Vitória científica com a marca do Fabuloso

Amigo são-paulino, leitor do Tricolor na Web, o São Paulo viveu uma grande tarde de domingo e acabou com o Corinthians, dentro do Pacaembu, de virada, por 2 a 1. Digo acabou porque dominou a partida e não correu risco algum após ter chegado ao empate.

É verdade que os primeiros 15 minutos foram inteiramente do Corinthians. Ele fez o gol logo aos sete minutos, numa bobagem do tamanho do mundo de Paulo Assunção, que tinha a bola dominada e perdeu para Paulinho, pegando a defesa completamente aberta.

Ney Franco fez uma mudança de posicionamento na equipe, passando Paulo Miranda para a lateral esquerda e Douglas para a direita. Com isso ele estancou as descidas de Fábio Santos, porque Douglas apoiava muito e, ao mesmo tempo, teve um marcador eficaz para as descidas de Alessandro. Com isso o São Paulo passou a ganhar a posse de bola, dominar o meio de campo e, sem o apoio efetivo dos laterais por parte do adversário, cresceu no jogo. O gol de empate saiu de uma brilhante jogada de Lucas, que levou a marcação de três jogadores e tocou para Luis Fabiano sozinho, na entrada da área, de frente com o goleiro.

Depois do gol o São Paulo continuou dominando a partida, o ímpeto do Corinthians diminuiu e o jogo ficou bastante equilibrado. Pouca coisa deveria mudar para o segundo tempo, já que, em termos de São Paulo, tudo ia muito bem e eu, já no intervalo, tinha certeza de que a vitória viria.

Começou o segundo tempo e o São Paulo dominando. Como Paulo Miranda não descia, Maicon passou a jogar caindo nas costas de  Alessandro. Lucas tinha mobilidade pelo meio, mas encontrava mais espaço na direita. Com sua velocidade punha em apuros a lenta defesa corinthiana.

O problema do nosso ataque vinha sendo a “linha burra” da defesa corinthiana, e Luis Fabiano ficava invariavelmente impedido. Uma alterativa foram as entradas de Maicon pela esquerda, com lançamentos precisos de Jadson. Maicon perdeu dois gols.

Num desses lançamentos, o endereço foi Luis Fabiano. Saindo no momento certo, deu um drible da vaca no goleiro Cássio e marcou um golaço, o segundo, o da virada, o da vitória do Tricolor.

Com o resultado o Corinthians saiu de forma assoberbada para o ataque, não conseguia produzir nada porque o meio de campo do Tricolor estava bem postado, e abriu espaço para muitos contra-ataques. E até o final do jogo se alguém tivesse que marcar mais um gol, esse alguém seria o Tricolor.

Escrevi, no editorial pré-jogo, que esse seria a Prova dos 9. E o São Paulo passou no teste. Essa vitória vai dar moral e confiança ao time para começar o segundo turno. Se o caminho é longo para ir buscar o título, a vaga da Libertadores pode ser alcançada. E nós vamos nessa direção.

Um comentário em “Vitória científica com a marca do Fabuloso

  1. A sensação que eu tenho é que temos um técnico que está lendo o jogo e aos poucos vai dominando o elenco e o que ele pode dar.
    Se as lesões pararem de tirar nossos jogadores e em especial o Fabuloso acho que temos chance de, ao menos, beliscar a Libertadores (pela Sul Americana ou pelo Brasileiro). Vamos Tricolor! e parodiando os gambás: Sumus! germanus! tricolore!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.