Colômbia elimina o Uruguai e entra na rota do Brasil

No retorno do Uruguai ao Maracanã, palco do último título mundial celeste, quem brilhou foi a Colômbia. Ou melhor, James Rodríguez, camisa 10 dos Cafeteros. O jovem de 22 anos confirmou a condição de revelação da Copa do Mundo ao marcar os dois gols do triunfo de 2 a 0 e colocar seu país pela primeira vez nas quartas de final do Mundial.

Agora, a Colômbia enfrenta a Seleção Brasileira na próxima sexta-feira, em Fortaleza, valendo vaga na semifinal da Copa. Os uruguaios voltam para casa sem chance de fazer um novo “Maracanazzo” no Rio de Janeiro após conseguirem uma grande classificação da fase de grupos, superando Inglaterra e Itália após perderem no primeiro jogo para a Costa Rica.

O JOGO

Como em todos os jogos na fase de grupos, o Uruguai começou retraído, povoando o meio de campo e deixando o adversário chegar para sair no contra-ataque. Sem Suárez, porém, a responsabilidade de puxá-los ficou com Rodríguez, que também é veloz, mas tem capacidade técnica muito menor. O veterano Forlán, substituto de Luisito, ficava enfurnado na área e voltava pouco, deixando Cavani com o dever de recuar para ajudar na recomposição.

A Colômbia, porém, desequilibrou os uruguaios desde o começo com a velocidade de seus meias. A dupla Cuadrado e Zúñiga infernizava a vida de Alvaro Pereira pela direita do ataque colombiano. James tinha lberdade para cair pelos flancos e chegar pelo meio. Foi em frente à zaga uruguaia que ele marcou um golaço, talvez o mais bonito da Copa. De costas para o gol, ele matou a bola no peito e, sem deixá-la cair, soltou uma bomba que escapou das mãos de Muslera. O gol obrigou o Uruguai a sair mais para o jogo. Cavani teve uma chance em cobrança de falta e Rodríguez obrigou Ospina a fazer boa defesa. E no primeiro tempo foi só.

Na segunda etapa, a Colômbia seguiu neutralizando o adversário e deu o golpe de misericórdia logo aos quatro minutos. Pablo Armero, que além de  coreografista das celebrações de gol com o famoso “Armeration” é peça importante do esquema de José Pekerman, cruzou no segundo pau para Cuadrado. O lateral/meia da Fiorentina teve grande senso de posicionamento, ao perceber a chegada de James pelo meio e dando um toquinho de cabeça para o camisa 10 completar para o gol.

Com o 2 a 0, o Uruguai abriu a caixa de ferramentas e começou a distribuir botinadas. A primeira vítima foi James, que levou uma calçada de Lugano. Depois foi Cuadrado, “levantado” por Arévalo Ríos. Cebolla Rodríguez fez o Uruguai voltar a jogar bola e obrigou Ospina a nova grande defesa. Tabárez tirou Forlán e Alvaro Pereira para colocar o time para frente. Vendo que seu time só dependia de Cebolla, também escalou o grandalhão Abel Hernández. A Colômbia relaxou e permitiu que os uruguaios crescessem o suficiente para dar alguns sustos na torcida que pintou o Maracanã de amarelo. Mas foi só. Cafeteros classificados e no caminho do Brasil. Sexta-feira tem mais!

FICHA TÉCNICA
COLÔMBIA 2X0 URUGUAI

Data e horário: 28/6/2014, às 17h00
Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Björn Kuipers (HOL)
Assistentes: Sander van Roekel (HOL) e Erwin Zeinstra (HOL) 
Público: 73.804 presentes
Cartões Amarelos: Giménez, Lugano (URU), Armero (COL)

GOLS: James Rodríguez (27′ do 1º tempo e 4′ do 2º tempo)

COLÔMBIA: Ospina, Zúñiga, Zapata, Yepes e Armero; Aguilar, Sánchez, Cuadrado (Guarín – 35′ do 2º tempo) e James Rodríguez (Ramos – 39′ do 2º tempo); Gutiérrez (Mejía – 22′ do 2º tempo) e Jackson Martínez. Técnico: José Pekerman.

URUGUAI: Muslera, Cáceres, Giménez e Godín; Alvaro Pereira (Ramírez – 8′ do 2º tempo), González (Hernández – 21′ do 2º tempo), Arevalo, Maxi Pereira e Rodríguez; Forlán (Stuani – 7′ do 2º tempo) e CavaniTécnico: Óscar Tabárez


Fonte: Lance

2 comentários em “Colômbia elimina o Uruguai e entra na rota do Brasil

  1. Acabou a copa e não vimos nada do Lugano a não ser chutões pra frente.
    Acho que o São Paulo precisa de um zagueiro melhor do que esse nível, que é o mesmo que temos no elenco hoje. Ainda acho muito arriscado contratá-lo, mesmo com tudo que ele já fez por nós no passado… vai acabar massacrado pela nossa torcida.

    • Concordo, Raphael.
      Para o Lugano também será muito melhor ficar fora do SP e preservar a fama de ídolo tricolor , conquistada na sua passagem pelo clube.
      Aliás, acho que, para o Lugano continuar na profissão, deverá abaixar muito suas pretensões salariais, bem como, suas escolhas por clubes importantes no cenário mundial. Ele nunca foi um jogador brilhante e, com a idade, sua força física deixou de prevalecer contra os adversários, transformando-o num atleta comum, igual aos que temos hoje na equipe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.