Conselho Deliberativo tem o dever de mostrar que ainda é Soberano

Amigo são-paulino, leitor do Tricolornaweb, o Conselho Deliberativo terá uma sessão neste noite que promete ser bastante acalorada. Mas os conselheiros têm obrigação de mostrar que nosso Conselho ainda é Soberano. E não podem se deixar levar por inclusões de última hora que visam mudar o foco.

O presidente do Conselho, Carlos Augusto Barros e Silva, tem tido um desempenho digno até este momento. Por mais que tenha merecido críticas ao longo dos últimos anos – aqui ninguém passa ileso -, Leco está tendo uma conduta irrepreensível, digna do nosso Conselho. Ele não aceitou passar para aprovação o contrato com a Far East na última reunião e criou uma comissão de conselheiros para receber e analisar o tal contrato.

Ocorre que o presidente Carlos Miguel Aidar desrespeitou esta comissão e não fez o encaminhamento do contrato. Resta saber qual a razão. E é isso o que espero que os conselheiros cobrem esta noite. Mormente depois da publicação que fizemos semana passada, mostrando que Douglas Schwartzmann, vice-presidente de Marketing e Comunicação do São Paulo, é representante, há 30 anos, da Zanetti, empresa que tem como endereço o mesmo logradouro da Far East, em Los Angeles, e que, por conseguinte, tem como dono a mesma pessoa,  Jack Banafsheha. Aliás, um contrato que foi assinado, entre outros, por ele, quando era diretor de Comunicação, e não pelo então diretor de Marketing, Rui Barbosa. E deixamos claro que, por mais que não seja ilegal, era – e é – imoral. E em nenhum momento fizemos qualquer ilação, mas sim, afirmação.

Abro um parágrafo aqui para lembrar o que tem marcado a administração de Carlos Miguel Aidar nestes pouco mais de 15 meses à frente do São Paulo: admitiu que havia um contrato com a própria namorada, Cinira Maturana. Ela ganharia 20% de comissão em negócios que fizesse com o clube. Pressionado pelos conselheiros, Cinira pediu desligamento do clube e Aidar afirmou que ela não ganhou nada, porque não fez qualquer negócio. Depois anunciou cheio de pompas o contrato com a Under Armour. E nele também havia comissão. Só que de “apenas” 15%, o que geraria o pagamento de R$ 18 milhões a Far East, empresa intermediadora. Ah! Numa reunião semana passada ele admitiu reduzir para R$ 15 milhões o pagamento. O mais incrível é que ele decide diminuir e a Far East Trading Global aceita passivamente. E outra: até agora não cobrou essa comissão, atrasada desde maio, quando  a Under Armour entrou oficialmente no São Paulo. Êta empresa boa para trabalhar essa aí; e, só para lembrar, desde agosto do ano passado não temos um patrocinador em nossa camisa. Que departamento de Marketing operante esse aí.

Fato que tem um projeto ambicioso, de criar um fundo de investimentos que arrecade até R$ 100 milhões para pagar dívidas imediatas, renegociar contratos futuros com base na nova legislação e equilibre as finanças do clube, tendo como pagamento aos investidores jovens talentos criados em Cotia. Discutível mas, a grosso modo, me parece interessante.

Voltando à reunião do Conselho Deliberativo, comparo nossa situação de hoje ao que vem acontecendo, por exemplo, com Eduardo Cunha, presidente da Câmara Federal. Foi denunciado de ter recebido US$ 5 milhões. Ao invés de explicar, aboliu o tema e ficou criticando a forma como foi feita a denúncia, tentando cancelar as provas por terem sido apresentadas em fôro inadequado, atirando farpas em quem teria patrocinado as investigações e a denúncia. Até agora o que vi nesse caso envolvendo a Far East foi isso. Reclamação de perseguição por interesses outros, mas nenhuma explicação do mérito do assunto.

A bola está com o Conselho Deliberativo. E o dia é hoje. Abílio Diniz, que até outro dia era um crítico ácido á gestão Aidar, foi contratado como gestor, ou CEO, ou dêem o nome que quiserem para seu cargo, e, convidado, irá ocupar alguns minutos da reunião apresentando seu projeto. Reputo como muito importante sua fala. Mas não deverá ser a manchete da reunião. Ou a decepção dos são-paulinos será muito grande com seus conselheiros. O Tricolornaweb vai acompanhar a reunião detalhadamente.

 

Em tempo: acabo de receber a informação que o presidente Carlos Miguel Aidar encaminhou ofício ao presidente do Conselho Deliberativo, Carlos Augusto Barros e Silva, comunicando que suspendeu temporariamente o contrato que previa pagamento de comissão de R$ 18 milhões pela intermediação do acordo com a Under Armour. No comunicado, o presidente são-paulino explica para Leco que retirou temporariamente o acordo com a Far East das obrigações do clube até que seja feita uma renegociação de valores. O objetivo, segundo o ofício, é permitir que o São Paulo arque com seus outros compromissos sem piorar a crise financeira que enfrenta.

Reforço minha tese: que empresa boa para trabalhar é esta Far East. O devedor – no caso o São Paulo – paga quando quiser, e quanto quiser e ela não fala nada. Vai ser inocente útil prá lá. Mas o Tricolornaweb continua esperando as explicações devidas, que não pode ser diluídas por manobras ilusionistas. Temos consciência de nosso papel e sabemos que nossa publicação pesou muito nessa decisão do presidente do clube.

 

 

12 comentários em “Conselho Deliberativo tem o dever de mostrar que ainda é Soberano

  1. PP
    P/ mim, a única coisa que o Aidar veio fazer foi tentar encaminhar algum negocio onde um dos seus asseclas recebesse comissão milionária. Para dividir hermanamente entre eles.
    Me lembra muito o nosso governo com seu propinoduto.
    Achei que ele ja fosse rico o suficiente para assumir a presidência sem pensar em enriquecimento.
    Mas fica a pergunta – será que ele eh o primeiro?
    Nessa terra onde canta o sabiá tem mais malandro do que a nossa vã filosofia pode imaginar………..

  2. ??? soberano ???
    hoje apenas mediocres e dependentes,
    nos igualamos ao resto que habita nossa terrinha.
    Assimilaram e bem assimilado, bem acessorados por todos os lados.
    ??? Quem acredita ??? E’ claro, sempre temos os que acreditam em papai noel.

  3. o Leco é tão “legal” q não aceita de forma alguma abrir os antigos contratos firmados na gestão do Juvenal.

    pq será né ? rsrs… tá fazendo um trabalho muito “digno” sim, de dar pena!

  4. Se o Aidar retirou da pauta o pagamento da comissão do Chinês fantasma que ia dividir com o o Vice dinossauro que assinou o contrato e outros……, assim o fez porque a pressão contraria é e vai ser muito grande, nós sãopaulinos independente de ser ou não alguma coisa no clube temos a obrigação de cobrar estes dirigentes incapazes para que esta comissão não seja para em valor nenhum.
    Outra coisa que tem que ser feita, todo diretos do SPFC, deveria apresentar sua declaração de bens antes de aceitar cargos, muitos ficam lá o dia inteiro a disposição do clube e pergunto quem paga suas contas, será que são milionários?
    Por isso que digo além de conhecer do assunto que vai ser diretor tem que ter sustentação financeira evitando que vá arranjar negociatas no clube .

  5. Que o SPFC passe a limpo tudo, tanto essas comissões, como contratos nebulosos e emprego de pessoas próximas demais de.alguns membros de diretoria.
    O fato que ambos os lados tem que se explicar e que se ponha tudo na mesa.

    Sobre o Abílio, acho que é a única coisa boa que pode acontecer, pelo menos de administração o cara entende, quem sabe ele use seu conhecimento junto com o amor ao clube para endireitar os rumos do SPFC, torço pra isso.

  6. Vamos por partes:

    1º – Como tenho dito e escrito desde o surgimento deste contrato com a empresa fantasma chinezinha.- no que depender dos Conselheiros de Oposição e de milhões de torcedores sãopaulinos

    a COMISSÃO SERÁ ZERO,

    que é a única alternativa a ser aceita, pelos motivos que já cansei de expor.

    2º – Se o tal FUNDO SALVADOR vier a ser aprovado, mesmo a FIFA proibindo a vinculação de jogadores a estes Fundos,

    a OPOSIÇÃO DO SPFC

    já começa contribuindo com no mínimo R$18.000.000,00 (dezoito milhões= a 18 milionários sãopaulinos), podendo chegar a uns R$30.000.000,00 ( trinta milhões= a 30 milionários sãopaulinos), que é o que

    a OPOSIÇÃO EVITOU QUE O CLUBE GASTE com a tal comissão.

  7. O Conselho Deliberativo tem a obrigação de investigar tanto o contrato dessa “comessão” de 15% para a “FarOeste”, quanto a “comessão” pela venda do Juninho Paulista, assinado depois da venda pelo Sr. Leco.

  8. Conforme afirmei em post anterior:

    COMISSÃO ZERO,

    que é a única alternativa que os Conselheiros de Oposição, e os milhões de são paulinos irão aceitar.

  9. Nobre PP ,

    Uma correção o Abilio Diniz não é o CEO e sim o Alexandre Bourgeois(indicado pelo Abilio) , a principio a contratação de um CEO é um ótimo começo para a profissionalização do clube. Assim como a comissão do contrato da Under Armour deve ser apurada a comissão paga na época do Leco pela compra do Jorginho Paulista também …..e outros contratos firmados na gestão anterior , como o inexplicável do Habib´s por exemplo….

    Abraços e Saudações Tricolores

    • Qual é o título de Abílio Diniz? Até agora, ninguém definiu. A isso é o que eu qui me referir. Sei perfeitamente quem é o CEO do São Paulo. Quanto às demais comissões, acho que fiz referência em meu editorial que já fui muito crítico ao Leco. Se você fizer uma busca na pesquisa do site, vai ver quantas vezes denunciei e cobrei o Habib’s. Vai até achar que fui eu quem denunciei que o preço pago pelo Habib’s no São Paulo foi um emprego de gerente de house mídia para a filha de JJ. Mas o tema hoje é Far East.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.