Reta final do Paulista é trunfo do São Paulo para acabar com a pressão

São 16 jogos, nove vitórias, dois empates e cinco derrotas neste ano. Terminando a primeira fase do Campeonato Paulista somente com a quinta melhor campanha, o São Paulo quer dar fim aos protestos da torcida e às críticas da imprensa por conta do futebol aquém das expectativas e o jejum de títulos, que já dura mais de cinco anos. Precisando fazer valer o status de um dos maiores clubes do Brasil, o Tricolor vê na fase final do Estadual uma ótima oportunidade para se reerguer após seguidas temporadas de fracasso.

“Acho que a cobrança sempre vai ser muito alta. A torcida vem no seu limite, querendo títulos, resultados positivos a curto prazo. Nós que praticamos esportes temos que estar acostumados com a pressão. O mais importante é que dentro de campo possamos dar o nosso melhor. Que tenhamos o nível de concentração muito alto e consigamos os resultados positivos. Só com a vitória podemos sair da pressão”, disse Rodrigo Caio, que espera manter a sequência de vitórias após a classificação na Copa do Brasil.

De volta a São Paulo e com o dever cumprido ao superar o CRB por 3 a 0 no estádio Rei Pelé, o Tricolor já volta o foco para o primeiro jogo das quartas de final do Paulistão, contra o São Caetano. A equipe terá apenas essa sexta-feira para fazer alguns ajustes para o duelo, uma vez que entra em campo já no dia seguinte. Embora o curto espaço de tempo possa atrapalhar, o clube do Morumbi recuperou a confiança após marcar seis gols nas últimas duas partidas, saindo vitorioso em ambas, fato que pode pesar ante o Azulão.

“Sabemos que não podemos controlar os resultados, mas temos que dar o nosso melhor sempre. Graças a Deus recuperamos um pouco a confiança e vamos agora para dois jogos que definem uma semifinal para nós. Há um objetivo a ser alcançado, que é um título, principalmente o [Campeonato] Paulista, que é o título mais próximo. Temos uma responsabilidade muito grande, temos um cara que conhece muito bem a nossa equipe do outro lado. Precisamos estar bem atentos”, completou Rodrigo Caio, citando o técnico Pintado, comandante do São Caetano e que foi auxiliar técnico do São Paulo até julho de 2017, quando Dorival Jr assumiu a equipe.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.