Espaço, golaço e novo contrato: Paulinho Boia vive retomada no São Paulo

Golaço na Vila Belmiro, novo contrato encaminhado e opção no ataque do São Paulo. O atacante Paulinho Boia talvez não imaginasse que sua carreira teria um reviravolta tão grande em poucos meses.

Quase emprestado ao Cruz Azul, do México, no início deste ano, Paulinho Boia foi reintegrado aos profissionais do São Paulo no retorno aos treinos após a paralisação por conta da pandemia do novo coronavírus, foi inscrito no Paulistão e fez seu seu primeiro gol com a camisa do Tricolor no último domingo.

Desde os 15 anos no São Paulo, o atacante fez toda sua base no clube e recebeu as primeiras oportunidades no time principal no Campeonato Paulista de 2018, com Dorival Júnior. Com o técnico Diego Aguirre ainda teve mais duas chances (contra Palmeiras e Internacional, pelo Brasileirão), mas não deslanchou. Foram apenas seis jogos na primeira passagem.

Sem espaço no elenco, o atacante começou a sua trajetória de empréstimos. Ainda em 2018, foi para o Portimonense, de Portugal, onde ficou até o meio de 2019 e fez dois gols. Logo após retornar do futebol europeu, emendou novo empréstimo ao São Bento para a disputa da Série B do Campeonato Brasileiro. Na equipe do interior fez três gols.

Após disputar 24 jogos pelo São Bento, praticamente todos como titular, a expectativa do jogador era de que uma nova chance no São Paulo surgisse com o técnico Fernando Diniz. Mas ela não veio de imediato.

Na pré-temporada deste ano, Paulinho Boia treinou separado dos demais companheiros e a saída foi buscar, mais uma vez, um empréstimo. Ele apareceu, e naquela ocasião a proposta foi considerada a melhor até então: um ano de empréstimo ao Cruz Azul por 300 mil dólares (cerca de R$ 1,2 milhão, na cotação de fevereiro), com opção de compra fixada em 1 milhão de dólares (R$ 4,2 milhões, na cotação de fevereiro) por 90% dos direitos econômicos.

O jogador, no entanto, foi reprovado nos exames médicos por conta de um problema na cartilagem do joelho esquerdo e retornou ao São Paulo no início de fevereiro para treinar e esperar por uma definição do seu futuro. Seria o terceiro empréstimo em menos de dois anos.

Com a saída de Antony para o Ajax, uma vaga foi aberta no ataque. Pablo, Helinho e Everton eram os mais cotados para a posição, mas Fernando Diniz decidiu aproveitar para ver mais de perto Paulinho Boia. No retorno aos treinos após a quarentena, então, o treinador reintegrou o garoto.

– O Antony até falou das características dele e eu estava imaginando que ele vingou aqui sendo ousado, indo para cima, com confiança… Então eu falei: “Ou eu tento ser assim e vamos que vamos ou eu vou ser só mais um que passou pelo São Paulo”. Vou dar a vida mais que tudo, como o último prato de comida. Fui trabalhando, o Diniz conversando comigo, me dando confiança, sempre falando que eu ia ter a oportunidade que eu não tive. Aquilo foi me alegrando mais, ficando mais confiante de poder, em um primeiro momento, ter as oportunidades – afirmou Paulinho Boia em entrevista à SPFCTV.

E a primeira chance apareceu logo no primeiro jogo pós-paralisação. Na última quinta-feira, o atacante entrou aos 39 minutos do segundo tempo da derrota contra o Bragantino e, dois minutos depois, arriscou uma boa jogada individual que não teve a melhor finalização possível.

Na partida seguinte, porém, diante do Guarani, o chute foi certeiro. Após sair do banco de reservas, aos 19 minutos da etapa final, Paulinho Boia precisou de três minutos para receber uma bola na intermediária, girar o corpo e acertar no ângulo.

– Sempre tem que ter minutagem de jogo, porque no treino você pode pegar confiança, mas chega no jogo e você erra uma ou duas bolas e já perde total confiança. Então um gol assim acho que dá uma confiança muito grande para um atleta, ainda mais a gente que é da base. Dá moral – disse Boia.

Com um time titular já definido, Fernando Diniz não deve dar tantas oportunidades para Paulinho Boia na equipe principal. No entanto, o garoto mostrou ser uma opção interessante para o lado de campo e com boa finalização.

Por conta da maratona de jogos que o clube terá nos próximos meses com a disputa do Campeonato Brasileiro, Copa do Brasil e Libertadores, o atacante tem a chance de, enfim, despontar com a camisa do Tricolor.

 

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.