Após oito meses, volante Fabrício volta a ser relacionado

Oito meses após operar o joelho esquerdo, o volante Fabrício voltou a ser relacionado para uma partida do São Paulo. Ele vai fazer parte do banco de suplentes do time reserva tricolor que vai a campo na partida contra o Guarani, no próximo sábado, às 16h20, em Campinas, pela sétima rodada do Campeonato Paulista. Contratado no início do ano passado, o jogador de 30 anos chegou com pinta de titular, mas uma série de lesões o fez jogar apenas quatro partidas em 2012.

Pouco depois de trocar o Cruzeiro pelo São Paulo, Fabrício sofreu com uma tendinite no tornozelo esquerdo. Por conta disso, ele só fez a sua estreia no fim de fevereiro do ano passado, diante do Bragantino. Porém, na metade do primeiro tempo, o atleta sentiu uma lesão muscular na panturrilha esquerda e precisou ser substituído. O catarinense só pôde voltar a atuar em abril, mesmo mês em sofreu uma lesão na coxa direita, contra o Mogi Mirim, que o deixou dois meses parado. No retorno seguinte, já no Campeonato Brasileiro, no dia 16 de junho, o volante sofreu uma grave lesão no joelho e foi operado. A recuperação durou oito meses e, apenas neste início de 2013, ele voltou a treinar com bola.
Fabrício vai aos poucos ganhando condicionamento físico para brigar por um lugar na equipe. Ele disputará posição com Wellington e Denílson por uma vaga de titular e, com Rodrigo Caio, por um lugar cativo no banco de reservas quando os principais jogadores estiverem em campo.
Outro volante também foi relacionado para o confronto, em Campinas, e terá chance de brigar por um lugar na equipe. Trata-se do garoto Gladestony, que chegou ao time tricolor no fim do ano passado para reforçar o time de juniores. Como estava no Twente, da Holanda, e veio num momento em que a janela de transferências estava fechada, o jovem de 19 anos não pôde ser inscrito na Copa São Paulo. Mesmo assim, subiu para o time principal e foi aprovado pelo técnico Ney Franco.
Antes de passar pelo futebol holândes, Gladestony, que pertence ao Desportivo Brasil, passou por um período de treinamentos no Manchester United, mas não vingou na Inglaterra.
“Eu saí de casa cedo para o mundo e peguei uma experiência muito grande com isso. Por cada lugar que passei, tive que me adaptar ao jeito de falar e de me expressar. Isso foi muito importante para o meu crescimento como atleta e também como pessoa”, afirmou o paulista da cidade de Bebedouro.
Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.