São Paulo tem semana decisiva pela contratação do goleiro Tiago Volpi

O São Paulo tem uma semana a partir desta terça-feira para definir uma das prioridades para 2020: a permanência ou não do goleiro Tiago Volpi.

A complicada situação financeira obrigou o clube a arrastar o negócio até os momentos finais de 2019. Por isso, o São Paulo deixou para tomar a decisão propositalmente entre o Natal e o Ano Novo. Tecnicamente não há dúvidas: o Tricolor está decidido de que contratar o goleiro é necessário. O problema é a parte financeira da operação.

Emprestado pelo Querétaro, do México, até o dia 31 de dezembro, Volpi tem uma cláusula de opção de compra fixada em contrato no valor de 5 milhões de dólares (cerca de R$ 21 milhões de reais). Esse valor seria pago de forma parcelada: 50% do valor ainda em 2019 e os outros 50% em quatro parcelas a serem pagas trimestralmente a partir de junho de 2020 até junho de 2021, de 625 mil dólares (cerca de R$ 2,5 milhões).

Para isso, o São Paulo conta com a venda de jogadores ainda neste ano e busca dinheiro. Na última reunião do Conselho Deliberativo, na semana passada, o clube apresentou um déficit de R$ 180 milhões, e a saída mais imediata para aliviar o caixa é a negociação de atletas.

Antony e Walce são os nomes do momento. O atacante desperta o interesse do Borussia Dortmund e recebeu sondagens do RB Leipzig, ambos clubes alemães. Embora o São Paulo tenha pressa para definir a situação, os europeus não demonstram urgência em fechar negócio pelo atacante imediatamente. Ou seja, é possível que a indefinição se arraste até janeiro de 2020.

O caso do zagueiro, por outro lado, é diferente. Walce também é observado pelo Leipzig, com o qual há uma possibilidade de fazer uma ponte com o Bragantino, que pertence ao mesmo grupo investidor do clube da Alemanha. O próprio Bragantino tem conversas em andamento com o defensor.

O São Paulo recusou a primeira sinalização de oferta por Walce (entre cinco e seis milhões de euros) nas últimas semanas, mas caso não haja vendas até o dia 31 essa postura pode mudar. A meta é conseguir R$ 80 milhões com venda de jogadores em 2019.

Caso não consiga aliviar o caixa com vendas, a contratação de Tiago Volpi ainda não está descartada. O Tricolor pensa em fazer uma manobra financeira (cortar gastos de 2020, diminuir a folha salarial ou antecipar receitas) para que a compra do goleiro seja viabilizada.

Há tempos o São Paulo está decidido a comprar Tiago Volpi do ponto de vista técnico. Agora corre para conseguir dinheiro, pois a eventual saída do goleiro causaria prejuízo na posição e ainda um mal-estar com a torcida. O jogador se tornou um dos grandes nomes da equipe neste ano e caiu nas graças dos são-paulinos, que fazem campanha nas redes sociais e perguntam sobre Volpi a cada postagem do clube em suas contas oficiais.

Em recente entrevista ao “Podcast GE São Paulo”, Volpi afirmou que já expressou seu desejo de permanecer no São Paulo e, inclusive, informou o presidente do Querétaro sobre sua vontade.

Um comentário em “São Paulo tem semana decisiva pela contratação do goleiro Tiago Volpi

  1. Um clube do tamanho do SP, com o CFA Cotia gerando jogadores aos montes… precisa contar moedas pra comprar um goleiro.

    Muito amadorismo…

    SP nunca foi o campeão das grandes contratações… a diretoria tem que olhar pra nossa história e olhar o que sempre deu certo.

    Base (Müller, Kaká, Cafu)+ jogadores de potencial escolhidos por bons olheiros (França, LF9, Palhinha, Miranda)

    As grandes contratações nunca deram certo… Sierra, Ricardinho, Ganso…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.