SP é parceiro de programa que beneficia mulheres vítimas de violência

O São Paulo decidiu romper o contrato de Jean, se possível por justa causa, depois que ele agrediu a esposa durante uma briga nos Estados Unidos – o goleiro ficou preso de quarta para quinta-feira e já está liberado para retornar ao Brasil, mas continuará respondendo a processo. O clube decidiu tomar uma atitude dura, evidenciada em nota oficial, para mostrar que não tolera violência contra a mulher de maneira alguma.

Desde janeiro, aliás, o São Paulo tem um acordo de cooperação assinado com a Prefeitura e é colaborador do Programa Tem Saída, criado para aumentar a oferta de emprego para mulheres vítimas de violência doméstica ou familiar. Entre as 23 empresas que se comprometeram a ajudar, também estão Corinthians e Palmeiras.

De acordo com dados cedidos ao LANCE! pela Prefeitura, o Tem Saída intermediou a contratação de 184 mulheres desde agosto de 2018. Não há a confirmação se alguma dessas contratações foi feita diretamente pelos clubes, mas eles ajudam na divulgação e buscando empresas parceiras que possam abrir postos de trabalho, segundo a nota enviada à reportagem (leia a íntegra no fim do texto).

Causas como essa são uma preocupação constante do São Paulo, que criou em março de 2018 um seguimento chamado “O SPFC Se Importa” para se posicionar em diferentes assuntos. Em relatório enviado a conselheiros recentemente, o clube explicou o projeto da seguinte forma:

“Identificação de causas sensíveis em relação às quais o SPFC, enquanto agente social, não pode permanecer passivo. Tem como objetivo voltar a ação social do clube para iniciativas que promovam impacto verdadeiro, ressaltando a importância de, muito mais do que propagandear causas e monetizar a solidariedade, conseguir mensurar, minimamente que seja, de qual maneira a ação do SPFC promoveu, efetivamente, transformação social”.

Confira a íntegra da nota da Prefeitura sobre o Programa Tem Saída e a participação dos clubes:

O Programa Tem Saída da Prefeitura de São Paulo intermediou de agosto de 2018 a dezembro de 2019 a contratação de 184 mulheres. Para serem atendidas, as vítimas de violência doméstica e familiar devem formalizar a denúncia contra o agressor no Tribunal de Justiça, Ministério Público ou Defensoria Pública. O documento permite que a mulher seja direcionada ao Cate – Centro de Apoio ao Trabalho e Empreendedorismo da Prefeitura de São Paulo para avaliação do perfil profissional e encaminhamento para processos seletivos junto às empresas parceiras da iniciativa. Os clubes de futebol Corinthians, Palmeiras e São Paulo também aderiram ao Tem Saída em janeiro de 2019 apoiando o programa na divulgação da temática do combate à violência contra a mulher e na busca por empresas parcerias que disponibilizem vagas. Até o momento, o programa conta com 23 empresas parcerias que disponibilizam vagas específicas para este público. O programa Tem Saída é realizado pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Ministério Público, Defensoria Pública, Tribunal de Justiça, OAB – SP e ONU Mulheres.

 

Fonte: Lance

Um comentário em “SP é parceiro de programa que beneficia mulheres vítimas de violência

  1. Tem que mandar embora sim mas ao mesmo tempo quem vai pagar o investimento feito nele, acredito que se o dinheiro viesse deles e não do clube pensariam melhor oque fazer

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.