Ganso minimiza vaias na Vila e pede cuidado com zona de rebaixamento

Paulo Henrique Ganso voltou à Vila Belmiro pela segunda vez após trocar o Santos pelo São Paulo. Nesta quarta-feira, foi derrotado por 3 a 0 pelo ex-clube em partida válida pelo Brasileirão e viu o próprio time se reaproximar da zona de rebaixamento. Muito vaiado pela torcida da antiga casa, o meia minimizou o grito das arquibancadas.

“Torcedor fica fora do campo. Não atrapalha não”, falou Ganso, ao Premiere FC. O meia pediu atenção para que o São Paulo não volte à zona de rebaixamento.

O primeiro reencontro entre Paulo Henrique Ganso e a torcida do Santos aconteceu no Paulistão deste ano. Na Vila Belmiro, os santistas arremessaram moedas ao campo. Até notas falsas foram confeccionadas com a foto do jogador. Os gritos de “mercenário” acompanharam as manifestações ofensivas. Em setembro do ano passado, o Santos vendeu 32% dos direitos econômicos do atleta por R$ 24 milhões.

“Não tem nem o que falar. Tem que trabalhar muito mais para voltar a vencer já no sábado. O Santos fez uma marcação muito boa e não conseguimos encontrar os espaços. Tem que tomar cuidado para não voltar para a zona”, acrescentou Ganso.

Nesta quinta-feira o São Paulo poderá voltar à zona de rebaixamento caso o Vasco vença o Internacional em São Januário. No sábado o São Paulo reencontra Ney Franco no Morumbi, em duelo contra o Vitória pela próxima rodada do Brasileirão.

 

Fonte: Uol

Um comentário em “Ganso minimiza vaias na Vila e pede cuidado com zona de rebaixamento

  1. Verdade seja dita: mais um pipokeiro. . .
    Não joga nada e ainda se omite: dorme em campo. . .
    Agora, a imprensa adora falar bem dele quando ele “enfia” uma bola pra algum atacante finalizar. Também só faltava o cara ficar 90 minutos em campo e não ser capaz de “meter uma bola”, como gostam de falar.
    É um jogador meia-boca que, quando se encontra sem marcação e que alguém se mostre no ataque, ele executa o passe; mas num jogo pegado, jogo de decisão, some em campo. É o primeiro de quem o tricolor deverá se desfazer, mesmo amargando um grande prejuizo financeiro, porque, quem sabe, o Jadson, sem a sombra imposta pela imprensa e corneteiros, volte a jogar e dar conta sozinho da armação da equipe.
    Ganso e Maicon se equivalem: apenas um ganha muuuuuito mais que o outro, mas no jogo, não há diferença . . .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.