Pato se diz motivado e pode iniciar 2020 como 12º jogador no São Paulo

Nem sempre apenas o talento faz a diferença no futebol, por vezes é preciso que outros fatores estejam em dia para que as coisas aconteçam como entrega, disposição, versatilidade e motivação. Alexandre Pato é um desses casos de talento acima da média, mas que faz o torcedor pensar que algo está faltando. Se depender do que tem mostrado neste início de 2020, o camisa 7 vai acabar com essa desconfiança e ser peça importante para Fernando Diniz.

Na primeira metade deste mês, quando retornou das férias, o jogador recebeu uma oferta para atuar no futebol dos Emirados Árabes Unidos, o que lhe renderia um salário anual de cerca de R$ 19 milhões, proposta que foi recusada por ele. Fatores como proximidade de sua família, de sua esposa e adaptação falaram alto, mas a vontade de dar certo no Tricolor também influiu.

Não é à toa que o atacante são-paulino tem feito posts frequentemente em suas redes sociais com palavras de motivação para o ano de 2020. Além disso, tem respondido a vários fãs, principalmente no Twitter, que lhe dão apoio, mostrando uma proximidade que há algum tempo ele não demonstrava. O intuito, aparentemente, é dar o retorno que não conseguiu dar em 2019.

Essa motivação tem cativado também a atenção de Fernando Diniz, que nos últimos seis jogos da última temporada nem sequer colocou o jogador para atuar, mesmo estando como opção no banco de reservas. Neste ano, mesmo que esteja treinando no time alternativo, o comandante parece que dará mais chances ao camisa 7 ao longo das competições e pode virar um 12º jogador. Nos últimos dias, ambos tem conversado particularmente no campo.

Nos treinamentos táticos que antecedem a estreia no Paulistão, nesta quarta-feira, contra o Água Santa, Diniz tem utilizado três jogadores para promover variações no time titular: Liziero, Everton e Alexandre Pato, que acabou conquistando essa utilidade nos últimos dias. Liziero tem entrado no lugar de Hernanes, liberando Dani Alves, e Everton tem alternado entre o meio (no lugar do Profeta) e nas pontas (substituindo Helinho ou Vitor Bueno).

Pato, por sua vez, é o reserva de Pablo, mesmo que já tenha expressado que prefere não atuar como a referência. Neste início de ano ele tem topado ser o substituto para a posição de centroavante e ganhou a confiança do treinador, por isso tem sido testado mais frequentemente como uma alternativa durante o jogo ou desde o início. Ele também substituiu Helinho, pelo lado do campo, algo que também pode acontecer dependendo das circunstâncias do duelo.

Para quem parecia desmotivado e sem gozar da confiança da comissão técnica na reta final da temporada passada, parece haver um movimento de mudança para 2020 e, dessa forma, o São Paulo espera tirar proveito, já que se trata de um jogador acima da média e que pode mudar o patamar do time. Resta saber se tudo isso será concretizado nas competição que virão.

O primeiro teste do Tricolor será na estreia do Paulistão-2020, na próxima quarta-feira, às 21h30, no Morumbi, pela primeira rodada da fase de grupos do torneio. Uma provável equipe titular para começar a disputa é: Tiago Volpi; Juanfran, Bruno Alves, Arboleda e Reinaldo; Tchê Tchê, Daniel Alves e Hernanes; Helinho, Vitor Bueno e Pablo. Vale lembrar que Igor Gomes e Antony, que seriam titulares, estão com a Seleção Brasileira no Pré-Olímpico da Colômbia.

 

Fonte:Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.