Julio Casares avalia finanças do São Paulo: “É preocupante, mas não assusta”

Candidato à presidência do São Paulo, Julio Casares falou, em entrevista ao Esporte Interativo, sobre as dificuldades financeiras enfrentadas pelo clube. No balanço do ano de 2019, o Tricolor apresentou um déficit de R$ 156 milhões, gerando um desafio para as gestões futuras.

Para Julio Casares, o momento do São Paulo requer atenção. No entanto, o candidato aponta que em seu eventual mandato estaria pronto para amenizar os problemas financeiros.

“Preocupa, mas não me assusta. Assustar é uma coisa que você coloca no panorama de que você não sabe o caminho para atenuar esse problema. O caminho não é simples, mas ele é delineado no nosso plano de gestão. Primeiro, nós vamos ter que ter um comitê financeiro formado por técnicos onde vamos discutir o perfil desta dívida, se o compromisso é à curtíssimo prazo, curto prazo, à médio ou longo prazo, e principalmente uma renegociação, esticando essa dívida para garantir um oxigênio financeiro para o custeio do dia a dia”, explicou Casares.

O conselheiro do Tricolor ainda apontou quais medidas pretende tomar para que seja possível dar início ao processo de reconstrução das finanças.

“Claro que do lado da responsabilidade financeira, da diminuição da estrutura e da austeridade as medidas serão colocadas com muita responsabilidade. O futebol é o que consome 85% dessa dívida. A causa nós já sabemos, o que precisamos discutir é o diagnóstico de solução desse problema. Portanto, eu vou dizer com sinceridade, é preocupante, claro que é, mas não assusta, porque hoje nós temos, além de um plano de gestão, muitos companheiros técnicos, muitos companheiros de fora do São Paulo, com potencial para colaborar no momento de radiografia dessa dívida, profundamente conhecer o teor de cada contrato e cada compromisso, mas estabelecendo medidas”, disse o candidato.

“E serão várias, porque o São Paulo precisa não apenas tomar medida na contenção e fechar a porteira para a saída de dinheiro, mas também um marketing ousado, uma área de futebol que contrate com mais assertividade e critério. Isso vai fazer com que a médio e longo prazo o São Paulo estará construindo um novo modelo financeiro para que as glórias futuras estejam garantidas. Ganhar campeonato é muito importante, mas não à qualquer custo”, completou.

Por fim, Julio Casares comparou a situação atual do São Paulo com o momento em que o clube passou a construir o Morumbi, em meados de 1953. Os impactos na obra nas finanças fez com que o Tricolor não obtivesse resultados positivos dentro de campo.

“Eu vejo dois momentos do São Paulo de grande desafio: a construção do estádio e esse momento agora. É o momento em que você tem que reorganizar a casa e as finanças, e também fazer ao mesmo tempo um time competitivo, porque há muito tempo o São Paulo não ganha nada”, concluiu.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

2 comentários em “Julio Casares avalia finanças do São Paulo: “É preocupante, mas não assusta”

  1. Enquanto isso a “oposição” nem sabe a forma como vão escolher o seu candidato, quanto mais as propostas que terão pro SPFC. Ou seja, sem definição, qualquer plano idiota que o candidato da Igreja Universal fale, parece plano de salvação do planeta e é possível executar.

    Estamos na lama e pelo jeito, lá permaneceremos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.