Em casa, Diniz vê jogos de times que dirigiu e mantém papos com atletas

Fernando Diniz, técnico do São Paulo, não abandonou durante a quarentena o hábito de conversar individualmente com os jogadores. Por meio do celular, ele segue se comunicando com seus comandados com pautas sobre futebol e a vida. Leitura e estudo de futebol também fazem parte da rotina.

Diniz também segue em contato com a diretoria do Tricolor. Embora não tenha participado de maneira ativa da negociação com os atletas, ele foi consultado sobre a adequação salarial que o clube propôs (e vai colocar em prática) para o período de paralisação dos campeonatos devido ao coronavírus. Embora boa parte do elenco não tenha gostado da ideia de ter 50% dos salários suspensos e os direitos de imagem congelados durante esta crise, o clube acredita que é a única forma de sobreviver financeiramente.

No Tricolor, acredita-se que a maneira como Diniz lida com isso e a proximidade que ele tem com os jogadores pode facilitar a aceitação do grupo a esta medida. O treinador concedeu algumas entrevistas nos últimos dias, sempre sem sair de casa, por telefone ou chamada de vídeo, e em praticamente todas manifestou que sua preocupação neste momento é com as pessoas menos favorecidas.

– Espero que a sociedade, não só do Brasil, mas mundial, perceba que o mundo é cada vez mais uma ilha. Todas as pessoas precisam umas das outras. Essa desigualdade social no mundo não tem razão de ser. Podemos distribuir melhor a riqueza. O mundo produz muita riqueza, mas quanto mais riqueza a gente produz maior fica a desigualdade. A sociedade tem de repensar e procurar diminuir a desigualdade. No fundo, temos de viver cada vez mais em comunidade e se respeitando. É tentar viver de uma maneira mais equilibrada – disse ele, na quinta-feira, à ESPN Brasil.

Além das tarefas domésticas, o que inclui cuidar dos quatro filhos ao lado da esposa, o técnico do São Paulo tem utilizado o período de isolamento para assistir aos jogos do próprio Tricolor e de outras equipes que comandou na carreira para identificar possíveis correções e tentar elaborar novos tipos de treinamento.

Diniz também recorreu à leitura. Em suas redes sociais, o Tricolor publicou uma foto dele com o livro Antifrágil – Coisas que se beneficiam com o caos”, do autor libanês Nassim Nicholas Taleb, publicado em 2012.

Fernando Diniz está em alta no São Paulo. Até a parada dos campeonatos, o time vinha jogando bem, estava classificado às quartas de final do Paulistão e havia vencido a LDU (ECU) por 3 a 0 no Morumbi, com boa atuação, após estrear na Libertadores com derrota na altitude para o Binacional (PER).

Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.