Em momento de ‘insegurança’, Cuca recebe apoio do elenco do São Paulo

A rotina de tropeços dentro de casa ganhou mais um capítulo no São Paulo, desta vez foi o Goiás que conseguiu vencer no Morumbi e levar três pontos na bagagem. Como era previsto, protestos nas arquibancadas e em frente ao portão do Morumbi puderam ser vistos e ouvidos, levando um pouco mais de pressão ao trabalho de Cuca, que admitiu não estar confortável com a situação. Ainda assim, ele contou com o apoio das principais lideranças do elenco.

Em sua entrevista coletiva após a derrota da última quarta-feira, o comandante são-paulino reconheceu que passa por um momento de insegurança por conta dos resultados e da falta de desempenho de sua equipe, mas confia que ainda há margem para reverter a má fase e buscar vitórias importantes.

– Se você está no time grande e não consegue ter aproveitamento bom principalmente em casa, é óbvio que não nos sentimos seguros. Eu queria estar disputando título, aí me sentiria confortável. Lógico que não me sinto confortável com derrotas assim, mas precisamos ter confiança para reverter – analisou o treinador que perdeu a primeira como mandante no Brasileirão.

Reinaldo, que desperdiçou pênalti que poderia ter arrancado pelo menos um empate para o Tricolor, passou pela zona mista e declarou apoio ao técnico dividindo as responsabilidades e assumindo erros do grupo dentro de campo. A voz do lateral é importante por ser uma das principais lideranças do elenco.

– Quem faz as coisas dentro de campo somos nós. Eu tive a chance de fazer o gol e não fiz. O Cuca faz o que tem de melhor, ele orienta, faz sua preleção e manda fazer o que tem que fazer. Infelizmente a gente que não está conseguindo concluir em gol. Oportunidade de gol tem, mas falta colocar para dentro – avaliou o camisa 6.

Outro líder do grupo é Tiago Volpi, que quase sempre se dispõe a falar com a imprensa, principalmente nos tropeços. O goleiro foi mais um forte interlocutor a defender Cuca depois da derrota por 1 a 0 no Morumbi. Assim como Reinaldo, Volpi pensa que o problema precisa ser dividido com todos.

– Problema é de todos, aqui não é problema de um ou dois, o problema é de todo mundo. Quando ganha, ganha todo mundo, quando perde, perde todo mundo, a gente entende ele como líder do nosso grupo, como nosso treinador, é lógico que ele vai nos defender, mas estamos aqui para defendê-lo também. A gente é consciente que é um trabalho de todo mundo, a responsabilidade não pode ser só do treinador, a responsabilidade precisa ser dividida com todos e a gente se faz responsável por tudo o que está acontecendo – afirmou o arqueiro tricolor.

O São Paulo chegou ao terceiro jogo consecutivo sem vitória como mandante no Brasileirão, no qual o retrospecto do time dentro de casa é de apenas quatro vitórias, seis empates e uma derrota. Esse desempenho deixa o clube com a décima melhor campanha entre os mandantes da competição, podendo ainda perder posições até o término desta rodada.

No próximo sábado, às 19h, no Maracanã, o São Paulo pega o Flamengo, pela 22ª rodada do Brasileirão. Neste momento, o Tricolor ocupa a sexta posição na tabela, com 35 pontos, 13 a menos do que o Fla, líder da competição, um acima do Bahia, sétimo colocado na classificação.

 

Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.