Com receitas em baixa, Casares terá que buscar patrocinadores já

O presidente eleito do São Paulo, Julio Casares, terá que negociar quase todas as cotas de patrocínios da camisa do time a partir de janeiro, quando assumir o cargo que hoje é de Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco.

Das sete empresas que expõem suas marcas no uniforme, cinco (MRV, Banco Inter, Cartão de Todos, Urbano Alimentos e Betsul) têm contratos que terminam neste mês. Só duas, a Gazin e a Cimentos Cauê, têm acordos um pouco mais longos, até março.

A atual gestão não engatilhou a extensão dos acordos que estão para acabar, mas já iniciou conversas nesse sentido. Essas negociações serão tocadas, a partir desta semana, pela equipe de Casares nesse período de transição entre as duas administrações.

Segundo pessoas que participaram das reuniões, os atuais patrocinadores demonstram interesse em permanecer – o bom momento do time, líder do Brasileiro e na semifinal da Copa do Brasil ajuda.

O São Paulo tem constatado queda nas receitas com patrocinadores desde 2017, quando alcançou um pico de R$ 75 milhões, segundo estudo do banco Itaú BBA. Nos dois anos seguintes, esse valor caiu a menos da metade, com R$ 34 milhões em 2018 e 2019.

Em 2020, o clube orçou receitas de R$ 63 milhões, mas, em revisão aprovada na última semana, apontou que a tendência é de fechar o ano com apenas R$ 36,5 milhões – até setembro, segundo o blog do jornalista Rodrigo Capelo, tinha arrecadado R$ 23 milhões.

Não à toa, o orçamento para 2021 prevê uma receita menor para a próxima temporada, ainda sob o impacto da pandemia de Covid-19. O documento, que também foi aprovado na última semana, estima arrecadação de R$ 16 milhões com patrocinadores.

De acordo com a análise do Itau BBA, que usa dados dos balanços financeiros publicados neste ano com informações do ano passado, o São Paulo é o sexto clube que mais arrecadou com patrocinadores em 2019, atrás de Palmeiras (R$ 135 milhões), Flamengo (R$ 93 milhões), Corinthians (R$ 80 milhões), Grêmio (R$ 56 milhões) e Internacional (R$ 51 milhões).

 

Fonte: Globo Esporte

Um comentário em “Com receitas em baixa, Casares terá que buscar patrocinadores já

  1. Deixa para resolver isso em Fevereiro, depois do término dessa temporada. Se beliscarmos algum título, os valores podem e serão muito maiores.

    Vamos ver os novos gestores. E não vai continuar a putaria de omitir valores, né?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.