Raí explica saída de Mancini do São Paulo e admite influência de jogadores

Raí explicou a saída de Vagner Mancini do São Paulo após um áudio do ex-coordenador técnico do Tricolor vazar na manhã deste sábado. No áudio (escute abaixo), Mancini diz que pediu demissão após ter sido prometido a ele sua efetivação como técnico da equipe e descobrir que Daniel Alves pediu a contratação de Fernando Diniz.

– Falamos isso (que os jogadores pediram Diniz). Logo que soubemos da notícia do Cuca já chamamos o Mancini porque precisávamos de um nome para o (jogo contra o) Flamengo. Queríamos saber se ele queria. Na nossa conversa, deixamos a possibilidade de ele continuar, mas não conversamos quanto tempo e quais as condições, deixamos para depois – afirmou Raí neste sábado após o empate do São Paulo sem gols com o Flamengo, no Maracanã.

– Depois, quando ele soube que conversamos com os jogadores, acho que ficou magoado, ferido, já não querendo mais a conversa. Isso foi o que aconteceu. Obviamente que a gente estava ali para contar tudo o que aconteceu, como a conversa com os jogadores, que foi muito positiva – completou.

Ao GloboEsporte.com, Vagner Mancini deu a sua versão dos acontecimentos e declarou que ficou constrangido com a situação. Segundo o ex-coordenador, a diretoria disse que ele estava efetivado e relatou que não teria mais clima para continuar no São Paulo após saber que os jogadores pediram a contratação de um outro profissional.

Sobre as declarações de Vagner Mancini, Raí não se aprofundou e elogiou o ex-coordenador técnico pelo trabalho feito no São Paulo. Ele ficou no clube por 9 meses e assumiu a equipe de forma interina na reta final do Campeonato Paulista.

– Teve um mal entendido, não vou entrar em detalhes. Cada um olha pelo seu prisma. Mas segue aqui a admiração – disse Raí.

Elogios a Fernando Diniz
O diretor do Tricolor também falou sobre a estreia de Fernando Diniz neste sábado. O São Paulo deixou o Maracanã com um empate sem gols e acabou com um aproveitamento de 100% do Flamengo dentro de casa no Brasileirão.

– Ele é diferente. O trabalho dele é muito claro, o estilo e filosofia de jogo. Isso é o que gostamos mais, o grupo e outras pessoas que consultamos. A filosofia se identifica com a história do clube, tem tudo a ver com os grandes momentos do São Paulo. Com essa qualidade de elenco que tem na mão e a competência que ele tem para impor a filosofia de jogo, não temos dúvida de que vai dar certo – analisou.

Fonte: Globo Esporte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.