Pablo enaltece Cavani e compara São Paulo a Flamengo ‘em termos de jogo’

O atacante Pablo, do São Paulo, vê muitas semelhanças entre o estilo de jogo do Tricolor paulista e do Flamengo. Em participação no “Jogo Aberto”, desta terça-feira, ao classificar o Rubro-negro como time a ser batido no Brasil, o atleta comparou os trabalhos de Fernando Diniz e Jorge Jesus.

– O Flamengo é o atual campeão brasileiro e da Libertadores, é a equipe a ser batida no Brasil, não tem dúvida. Manteve seu elenco, o Gabigol, que fez muitos gols, já começou o ano fazendo gol para caramba, Bruno Henrique, Arrascaeta, Diego… Enfim, é muito forte, com o estilo do Jorge Jesus, que eu vejo ser muito parecido com o Fernando Diniz em termos de querer ter a posse de bola, de marcar com a linha alta. São equipes muito parecidas em termos de jogo – avaliou o atacante, que apesar dos elogios, não escondeu o desejo de superar o time carioca:

– É uma equipe que tem uma qualidade e um estilo de jogo, e se reforça muito bem. É uma equipe que manteve a base do ano passado, então, já está acostumada a jogar junto, e espero que a equipe do São Paulo vença o Flamengo, que é a equipe a ser batida, hoje, no futebol brasileiro, e isso não é surpresa para ninguém.

CAVANI NO SÃO PAULO

Pablo também comentou o burburinho em torno da possível vinda de Edinson Cavani para o São Paulo desde as declarações de Diego Lugano, compatriota do atacante do PSG. E brasileiro mostrou ser bastante favorável à chegada do astro renomado.

– Óbvio, um jogador com a qualidade e história que tem o Cavani seria fantástico. Tive a oportunidade de jogar com o Diego Forlán no Japão e perguntava sempre do Cavani para ele, e ele fala que é um jogador excepcional, e sem sombra de dúvidas é. Se vier, iríamos ficar muito felizes, porque nos ajudaria de forma positiva. É óbvio que é algo que a diretoria tem que tomar as decisões, mas, com certeza, iria ficar muito feliz se ele viesse, aprenderia muito, ia ajudá-lo a fazer gols – projetou, durante a atração da “Band”.

REDUÇÃO SALARIAL

Com a paralisação do futebol brasileiro em decorrência da pandemia de coronavírus, muitos clubes do Brasil e do mundo estão reduzindo os salários de jogadores. Pablo é compreensível à redução dos ganhos dos atletas, mas cita as diferentes realidades dentro do futebol profissional.

– Questão de salário é muito difícil de falar, envolve muita gente. Eu acredito que nós, jogadores, temos que ter consciência, porque é um momento difícil não só para a instituição São Paulo, mas para o mundo inteiro, não só falando de futebol. Jogador de futebol, obviamente, é privilegiado, todo mundo sabe, mas quando você está em um grande ou quando você está em clubes de primeira ou segunda divisão. Quando você está numa situação de Série C, Serie D, já não é tão confortável. Tem jogadores que assinam contrato de três meses, só durante o Estadual. Então é muito relativo – analisou o jogador, que defende a espera de um cenário de segurança para o retorno dos campeonatos:

– Eu acho que todo mundo que ama o futebol está com saudade de ver os jogos e o seu time. Todo mundo com saudade da quarta-feira à noite, do domingo à tarde.. Eu, como jogador, estou morrendo de saudade. Que possa voltar o quanto antes, mas, na minha visão, acredito que tem que voltar quando for mais seguro para todo mundo. Nós, jogadores, estaríamos expostos, porque não tem como você não tem o contato físico durante uma partida, mas, mesmo sem torcida, tem muita gente envolta, que trabalha para o jogo acontecer, e essas pessoas ficam muito expostas também. Eu acredito que tem que voltar o futebol quando for mais seguro para todo mundo – opinou.

 

Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.