São Paulo aponta vice como suspeito de vazar documentos para hacker

Uma apuração da diretoria do São Paulo registrada em cartório indica que o vice-presidente Roberto Natel seria o suposto responsável por vazar informações internas do clube a “Edward Lorenz”, codinome do hacker que chantageou conselheiros e dirigentes por e-mails e pedia pagamento de R$ 1 milhão. O Tricolornaweb havia dito, há um mês, que uma grande bomba iria estourar no São Paulo no final do ano ou início de 2020.  Eu já tinha os dados, mas não podia revelar ainda por faltarem alguns documentos. Agora eles surgiram

Natel, porém, nega ter vazado documentos, diz desconfiar que sua rede interna pode ter sido invadida e afirma que vai contratar um advogado.

O São Paulo contratou uma perícia para verificar se a rede interna havia sido invadida ou não. Ao comprovar que isso não ocorreu, o clube usou um documento do orçamento de 2020 como uma espécie de isca para buscar a fonte dos vazamentos.

Para isso, adulterou palavras, colocou erros de acentuação e fez marcações específicas em diferentes versões desse mesmo documento, registrou tudo em cartório e enviou para dirigentes e conselheiros.

A versão enviada a Roberto Natel tinha propositalmente um erro na palavra “prêmio”, escrita sem acento da seguinte maneira: “Premios Camp. Paulista”, conforme mostra documento publicado pelo “UOL”. O e-mail enviado pelo hacker tinha o documento do orçamento de 2020 com esse mesmo erro de acentuação.

– Estão fabricando as coisas. Por que vou precisar passar algo a hacker? Se tiver de falar digo na frente do Leco, no Conselho. Tenho tranquilidade absoluta. De maneira alguma. Não sou disso. Nunca precisei disso. Vou contratar um advogado e ver para verificar, porque é uma acusação muito grave. Vai ter que mostrar como foi feito. Estou tranquilo. Fico contente porque estou incomodando os incompetentes –disse Roberto Natel.

Segundo o “UOL”, ao menos uma das imagens registradas na ata notarial mostra o e-mail adulterado propositalmente enviado pelo chantageador ao presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco. Presidente e vice estão rachados há anos. Nos e-mails enviados aos conselheiros, no fim de 2019, o suposto hacker ameaçava expor corrupção no clube (entenda abaixo).

– Tenho certeza que a minha rede pode ter sido invadida. Amigos meus particulares, esposa e filhos receberam nos e-mails deles coisas do hacker relacionados ao São Paulo. Só posso deduzir que alguém entrou no meu e-mail. Estão tentando me incriminar. O que estão querendo fazer: me expulsar. Não vão me calar. Não aceito o que está acontecendo com o clube. Estão querendo mexer com meu nome –afirmou o vice-presidente.

Procurado, o São Paulo informou que não vai se manifestar sobre o assunto.

Entenda o caso
Em novembro, o São Paulo sofreu uma tentativa de extorsão. Conselheiros receberam três e-mails exigindo o pagamento de R$ 1 milhão. Caso contrário, o autor das mensagens, que se identificou como “Edward Lorenz”, ameaçava divulgar arquivos confidenciais.

Nas mensagens, todas elas com “Bastidores do Poder” como assunto, a pessoa que se identifica como “Edward Lorenz” – o nome do meteorologista que criou a tese do “Efeito Borboleta” na Teoria do Caos, morto em 2008 – ameaçava expor diretoria, conselheiros, atletas e até ex-atletas do São Paulo. Ele colocava prazo para pagamento e repetiu a ação mais de uma vez.

Durante o processo, o São Paulo enviou um e-mail para os conselheiros do clube explicando que as mensagens eram uma “nova tentativa de fraude e extorsão”.

Mas por que nova tentativa?

Porque em 2017 uma pessoa identificada com o mesmo pseudônimo enviou mensagens para o clube na tentativa de extorquir dinheiro com a mesma motivação: não divulgar documentos confidenciais. Na ocasião, inclusive, foi aberto um inquérito policial que segue em curso, em segredo de justiça.

O caso está na 4ª DIG, Delegacia de Polícia de Investigações sobre Fraudes Patrimoniais Praticadas por Meios Eletrônicos. O São Paulo deve, agora, informar à Polícia Civil mais essa tentativa de extorsão.

Ameaça a Leco
Esse e-mail enviado pelo São Paulo aos conselheiros, colocando o departamento jurídico do clube à disposição, foi respondido por “Edward Lorenz” no mesmo dia.

Nesse novo contato, ele ameaçava o presidente do São Paulo, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, dizendo que iria começar a vazar supostos documentos que mostrariam uma suposta corrupção do dirigente.

Na mensagem aos conselheiros, o São Paulo reitera que esse movimento não passa de uma “nova tentativa infrutífera de fraude e extorsão” e que “os e-mails e os respectivos documentos apenas reiteram inveracidades e ameaças anteriormente feitas”.

Além disso, o São Paulo dizia que dava o “devido tratamento jurídico e técnico à questão”, informava que a divulgação indevida de documentos pode atrapalhar a investigação policial e pedia para que novos e-mails semelhantes fossem encaminhados ao departamento jurídico.

Na época, o GloboEsporte.com teve acesso a documentos anexados no e-mail aos conselheiros. Tratavam-se de contratos e troca de mensagens já revelados em outras oportunidades, como, por exemplo, e-mails enviados pelo antigo vice Ataíde Gil Gueirreiro ao ex-presidente Carlos Miguel Aidar quando ambos se desentenderam, entre outros.

Pessoas do clube ouvidas pela reportagem acreditavam que a tentativa de extorsão era uma manobra política em meio ao momento conturbado do clube. O presidente Leco tem sido alvo constante de críticas.

 

9 comentários em “São Paulo aponta vice como suspeito de vazar documentos para hacker

  1. Paulo Pontes, leitores do Tricolornaweb,

    Uma perícia contratada pela atual diretoria do SPFC, parte interessada, aponta como suspeito um dos principais líderes da oposição ao atual presidente. Esse resultado para mim merece um olhar bem atento.

    Acredito que existam meios de se manipular esse tipo de “prova”. Se até a rede do Pentágono Americano foi hackeada como pode uma empresa contratada pelo Clube “garantir” que a rede do SPFC não foi hackeada? Um invasor com bom nível tecnológico deveria (suposição minha) ser capaz de invadir e roubar informações sem deixar rastros. Administradores de rede podem acessar remotamente computadores e executar tarefas como se fossem o próprio usuário.

    Roberto Natel pode ter culpa ou não. O que não se pode de forma alguma é considerar alguém culpado sem que existam evidências indiscutíveis.

    Tudo o que sei sobre este assunto li na imprensa e em blogs especializados como este. Não sou especialista em segurança cibernética, não sou advogado e não conversei com qualquer dos envolvidos. Apenas estou me baseando na presunção de inocência, princípio do nosso sistema Legal.

    Que a verdade venha a tona, qualquer que seja. Isso é o que eu penso.
    Flavio Marques

  2. O SPFC tem nomes em seus associados e conselheiros que fazem parte do corpo jurídico deste país, pessoas que em seu sobrenome nomeia um monte de rua e viadutos da cidade. Onde será que estão? Na sauna, piscina, bocha? Será que não tem um desses que resolvam honrar a memória de sua família, parentes, amigos ou deles mesmos pra tentar devolver um pingo de dignidade a este clube?

    Do povo brasileiro temos 18 milhões de pessoas torcem pra este clube, a grande maioria não tem casa no nome e alguns moram debaixo de viadutos com os nomes desses senhores e sofrem, se revoltam pois a grande maioria dessas pessoas tem dignidade e nunca fariam canalhice com o clube como essa gente podre de sobrenome em viadutos são capazes de fazer e estão fazendo.

    Pessoas comuns que nunca poderão sequer passar na porta do clube se sentem humilhadas de saber que o nome do clube está mais uma vez na polícia, mas as pessoas de bem que estão humilhando o SPFC estão na sauna ou na piscina se divertindo e se preparando pra assumir o clube no final de 2020.

    • Também não entendo porque os grandes nomes do clube deixam esses ratos emporcalharem nossa história, o vírus Juvenal contaminou tudo, aquele FDP que está no colo do capiroto. Desde que ele comprou todo mundo, o SPFC construiu sua ruína, foi como um vírus letal jogado pelo maior rival.

      • JJ aparelhou o SPFC dando carteirinha e vaga de estacionamento no clube, e, como não sou sócio, imagino que a prática ainda é feita com total sucesso.

  3. Da desgosto saber que o SPFC está nas mãos de ratos, abutres e incompetentes.
    Não eh a toa que estamos a 8 anos sem ganhar nada e soh passando vergonha em campo, porque fora dele o SPFC eh uma vergonha maior.

    Chamem a PF, vai pegar muita coisa nesse ninho de cobras!!!

    FORA DO SPFC ABUTRES, RATOS DE ESGOTO!!!

  4. “Uma apuração da diretoria…” Desculpem-me, mas isso não é assunto para quem está diretamente envolvido no caso. Isto é caso para a POLÍCIA investigar. Doa a quem doer.

    Se for comprovado mesmo que foi o Roberto Natel, que este não fique calado e entregue os tais documentos que comprovam a corrupção no clube, se existirem. O que não pode é tudo ir para debaixo do tapete, como no caso Aidar.

  5. Desde o episódio dos postos de gasolina que acho o Natel mais um que apenas quer se aproveitar do clube, outro sangue-suga, mas se usou o email pessoal para passar dados sigilosos a terceiros, é um asno com orelhas de 2 metros.

    O Natel é um caro sabidamente odiado por muitos dentro do São Paulo, então não é impossível de ser mesmo uma armação, principalmente se esse documento partiu do email dele do São Paulo, muitos destes emails corporativos o TI tem acesso às senhas. Mesmo que seja um email particular, é algo fácil de se apurar, mas precisa ser uma investigação policial, pedir um mandato para o provedor de internet fornecer todos os dados e finalmente descobrir de onde partiu os documentos.

    Acredito que em breve surgirão novos desdobramentos, mas se o São Paulo não der andamento a uma investigação policial, tentar abafar o caso e deixar só na fumaça, podem apostar que é armação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.