Pratto foi multicampeão, virou reserva, e River ainda deve milhões ao SP

São Paulo e River Plate se enfrentam amanhã (17), no Morumbi, pela fase de grupos da Copa Libertadores. Nos últimos anos, os clubes travaram uma disputa fora de campo que chegou até a Fifa por um jogador que nem sequer é cogitado para atuar nesta partida: Lucas Pratto.

O jogador de 32 anos deixou o Tricolor paulista para retornar ao clube argentino em 2018 por 11,5 milhões de euros, sendo que a equipe brasileira tinha direito a receber 8,5 milhões de euros. Além disso, os brasileiros ainda poderiam receber 3,5 milhões de euros por metas e 1 milhão de euros pelo título da Libertadores de 2018..

Tal quantia, porém, teve atrasos para ser quitada. O São Paulo precisou acionar algumas vezes a Fifa para receber as parcelas, que frequentemente atrasaram. Por causa dos débitos em aberto e do não cumprimento das datas, o River Plate foi multado pela entidade máxima do futebol em R$ 2,5 milhões (valor corresponde aos juros e multas).

No início deste ano, o clube argentino até chegou a pagar 4 milhões de euros que restavam do total negociado, mas ficou ainda em aberto o valor das multas. Por isso, o Tricolor precisou acionar mais uma vez a Fifa. Como o River não recorreu da decisão, foi estipulado em maio o pagamento dos R$ 2,5 milhões, em dez parcelas. Até agora, não houve mais atraso, mesmo com a crise financeira por causa da pandemia do novo coronavírus.

Pratto, por sua vez, não está em um bom momento no River. Depois da conquista de quatro títulos (Recopa Sul-Americana 2019, Libertadores 2018, Copa Argentina 2019 e Supercopa Argentina 2018), ele perdeu espaço na equipe. Na final do torneio continental do ano passado, contra o Flamengo, o atacante falhou e foi apontado por muitos como o culpado pela derrota. Neste retorno do River à Libertadores, Pratto também não deverá ser utilizado por estar lesionado.

Agora, o caminho mais provável é de ele buscar um outro clube no mercado da bola para defender. O centroavante não balança as redes desde maio de 2019 e pessoas próximas dizem que os salários também estão atrasados. O empresário do jogador, Gustavo Goñi, chegou a dizer que o Atlético-MG fez uma oferta há dois meses, que fora recusada pelo River. No total, o jogador disputou 96 partidas pelo clube argentino e marcou 22 gols.

Pelo São Paulo, Pratto fez 48 partidas e anatou 14 gols. O jogador fora comandado por Rogério Ceni e por Dorival Júnior, durante a sua passagem, em 2017. Ao deixar o time do Morumbi, alegou que sentia muita falta da família e que desejava buscar uma oportunidade de mostrar serviço para disputar a Copa do Mundo da Rússia-2018 por seu país.

Fonte: Uol

Um comentário em “Pratto foi multicampeão, virou reserva, e River ainda deve milhões ao SP

  1. Pratto foi vendido, o administrador de ong disse que tinha sido bom negócio para o SP e que o SP ficaria mais forte.

    Pratto deu uma libertadores ao River, sendo o jogador mais importante naquela campanha e batendo o rival Boca na final!

    Administrador de ONG trouxe com o “dinheiro do Pratto” Diego Souza e Nenê…

    Pratto venceu o maior torneio das Américas, o SPFC não ganhou nada, torrou a parte do dinheiro que recebeu, Diego Souza e Nenê estão longe, não ganharam nada, deram prejuízo e derrubaram até técnico (Aguirre), não recebemos ainda tudo e estamos com os mesmos dirigentes!

    Padrão administração de ONG!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.