Um argentino pela frente e depois, bem depois, o grupo da morte

Amigo são-paulino, leitor do Tricolornaweb, como se diz na gíria, foi “azar de goleiro”. O sorteio da Libertadores não poderia ter sido pior para nós. Enquanto a maioria dos times do Pote 1, da segunda fase, pegaram times mais fracos, nós caímos com o Talleres. É forte? Não, tipo Defensa y Justicia e outros iguais. Mas é argentino. E isso basta. E já fomos eliminados numa Sul-Americana dentro do Morumbi por um desses pequenos argentinos.

Mas vamos lá. Imaginemos que vamos passar pelo Talleres. Aí virá ou o Palestino ou o Independiente de Medelim. Até aí tudo bem. O susto é menor e não imagino o São Paulo eliminado por times pequenos do Chile ou da Colômbia. Será o fim da temporada em pleno mês de fevereiro.

Então chegamos à fase de grupos. E teremos como adversários o atual campeão da Libertadores, River Plate, que não bastasse por si só ser o detentor do título, também é argentino; o Internacional de Porto Alegre, de quem não conseguimos ganhar este ano no Brasileiro – empatamos no Morumbi e tomamos uma surra no Sul -; e o Alianza Lima, do Peru. Este, em minha opinião, que deverá ser o fiel da balança para se fazer pontos e saldo de gols, pois a briga estará centrada em River, Inter e, hipoteticamente, São Paulo.

Mas podemos colocar somente “azar” em nosso caminho? Claro que não. Fosse diferente nossa postura no segundo turno do Brasileiro e estaríamos na fase de grupos, não precisando nos desgastar com Talleres & cia. Poderíamos, até, galgar uma cabeça de grupo, o que facilitaria ainda um pouco mais o caminho. Mas não. Teremos esse caminho tortuoso e cheio de pedras por nosso próprio mérito.

Por outro lado, passando para a fase de grupos e conseguindo a classificação para a sequência, o que implicaria dizer que deixaríamos ou River ou Inter de fora, nos encherá de moral e manterá o embalo do time, num período do ano onde se indica crescimento natural da atividade física e do conjunto.

Entretanto, para chegarmos a algum lugar, é inevitável reforçar o elenco. Nesta segunda-feira já veio uma grande notícia: Pablo, do Athlético-PR vai ser anunciado ainda esta semana. Os números são muito altos para o investimento. Mas, para quem almeja voltar a ser protagonista, e não apenas coadjuvante, não quer saber de valores, mas de qualidade. E eu estou nesse time. Portanto, seja bem vindo, Pablo. E que outros desse nível para cima ainda cheguem. A torcida paga o investimento.

10 comentários em “Um argentino pela frente e depois, bem depois, o grupo da morte

  1. Agora com Hernanes e Pablo a conversa vai ser de Gente GRANDE !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Vamo que vamos. Vamos papar esta Liberta 19 pra nós!!!!!!!!!!!!!!

  2. Como o São Paulo vai pegar o River Plate atual campeão da América e o Internacional de quem não ganhou esse ano tudo bem. Só que o Internacional e o River Plate vão pegar o São Paulo que é nada menos que tri campeão da libertadores e tri campeão do mundo também. Eles vão se preocupar muito também pode ter certeza…

  3. Eu sou um otimista!

    Derrotarmos o Talleres de Cordoba e depois um pequeno do Chile ou Colômbia nos colocará no caminho do título… do título da Sul Americana.

    Batendo Alianza de Lima e ficando em terceiro no grupo vamos para as oitavas de final da Sul Americana e, quem sabe, podemos vencer na final a equipe de Itaquera.

    Aja pé frio!!! É muito azar! Aliado a incompetência, sem dúvida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.