Valdivia vive antiga sina de Ganso, e clássico confronta “ex-craques”

Dois meias que carregam o rótulo de craque, mas que há tempos encaram a desconfiança da torcida por conta do histórico de lesões. Essa é a realidade vivida por Paulo Henrique Ganso e Valdivia. Ambos duelam neste domingo às 16h no clássico São Paulo e Palmeiras, no Morumbi, pela 11ª rodada do Campeonato Paulista, em mais um passo na busca pelo retorno do antigo status.

A situação de Ganso é mais tranquila. O são-paulino ainda carrega o respaldo dos torcedores mesmo com exibições bem abaixo da expectativa, e a condição de reserva insistida por Ney Franco. Já Valdvia sofre com a perseguição da principal torcida organizada do Palmeiras, a mesma sina pela qual o rival deste domingo encarou na temporada passada.

Ganso viveu intensa pressão da torcida santista até sair do clube em setembro de 2012. A situação é descarta por Valdivia atualmente. No entanto, o chileno terá que conviver com a fúria de parte dos palmeirenses até que demonstre estar livre das lesões, e volte a apresentar o mesmo futebol que o colocou como ídolo da torcida.

“Não me considero na mesma situação que a dele (Ganso). Tenho o apoio incondicional da diretoria e comissão técnica, com isso não posso falar se tem ou não. Mas o Ganso é grande jogador, ninguém discute isso, e se ele está passando por essa desconfiança, a qualidade que ele tem vai fazer com que volte a ser um jogador de seleção”, comentou Valdivia.

“Em todas as partidas, titular ou reserva, eu dou o meu melhor. Quero ajudar o São Paulo a conquistar muita coisa boa. O torcedor espera muito de mim. Espero fazer grandes jogos nas finais. Se acontecer antes, melhor ainda. Todo mundo sabe da minha qualidade. Não é só decidir os jogos, mas também ajudar o time deixando um companheiro na cara do gol”, disse Ganso.

A sina das lesões ainda assombra Ganso e Valdivia. O jogador do São Paulo tem duas lesões de ligamento sofrida no mesmo joelho, o esquerdo, e uma série de problemas musculares no histórico. Já Valdivia tem a fibrose na coxa esquerda como a responsável por diversas ausências em jogos do Palmeiras nos últimos quatro anos.

Médicos de São Paulo e Palmeiras avisam que os jogadores não sofrem mais com os problemas passados. Só que a visão dos torcedores não é a mesma. Ganso e Valdivia também não são mais os camisas 10 de Brasil e Chile por conta da incrível queda de rendimento nos dois últimos anos.

O duelo no Morumbi serve para que os dois meias demonstrem sinais de que a velha forma está de volta. No primeiro clássico de Ganso no ano, justamente contra o ex-clube Santos, que venceu o São Paulo por 3 a 1, na Vila Belmiro, o meia não correspondeu às expectativas criadas. Agora, o camisa 8 não tem nem a garantia de titularidade. Já Valdivia, de fora do recente duelo diante do Corinthians por uma lesão na coxa esquerda, faz o primeiro clássico do ano sob perseguição da Mancha Alviverde, sina que Ganso só superou quando trocou de clube.

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*