Raí tem duelo familiar e com o passado em partida do SPFC contra o Botafogo

Um filme deve passar pela cabeça de Raí na hora que o São Paulo entrar em campo para enfrentar o Botafogo, hoje (8), no Estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto, pelo Campeonato Paulista. Acostumado com as arenas mais importantes do planeta, o ex-jogador e agora executivo de futebol do Tricolor paulista deu os primeiros passos na carreira na casa do adversário desta tarde.

Não é exagero dizer que a história do time do interior do estado passa muito pela família Souza Vieira de Oliveira. Afinal, os dois jogadores mais famosos do clube de Ribeirão Preto são os irmãos Sócrates e Raí. E essa ligação não para por aí. O executivo do Botinha, por exemplo, é Gustavo Oliveira — sobrinho de Raí e filho de Sócrates. “Vim para o Botafogo muito com a ideia de retribuir o que o clube trouxe para a minha família”, disse Gustavo.

O ídolo corintiano foi o primeiro a se destacar no Botafogo, pelo qual se profissionalizou em 1973. Lá, conseguiu conciliar os estudos na Faculdade de Medicina com o futebol e despontar para o mundo do esporte.

Diz a lenda que o pai de Raí, Raimundo, tinha um camarote no estádio e, ao acompanhar as partidas de Sócrates, brincava com os amigos que o camisa 8 não saia da sombra.

Anos mais tarde, foi a vez de Raí, que nasceu em Ribeirão Preto, iniciar a trajetória no clube. Lá, tentou esconder o parentesco com o irmão para evitar comparações. Não demorou muito e o meio campista ganhou fama e brilhou no Tricolor da capital.

Até mesmo a casa em que o campeão mundial de 92 passou a a sua infância ainda pertence à família e fica próxima ao estádio (cerca de 1,5 quilômetros). Portanto, não é de se estranhar que antes ou depois da partida, a mãe de Raí, dona Guiomar de Oliveira, de 99 anos, receba o ídolo são-paulino e o dirigente do Botafogo para um encontro familiar.

Ficha técnica

Botafogo x São Paulo

Data: 8 de março de 2020, domingo

Horário: 16 horas (de Brasília)

Local: Estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto (SP)

Competição: Campeonato Paulista, 9ª rodada

Árbitro: Flávio Rodrigues de Souza

Assistentes: Marcelo Carvalho Van Gasse e Gustavo Rodrigues de Oliveira

Botafogo: Darley; Caíque Sá, Robson, Didi e Gilson; Victor Bolt, Naldo, Marcos Vinícius (Matheus Anjos), Ronald e Rafinha; Wellington. Técnico: Claudinei Oliveira.

São Paulo: Volpi; Lucas Sena, Diego, Anderson Martins e Wellington; Luan, Liziero e Hernanes; Toró, Everton e Brenner. Técnico: Fernando Diniz.

 

Fonte: Uol

3 comentários em “Raí tem duelo familiar e com o passado em partida do SPFC contra o Botafogo

  1. Gustavo Oliveira, um cara que nunca teve experiência como dirigente de futebol, passou a trabalhar no São Paulo ganhando o maior salário do Brasil na função e contratou só craques:
    – Roger Carvalho
    – Luís Ricardo
    – Pabón
    – Michel Bastos
    – Bruno lateral
    – Carlinhos lateral bichado
    – Daniel bichado II
    – Jonathan Cafú
    – Kieza
    – Ytalo
    – Getterson
    – Wilder
    E por aí vai a relação…
    Realmente deixou saudades como dirigiente.
    Nos agentes de jogadores ruins.
    ‘Bora’ passar mais pano!

  2. Pensei que o Gustavo Vieira de Oliveira fosse apenas dirigente, e não entrasse em campo, lembro que no São Paulo ele conseguia quase sem nenhum dinheiro montar times semifinalista da libertadores, ele não tem culpa de ter tido Carlos Miguel Aidar como dirigente.
    Há muitos anos o São Paulo vinha trocando muito os treinadores e isso era muito ruim, espero que agora possa ter continuidade, e que o próximo treinador seja o Rogério por muitos anos uns 10.

  3. A família Oliveira revelou grandes jogadores, já quando se fala em dirigentes temos verdadeiros desastres…
    Por sinal, o Botafogo de Gustavo Oliveira está na zona de rebaixamento do Paulista, mas o UOL para deixar a matéria ‘bonitinha’ ignora esse detalhe…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.