Vaiado, Ney explica Ganso no banco: ‘Trabalho com 30, não com um’

O meia Paulo Henrique Ganso foi um espectador de luxo na vitória do São Paulo por 3 a 2 sobre o Oeste, neste domingo, no Morumbi. Sem ser escolhido pelo técnico Ney Franco para começar o jogo, nem entrar no decorrer dele, Ganso passou os 90 minutos no banco de reservas.

E ouviu o treinador ser chamado de burro pelos torcedores após a terceira substituição da partida – Cañete entrou no lugar de Jadson. Sem ligar para os protestos, o técnico tentou explicar sua opção.

– O Ganso estava no banco. Eu fiz três substituições e achei interessante colocar outros jogadores. Como treinador, trabalho com 30 atletas, não com um só. Ele está treinando, trabalhando forte, mas hoje, por minha opção, não entrou – explicou Ney.

Desde o início do jogo, o técnico se mostrou incomodado ao ter de responder questões sobre Ganso. Maior contratação do Tricolor nos últimos anos, o meia não teve a sequência desejada e externou sua insatisfação após ser substituído no clássico contra o Palmeiras, domingo passado. Agora, teve o nome gritado pelos mais de 7 mil torcedores que foram ao Morumbi.

– Não sei interpretar os gritos, podem ser de força para o jogador, ou uma crítica ao treinador – resumiu Ney Franco.

O Tricolor volta a campo na próxima quarta-feira, contra o São Bernardo, às 22h (horário de Brasília), pelo Campeonato Paulista. O próximo confronto da Libertadores é dia 4 de abril, contra o The Strongest, na Bolívia.

Fonte: Globo Esporte

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*