São Paulo mergulha em suas falhas e perde em BH

A torcida atleticana esperou 13 anos para voltar à Libertadores. Fez uma linda festa para celebrar o retorno ao torneio. E, recebeu, dos pés do seu principal jogador, o meia-atacante Ronaldinho Gaúcho, que foi inteligente “até para beber água”, a alegria para comemorar a vitória por 2 a 1 em cima do São Paulo, nesta quarta-feira, no estádio Independência, pela primeira rodada do Grupo 3 do torneio continental. Jô e Réver, após passes do camisa 10, marcaram para o Atlético. Aloísio diminuiu.

Na próxima rodada, o Atlético-MG viaja até a Argentina para encarar o Arsenal de Sarandí, no dia 26, às 21h45. Já o São Paulo encara o The Strongest (BOL), dois dias depois, às 22h, no estádio do Morumbi.

PEDIU ÁGUA…

A torcida atleticana viveu um hiato de 13 anos até voltar à Libertadores. E, a recepção para os primeiros passos no torneio continental foi do tamanho da espera. Com fogos de artifício e os cânticos a todo minuto, os torcedores empurraram o Galo. O São Paulo, por disputar a primeira fase da competição diante do Bolívar (BOL), sabia os métodos para drenar tal ímpeto.

A festa ainda tinha um convidado de honra em campo: Diego Tardelli. Após uma negociação complicada, o atacante pôde vestir novamente a camisa do Galo. A todo vapor, o Atlético-MG diminuiu os espaços em campo do Tricolor e apostou na mobilidade do quarteto ofensivo, que não guardou posição e a cada período invertia. O São Paulo, acuado, até tentou trabalhar melhor a bola, mas Douglas centralizava os lances, enquanto Jadson e Osvaldo pouco produziam.

Antes de entrar em campo, Ronaldinho, sem transparecer emoções, se mostrou concentrado. E, foi dele, o lance emblemático da etapa inicial. Durante atendimento a Júnior César, que sofrera um corte no lábio, em campo, o agora camisa 10 do Galo foi pedir um pouco de água a Ceni, que lhe concedeu. Na sequência do lance, por sorte – segundo o meia – ao repor a bola, Marcos Rocha o encontrou livre de marcação. Inteligente sem a bola, ficou em condições e dominou a bola. Inteligente com a bola, viu Jô na área para dar uma assistência e levar a torcida à “Galoucura”. Se no Mireirão há problemas com água…

O São Paulo permaneceu rendido em campo, sem chegar ao campo de ataque. Luis Fabiano teve de buscar muito o jogo. Douglas e Osvaldo não chegaram à linha de fundo uma vez e, com Jadson bem marcado, o saldo ficou evidente em números: nenhuma finalização tricolor na etapa inicial. Já o Galo, quase ampliou em belo lance de Bernard e conclusão para fora de Tardelli.

OUTRA VEZ, O 10!

Após a análise crítica de Ceni na saída do primeiro tempo, o São Paulo voltou mais coeso e determinado no segundo tempo. Com melhor toque de bola, o atacante Osvaldo fez a torcida tricolor ficar no “uhhh” após dois chutes, que animaram os torcedores do clube paulista. Já o Galo, com dois ponta ágeis, tentou levar vantagem nas costas dos laterais do adversário.

Mais dinâmico, o técnico Ney Franco promoveu alterações na equipe. E, Luis Fabiano teve em seus pés a melhor chance para igualar o marcador. Depois de receber passe de Aloísio, o camisa 9 ficou cara a cara com Victor, que fez um milagre e salvou o gol de empate. E, na base do “quem não faz, toma”…novamente Ronaldinho fez bela jogada pela direita, limpou Wellington e cruzou para Réver que, no segundo andar e no meio de Rhodolfo e Lúcio, tirou de Ceni e mandou para o fundo das redes.

O Galo continuou regido por Ronaldinho Gaúcho, que acertava passes de três dedos e dava mais dinamismo ao jogo. O São Paulo conseguiu diminuir a diferença com Aloísio, após receber bom passe de Luis Fabiano e fuzilar o goleiro Victor. Ganso, no último minuto, até tentou ser o herói, mas chutou para fora.

FICHA TÉCNICA

ATLÉTICO-MG 2 X 1 SÃO PAULO

Local: Independência, em Belo Horizonte (MG)
Data/hora: 13/2/2012, às 22h (horário de Brasília)
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)
Auxiliares: Altemir Hausmann (RS) e Fabrício Vilarinho (GO)
Renda/público:  Não disponíveis
Cartões amarelos: Luan (CAM); Paulo Miranda, Jadson e Rhodolfo (SPO)
Cartões vermelhos: –

GOLS: Jô, aos 12’/1T (1-0); Réver, aos 27’/2T (2-0), Aloísio, aos 38’/2T (2-1)

ATLÉTICO-MG: Victor, Marcos Rocha, Leonardo Silva, Réver e Júnior César; Pierre, Leandro Donizete, Bernard (Richarlyson – 43’/2T), Ronaldinho Gaúcho e Diego Tardelli (Luan – 22’/2T); Jô (Alecsandro – 45’/2T). Técnico: Cuca.

SÃO PAULO: Rogério Ceni, Paulo Miranda (Aloísio – 12’/2T), Lúcio, Rhodolfo e Cortez; Wellington (Maicon – 31’/2T), Denilson, Douglas, Jadson (Ganso – 22’/2T) e Osvaldo; Luis Fabiano. Técnico: Ney Franco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.