Arboleda afirma que São Paulo precisa de Diniz

O São Paulo vem vivendo um bom momento em duas frentes: no Campeonato Brasileiro, no qual é líder com um jogo a menos, e na Copa do Brasil, na qual está na fase da semifinal. Depois de ter sido eliminado precocemente de três torneios (Paulista, Sul-Americana e Libertadores), a reviravolta tem um grande nome: Fernando Diniz. Pelo menos é o que acha o zagueiro Arboleda.

– Antes da pandemia, a gente estava numa fase muito boa e o time estava muito encaixado, jogando bem, na Libertadores e no Paulista, e depois da pandemia, muito tempo parado, a gente voltou de uma maneira diferente, tanto treinador quanto os jogadores. Mas a gente sabe que Diniz é um bom treinador, sabe muito de futebol – disse o zagueiro em entrevista à ESPN na noite de sábado (6).

– Hoje em dia, o São Paulo precisa do Diniz, porque é um projeto que ele tem com a gente, de adaptação e entrosamento. Se a diretoria decidiu manter ele (após eliminações), é porque confia muito, porque ele é um bom treinador. Agora, na fase que a gente está, eu não trocaria (de técnico) se fosse presidente. A gente torce pelo mesmo lado. Agora ele dá um pouco mais de risada com a gente, há um companheirismo. A gente confia muito no trabalho dele – completou.

Além de ter falado sobre o técnico, que voltou a colocá-lo entre os titulares ao lado de Bruno Alves, seu velho conhecido, Arboleda também comentou sobre o momento atual do clube.

– Na verdade, eu acho que o São Paulo já passou por momentos bons, mas quando você vê e sente que está perto de conseguir algo, é quando o jogador mais se compromete, mais se motiva. O São Paulo está passando por um dos melhores momentos, pode-se falar assim, a gente está perto da liderança, temos jogo a menos. A única coisa que a gente pode fazer é conseguir essa liderança e aproveitar. Você sabe, o Campeonato Brasileiro é muito difícil, não tem jogo fácil e nem time fácil. Então, o que o Diniz fala é isso, que a gente está trabalhando da melhor maneira, cada vez se sente mais confortável para jogar, é a confiança que o treinador passa, que a diretoria passa para os jogadores. Acho que o São Paulo está no caminho certo e, se Deus quiser, vamos brigar e conseguir esse título.

Polêmica com a camisa do Palmeiras
Além de ter discorrido sobre os assuntos acima, o zagueiro ainda falou sobre a seleção equatoriana, sobre sua atuação ao lado de Bruno Alves, o início difícil… E não se esquivou das perguntas sobre a polêmica por ter vestido uma camisa do rival Palmeiras, segundo ele, por ter perdido uma aposta em 2019.

– Por mais que tenha pedido desculpas, os torcedores ainda lembram, isso me afetou muito. Passei dois ou três meses muito mal, arrependido para caramba, porque eu estava numa fase que a torcida gostava muito de mim, e acho que ainda gosta, mas esse erro me marcou muito – iniciou sobre o tema.

– Por mais que tenha sido uma brincadeira, uma aposta que eu perdi eu vesti essa camisa. Não foi porque eu torço para o Palmeiras. Foi uma aposta. Chorei muito. Me marcou muito, e ainda me marca. Eu não fiz porque queria fazer, porque queria brigar com o torcedor ou sair do São Paulo, foi só uma aposta. Fui inocente, uma inocência minha. Peço desculpas novamente a todos os torcedores, à diretoria, a todos os são-paulinos. Me arrependo – finalizou.

O São Paulo entra em campo neste domingo, às 16h, para enfrentar o Sport, pela 24ª rodada do Campeonato Brasileiro, no estádio do Morumbi.

 

Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.