravação, vai acabar tudo em pizza, e a desculpa pra isto é que precisamos zelar pela imagem do clube, precisamos pacificar e bla bla bla, tudo desculpa pra fazer a você torcedor, de otário.
    Escrevam ae, vai terminar em coisa alguma todas as denuncias, não vai acontecer nada com ninguém, e é capaz de até o Aidar voltar a circular no SP. quem viver verá.

  5. Acho que essa administração começou muito mal com o contrato do Gustavo Oliveira, se aquilo realmente for verdadeiro, o que até duvido, é uma vergonha, pois não deve existir no mundo algo tão esdrúxulo como o gerente executivo de futebol ganhar comissão na venda dos jogadores, isso não existe em lugar nenhum, se fosse o Aidar cairia o mundo.

  6. Que bom, o nosso novo diretor financeiro é réu em uma ação do MP por fraudar e superfaturar licitação pública.
    Estamos em boas mãos…e a festa continua.
    Adeus sonho de profissionalização da gestão.
    Difícil acreditar que algo vai ser diferente.

  7. 2 pessoas da oposição não representam nada ou quase nada nessa diretoria. Nem são os mais representativos. Nesse sentido, não há nenhum movimento de pacificação política. Continua o domínio do grupo do JJ. Contra o qual a oposição lutou e obteve 40% dos vo5 dos associados.

  8. Desculpa discordar de você Paulo, mas esse Mansur não é o mesmo que ganhava 200 mil por mês do JJ? Não podia nem estar na diretoria. Até a mulher do JJ voltou? Que favor o Leco está devendo para o JJ? O Natel já explicou a denúncia dos postos de gasolina? O Leco já explicou o Jorginho Paulista? E outros que estavam na gestão Aidar não poderiam estar ai. Essa diretoria começa suja e mal lavada.

    • Concordo em gênero, número e grau..principalmente em relação a Mansur e Natel. Não tem cabimento os dois continuarem na diretoria. Fora o Ataíde, que pode ser honesto e bem intencionado (o que é obrigação).. Mas demonstrou em todos esses meses total incompetência para o cargo.

      • Concordo plenamente com os dois comentários.

        O clã Jumencio, o DESTRUIDOR do SPFC, está de volta. Agora eu queria saber do Sr. Abílio, por onde ele anda que não cobra mais a diretoria para fazer aquela auditoria que ele.disse que pagaria, ou será que era pressão dele junto com a mídia vendida pra tirar o VAidar e colocar de volta os ratos da “gestão” Jumencio Cachaça?

        Muito estranho, acho que continuaremos no caminho trilhado pelo Jumencio de detonação do clube, que um dia foi exemplo para os demais.
        A esperança é que o tempo se encarregue de levar esses velhos abutres e algo novo apareça pelos lados do Morumbi!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.