São Paulo retorna ao CT de Cotia na próxima quarta

Após ficar uma semana no CT de Cotia e retornar na última sexta-feira à capital, o São Paulo terá mais um período de concentração na Região Metropolitana de São Paulo a partir da próxima quarta-feira.

O clube cumprirá uma das determinações da Federação Paulista de Futebol para o reinício do Paulistão, que prevê o confinamento dos clubes participantes do torneio.

Com isso, o São Paulo vai para Cotia na quarta, enfrenta o Bragantino na quinta, às 20h, no Morumbi (26 km de distância do CT) e logo depois retorna às dependências do centro de treinamento. No domingo, a delegação sairá de Cotia em direção a Santos, onde enfrenta o Gaurani, às 16h, na Vila Belmiro (104 km de distância).

Inicialmente, a concentração será até o domingo, mas pode haver mudanças no cronograma dependendo das necessidades avaliadas pela comissão técnica.

Os sete dias de confinamento na semana retrasada tiveram uma avaliação positiva da diretoria de futebol do clube. A reaproximação dos jogadores e comissão técnica foi um dos pontos mais celebrados.

Após três meses de isolamento, havia um receio de que os jogadores retornassem sem o entrosamento adquirido antes da parada das competições, tanto dentro como fora de campo. Mas o que se viu, segundo relatos de quem esteve presente nesses dias, foi um ambiente saudável entre todos.

O técnico Fernando Diniz conseguiu utilizar o período para fazer ajustes no time e definir a formação titular que levará a campo na próxima quinta-feira. Com a saída de Antony para o Ajax, da Holanda, o atacante Pablo assume a posição na ponta direita.

A escalação deve ter: Tiago Volpi; Juanfran, Arboleda, Bruno Alves e Reinaldo; Tchê Tchê, Daniel Alves e Igor Gomes; Pablo, Vitor Bueno e Alexandre Pato.
Acerto de salário
A semana também deve servir para um acerto de salário com os jogadores. O gerente executivo de futebol do São Paulo, Alexandre Pássaro, disse que pretende resolver a questão em conversa com os atletas.

Desde março, início da paralisação das competições por conta da pandemia do novo coronavírus, o clube reduziu o salário dos atletas em 50% dos que recebem em carteira (CLT), mantendo um mínimo de R$ 50 mil por mês. Não houve acordo formal com os jogadores, e o clube fez uma redução unilateral, desagradando boa parte dos profissionais.

No final do mês passado, o GloboEsporte.com recebeu relatos de que houve atrasos e de que não foram pagos a todos em junho os 50% na CLT previstos no início da pandemia. A reclamação de alguns jogadores é de que o pagamento feito corresponde a 20% dos salários na carteira. Outros apontam não ter recebido nada no mês passado.

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.