Ganso ganha mais ritmo de jogo e diz que vai brigar por posição’

Na vitória por 2 a 1 sobre o Guarani, Paulo Henrique Ganso ainda não conseguiu desencantar com a camisa do São Paulo. Mas, mesmo sem brilho, o meia mostrou uma boa movimentação em campo, ajudou na marcação e criou algumas jogadas de ataque. Por conta disso, ele achou motivos para comemorar ao deixar o gramado do Brinco de Ouro da Princesa, no último sábado, em Campinas.

“Eu gostei da minha atuação e vou estar sempre disposto a aparecer para armar o jogo e ajudar os meus companheiros. Com o tempo, eu vou tendo mais oportunidades para mostrar o meu futebol e ajudar o São Paulo”, comentou o camisa 8.
Para Ganso, o fato de a equipe reserva tricolor, que contou só com Rogério Ceni de titular, demonstrou que todos os suplentes têm condições de brigar por uma vaga na equipe principal.
“Uma vitória levanta a moral de todo o grupo reserva, pois quem os jogadores que não estiveram em Campinas ficam sabendo que o São Paulo tem um elenco muito forte e com jogadores querendo um espaço no time titular. Estamos chegando e eu vou brigar por posição de titular”, disse Ganso.
Apesar da empolgação, o ex-santista concorda que ainda precisa melhorar muito para recuperar o bom futebol dos tempos em que era parceiro de Neymar na Vila Belmiro.

“Aos poucos, eu vou melhorando bastante e voltando aquele ritmo do meu futebol, que me fez chegar na seleção brasileira e me fez crescer na carreira. É uma questão de tempo. Estou confiante”, falou Paulo Henrique, que voltará ao banco de reserva na partida contra o Atlético-MG, na estreia estreia tricolor na segunda da Libertadores, na próxima quarta-feira, em Belo Horizonte.
Após o jogo, o técnico Ney Franco elogiou a postura de Ganso. “É um atleta que desenvolveu um bom trabalho, principalmente quando jogamos com um jogador a menos. É impressionante que a bola não queima no pé dele. Ele ajudou na marcação e vimos que está emocionalmente querendo fazer o melhor para ajudar o São Paulo”, comentou Ney.
Outro que valorizou o atleta que custou R$ 23,8 milhões aos cofres tricolores foi Rogério Ceni. “O Ganso foi muito bem, mesmo fazendo uma função que não é exatamente a dele. Ele ajudou bastante na marcação quando ficamos com um a menos, mostrando muita vontade”, afirmou o capitão são-paulino, autor do segundo gol da equipe sobre o Guarani.
Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.