São Paulo bate Bayern e Barcelona e fatura a Legend Cup

O São Paulo proporcionou uma viagem no tempo aos pouco mais de 24 mil torcedores que foram ao Morumbi neste domingo. Com Muricy Ramalho comandando ídolos de diferentes gerações – sobretudo a multi-campeã entre 2005 e 2008 -, o Tricolor bateu Bayern de Munique (2 a 0, na semifinal, com gols de Falcão e Fabão) e Barcelona (3 a 0, na final, com dois gols de Dagoberto e um de Fabão) e foi campeão da Legends Cup, torneio de lendas idealizado por Diego Lugano e disputado pela primeira vez em 2019.

O são-paulino, que gritou “nosso freguês voltou” e “olé” para o Barça, revisitou diferentes memórias ao longo da tarde. Desde detalhes pequenos, como o fato de Richarlyson puxar a fila na entrada em campo, até a reedição de cenas históricas: o segundo gol da final deste domingo foi praticamente idêntico ao segundo gol da final da Libertadores de 2005, contra o Athletico-PR, com Cicinho batendo escanteio da direita e Fabão cabeceando para o gol. Na semifinal contra o Bayern, Fabão já havia feito o tricolor mais fanático lembrar de outro jogo especial ao comemorar seu gol exatamente como comemorou aquele que marcou no empate por 1 a 1 contra o Athletico-PR que garantiu o título brasileiro de 2006.

Foi possível ver Muricy Ramalho montando o São Paulo com dois ou três zagueiros, auxiliado por Carlinhos Neves, preparador físico com várias passagens pelo Morumbi, sendo a última em 2019; os sempre polivalentes Souza, Jorge Wagner e Richarlyson atuando em diferentes posições; Mineiro reeditando a ótima dupla com Josué e dando chapéu em Zé Roberto, atual assessor técnico do Palmeiras, que atuou pelo Bayern; Dagoberto e Fabão sendo decisivos em jogos importantes; Muller desafiando seu talento apesar das limitações causadas pela idade; e até Silas e Careca, esses de gerações mais antigas, em campo por alguns minutos.

A festa só não foi completa porque Rogério Ceni, que foi convidado e era esperado no Morumbi, não conseguiu comparecer – ele está em Teresópolis fazendo o curso da CBF para tirar a Licença Pro de treinadores. Raí, outro membro do olimpo tricolor, apareceu em campo uniformizado antes do torneio, mas nem ficou no banco.

A ideia de Lugano, superintendente de relações institucionais do Tricolor, é manter uma equipe de lendas do clube em atividade a partir de agora.

JOGO A JOGO, COMO FOI O TORNEIO:

Semifinal 1 – Barcelona 2 x 0 Borussia Dortmund
Os espanhóis garantiram vaga na final com gols de Giuly e Mendieta e grande atuação de Giovanni, ídolo do Santos.

Semifinal 2 – São Paulo 2 x 0 Bayern de Munique
O melhor jogo da tarde, muito mais intenso e pegado do que o anterior, com direito a entradas duras, discussões e até expulsões. O brasileiro Paulo Sérgio, do Bayern, trocou empurrões com Josué após um carrinho e ambos precisaram ser contidos – Lugano, acredite, estava na “turma do deixa disso”. Já Dagoberto foi expulso após se desentender com o lateral-esquerdo do Bayern, que também recebeu cartão vermelho.

O São Paulo marcou os dois gols no segundo tempo – cada etapa das partidas tinha 25 minutos de duração. No primeiro, Dagoberto chutou na trave após cruzamento de Jorge Wagner e Falcão conferiu no rebote. No segundo, Cicinho cobrou falta da esquerda, Bordon escorou no segundo pau e Fabão completou.

Muricy escalou o time com Zetti, Fabão, Lugano e Richarlyson; Souza, Mineiro, Josué e Jorge Wagner; Denilson, Dagoberto e Aloísio.

Roger, Bordon, Leandro Guerreiro, Cicinho, Muller, Careca e Silas entraram no decorrer do jogo.

3º lugar – Borussia Dortmund 3 x 2 Bayern de Munique
Enquanto os são-paulinos esperavam pela final, essa partida agitou alguns poucos torcedores das equipes alemãs nas arquibancadas. O Borussia abriu 3 a 0 com dois gols de Lucas Barrios (uma das poucas “lendas” que ainda não se aposentaram do futebol) e Koller. O Bayern encostou, com gols de Misimovic e Olic, mas não conseguiu empatar.

Final – São Paulo 3 x 0 Barcelona

Muricy escalou Roger, Fabão, Lugano e Bordon; Cicinho, Josué, Richarlyson e Jorge Wagner; Dagoberto, Denilson e Aloísio para uma partida que foi bem menos pegada do que a anterior.

Dagoberto - Legends Cup
Dagoberto fez dois na final – FOTO: Paulo Pinto/saopaulofc.net

Superior durante praticamente todo o tempo, o Tricolor marcou dois gols no primeiro tempo. Dagoberto abriu o placar cobrando pênalti sofrido por Denilson após pivô de Aloísio e Fabão, imitando aquele gol da Libertadores de 2005, fez o segundo. Já no fim, Dagoberto aproveitou lançamento de Souza e fez mais um, tocando por cobertura na saída do goleiro.

Souza, Muller, Silas, Careca e Ronaldão entraram no decorrer desta partida.

6 comentários em “São Paulo bate Bayern e Barcelona e fatura a Legend Cup

  1. A exibição de hoje das legendas do São Paulo FC, tem que servir de exemplo para os jogadores do elenco atual de como se veste o manto do São Paulo FC, raça, vergonha na cara e amor pelo clube que defendem, eles mostraram que tem amor pelo que defenderam, agora falta vcs pegarem os 3 requisitos deles e fazer o verdadeiro São Paulo FC, e não isso que vcs estão fazendo, pq na verdade vcs estão denegrindo o nome SÃO PAULO FC.

  2. Parabéns à todos, pena não ter o Careca, Ronaldão, Silas, mais minutem campo, cresci e aprendi a amar o tricolor com eles, revê-los em campo vestindo novamente o uniforme nos leva ao passado, nos trás lembranças não só no campo, nos trás lembranças familiares! Nos trás orgulho!

  3. Muricy bem que poderia retornar ao SPFC, até em jogos comemorativos ele sabe ser competitivo, ver Mineiro e Josué no meio dando combate com aquela idade faz vergonha os kbc de área São Paulino hj, é Dagol deu show

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.