Diego Aguirre é o novo técnico do São Paulo

São Paulo e Diego Aguirre acertaram um acordo, e o uruguaio é o novo técnico do time. A negociação estava avançada e foi definida de sábado para domingo. Conforme tínhamos anunciados na sexta-feira pela manhã no “Alguém me disse“, ele e Leonardo disputaram a preferência da diretoria.

Sem clube, Aguirre foi a opção mais viável financeiramente. Ele vai assinar contrato até dezembro de 2018. O vínculo não terá multa rescisória. Em enquete realizada pelo GloboEsporte.com, o uruguaio ficou em sétimo na preferência dos votantes. Vanderlei Luxemburgo e Cuca foram, de longe, os mais votados na pequisa.

Diego Aguirre vai substituir Dorival Júnior, demitido na sexta-feira após oito meses de trabalho. Jogadores do Tricolor sabiam desde a última sexta-feira da contratação iminente do uruguaio, que tem ótima relação com a diretoria.

Diego Aguirre, inclusive, tem a intenção de ir ao Morumbi neste domingo, quando o Tricolor encara o RB Brasil pela última rodada da primeira fase do Paulista.

Mas não pretende aparecer publicamente, pois não quer causar desconforto com o interino André Jardine, responsável por comandar a equipe, classificada para enfrentar o São Caetano no mata-mata do estadual.

Diego Aguirre é o novo técnico do São Paulo; ele jogou no clube no início dos anos 90 (Foto: Arquivo Histórico/São Paulo FC)

Diego Aguirre é o novo técnico do São Paulo; ele jogou no clube no início dos anos 90 (Foto: Arquivo Histórico/São Paulo FC)

O executivo de futebol Raí, o coordenador Ricardo Rocha e o superintendente de relações institucionais Lugano foram os grandes entusiastas da contratação de Diego Aguirre. O nome foi defendido pelo trio, e outros dirigentes do São Paulo se animaram, convencidos de que é um projeto com possibilidade de dar certo.

No Uruguai o nome de Aguirre é considerado para assumir a seleção celeste depois da Copa do Mundo na Rússia, após o possível fim do ciclo de Óscar Tabárez, desde 2006 no cargo.

O São Paulo tem conhecimento disso e deixou um pré-acordo estabelecido: combinou com o técnico que ele não deixará o clube no meio do ano e só sairá em dezembro, caso seja chamado para treinar a seleção do Uruguai. Essa é a condição para trocar o Tricolor pela celeste.

Os últimos estrangeiros Juan Carlos Osorio Edgardo Bauza saíram do São Paulo para assumir as seleções do México e Argentina, respectivamente.

Aguirre deverá ser acompanhado por três profissionais: dois auxiliares (Juan Verzeri e Raul Enrique Carreras) e um preparador físico (Fernando Piñatares).

Raí e Ricardo atuaram com Aguirre no São Paulo no início dos anos 90, e Lugano foi treinado por ele no Plaza Colonia, do Uruguai. Ou seja, reunir o quarteto no clube do Morumbi tem uma forte simbologia.

O técnico é adepto da filosofia de rodar o elenco e dar minutos de jogo para todos os atletas. Diego Aguirre considera inviável manter a intensidade necessária com o elevado número de partidas por ano e o desgaste causado pelos deslocamentos no futebol brasileiro.

Juan Figer, representante na época de Aguirre como jogador, tem bom trânsito com o presidente Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, e foi o responsável por conduzir as conversas com o Tricolor. Aguirre também é assessorado por Jorge Américo, que negociou a transferência do técnico com Internacional e Atlético-MG.

No São Paulo, Aguirre terá André Jardine como auxiliar fixo na comissão técnica. Ele foi informado do projeto do clube para o profissional e aceitou tê-lo ao seu lado.

Desde 2015, o São Paulo não fica mais de um ano com o mesmo treinador – foram seis, além de três interinos.

Currículo

Nascido em Montevidéu, Diego Vicente Aguirre Camblor, de 52 anos, iniciou a carreira de técnico em 2002. O último clube que dirigiu foi o San Lorenzo, da Argentina, de onde saiu em setembro após ser eliminado nas quartas de final da Libertadores, pelo Lanús.

No Brasil, o uruguaio comandou o Internacional, em 2015 (a equipe foi semifinalista da Libertadores, e o Atlético-MG (o time caiu nas quartas de final da Libertadores para o próprio São Paulo), em 2016.

Aguirre também foi jogador profissional de 1985 a 1999. No início dos anos 90, foi atacante do próprio São Paulo, onde chegou a atuar ao lado de Raí, atual diretor executivo de futebol do clube, e Ricardo Rocha, coordenador.

Foi no Peñarol que Aguirre teve mais destaque na carreira, tanto como jogador quanto como técnico. Foi dele o gol do último dos cinco títulos do time uruguaio na Libertadores de 1987, contra o América de Cali. Já no banco, em 2001, levou a equipe à final da competição continental, perdida para o Santos de Neymar.

Fonte: Globo Esporte

25 comentários em “Diego Aguirre é o novo técnico do São Paulo

  1. Excelente técnico… visão moderna do futebol.
    Bons trabalhos nos últimos 4 clubes…

    Ponto negativos: pede demissão com frequência e já é nome certo para assumir a seleção do Uruguai…

    Acredito que o projeto seja o Jardine em 2019…

  2. Um pensamento negativo apenas reflete o que a mente espera que aconteça, é dessa forma que vejo a rejeição de alguns ao novo técnico, no fundo estarão torcendo CONTRA para poder justificar a sua posição, eu suspeito do trabalho do Aguirre, não estou animado mas sou confiante sempre, é necessário acreditar para que as coisas possam acontecer, isso não é ser trouxa ou coisa parecida é ser positivo.

  3. O estrago de mais de uma década que foi feito no SP não se conserta em 3 meses, devemos dar apoio a nova diretoria, e nao exigir uma resposta pra ontem como muitos aqui fazem apesar de entender, tb estou sofrendo com tudo isto, mas temos que ser no minimo racionais, foram mais de uma década de destruicao e soberba do SP (digo JJ), nao queiram que a nova diretoria consertem isto em 6 meses, vamos dar tempo ao Rai, ele nao eh bobo, entende de futebol muito mais do que qualquer de nos, diretor, conselheiro ou outros bicões que aih estão.

    Boa Sorte Aguirre, de o seu melhor, estamos no mesmo barco.

    • É o que também penso. No Flamengo tem o gestor Rodrigo Caetano que gastou muito mas deixou de contratar um goleiro de nível no início da temporada passada, que contratou um Geovânio por 600mil mensais e hoje é terceiro reserva, e o clube carioca ganhou apenas o notório e decadente estadual.

      Nas pepas tem o Alexandre Mattos que queimou dinheiro, já teve três técnicos e não ganhou nada na última temporada. E se não ganhar nem um título importante este ano vai voltar para MG.

      E nós temos o Raí com 3 meses, com teto de gastos, troca de treinador e quase uma década sem títulos, com a responsabilidade de no primeiro ano ganhar títulos.

  4. Paulo Pontes, preciosos os dois últimos jornais da rádio. Concordo amplamente.

    Aguirre no São Paulo é sinônimo de que alugamos o clube pro Juan Figer. Nessa fase de penúria financeira pode ser uma saída. O empresário já facilitou a vinda de vários bons jogadores ao clube. Porém, é como diz o ditado, não existe almoço grátis. Qual será a contrapartida?

    Não tenho ideia preconcebida sobre Aguirre. O novo técnico precisará de umas três semanas, no máximo, para conhecer o elenco. A partir daí, penso que poderá ser avaliado. Claro, todo padrão de jogo demanda tempo para ser assimilado. Porém, já será possível perceber como ele aproveita os jogadores que tem em mãos. Como sempre, esperarei pelo melhor, com a fé de todo são-paulino.

  5. Boa sorte!

    Meu sentimento é de frio na barriga.

    Uma enorme incógnita!!!! Não podemos cobrar nada dele, pois a montagem do elenco é nível Administrador de ONG…

  6. Cuca, Felipão, Luxemburgo…livres no mercado… ai contratam um técnico que está atuando desde 2002 e não tem títulos.
    Há ele foi vice da libertadores…vice ninguém lembra…queremos vendedores…
    Felipão, Cuca ou Luxa

  7. Novamente jogo para diretoria!!!

    Com contrato até Dezembro, o planejamento vai ser pra ele como treinador???

    E se ele for pra seleção, o planejamento vem antes ou depois de um novo treinador???

    Ele sabendo que vai assumir a seleção, vai se dedicar a um projeto que ele não irá participar???

    E se o proximo treinador pedir novos jogadores, o Sr Confiem em mim vai contratar como???

    NADA CONTRA O PROFISSIONAL AGUIRRE!!!

    Mas estamos sem rumo!!!

    Vcs defensores dessa Aberração que é nosso planejamento não reclamem de elencos montados de 6 em 6 meses!!!!!

  8. Nome de treinador no São Paulo atualmente é o menos importante enquanto o clube ficar desmontando e refazendo elenco a cada 6 meses , trocando de técnico a cada 7 meses em dia , e trocando diretor de futebol a cada 6 meses , vamos ficar na mesmice e estagnado, o que precisa é um choque de gestão , mudar a mentalidade de gerir e comandar o futebol pelos lados do Morumbi.

    Tivemos Edgardo Bauza Bi Campeão de Libertadores , Muricy Ramalho , e o que mudou nos últimos anos? NADA.

    Como esperar resultados diferentes se as atitudes e mentalidade de se gerir futebol no clube são ultrapassadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.