Tricolor quer retomar vitórias sobre o Santos após ser freguês de Neymar

São Paulo e Santos se enfrentam neste domingo, às 16h, no Morumbi e colocam à prova marcas de uma rivalidade renovada nos últimos cinco anos no Campeonato Paulista. Enquanto os tricolores têm larga vantagem no confronto ao longo da história do torneio, o Peixe tenta defender supremacia construída graças ao talento de Neymar.

Em 168 duelos, o São Paulo levou a melhor em 75 e o Santos em 48. Nos gols marcados, boa vantagem do time da capital: 311 a 238. A maior sequência invicta também pertence aos são-paulinos, que emplacaram 16 jogos sem derrota entre 1940 e 1948. O recorde do Peixe foi obtido entre 1967 e 1969 com oito partidas. A maior goleada aconteceu em 1944, quando o Tricolor aplicou sonoros 9 a 1.

O San-São passou por momentos de equilíbrio, como nas décadas de 1950 e 1980. De 2000 a 2008, os tricolores retomaram a supremacia e não perderam uma partida sequer para o rival no Paulistão. No ano seguinte, porém, a história começou a ser reescrita graças ao gol solitário do colombiano Maurício Molina na Vila Belmiro.

Naquele dia 1º de março, o jogador que seria o rei do clássico nos anos seguintes ainda era uma promessa em processo de desenvolvimento. Houve quem considerasse precoce a promoção de Neymar ao time profissional. O garoto provou o contrário e logo conquistou o vice-campeonato paulista. O melhor, no entanto, estava guardado para 2010.

Neymar dava show, mesmo à sombra de Robinho. A dupla estreou justamente contra o São Paulo, com pênalti de paradinha do jovem e golaço de letra do veterano. Wesley e Paulo Henrique Ganso colaboraram e, na semifinal, passaram novamente pelo rival com duas vitórias: 3 a 2 e 3 a 0. Em 2011, dois encontros e mais dois triunfos do Peixe. Um deles novamente para tirar as chances tricolores de chegar à final.

Em 2012, o time do Morumbi derrubou Neymar pela primeira vez graças a Lucas e Luis Fabiano na primeira fase do Paulistão. A revanche foi cruel e, mais uma vez, na semifinal. Sem se incomodar com a torcida adversária, a melhor campanha do rival ou a fama de bom marcador do paraguaio Ivan Piris, Neymar deu show. Três gols e caminho aberto para a conquista do terceiro Paulistão consecutivo.

O último encontro dos são-paulinos com Neymar aconteceu na temporada passada. Na Vila Belmiro, fez de pênalti para ajudar na vitória por 3 a 1. Para chegar ao oitavo gol em sete edições do San-São. O roteiro do tetracampeonato acabou atrapalhado pelo Corinthians na final e, meses depois, Neymar passou a vestir a camisa do Barcelona. E o fim da era do camisa 11 no Santos, o São Paulo espera retomar a soberania no clássico.

Para isso, o técnico Muricy Ramalho deve promover o retorno de Rodrigo Caio à defesa na vaga de Roger Carvalho, muito criticado no empate em 1 a 1 com o São Bernardo. Os tricolores têm 14 pontos e esperam diminuir a diferença para o líder Penapolense para um ponto no Grupo A. Já o Santos, primeiro colocado no Grupo C com 22, terá Alan Santos na vaga de Leandrinho e Gabriel apenas no banco de reservas. O zagueiro Gustavo Henrique também voltará ao time titular.

FICHA TÉCNICA: 
SÃO PAULO X SANTOS

Local: Morumbi, São Paulo (SP)
Data/Horário: 23/02/2014 – 16h
Árbitro: Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza
Assistentes: Emerson Augusto de Carvalho e Marcelo Carvalho Van Gasse

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Paulo Miranda, Rodrigo Caio, Antonio Carlos e Alvaro Pereira; Souza, Wellington (Maicon) e Ganso; Ewandro, Pabon e Luis Fabiano. Técnico: Muricy Ramalho

SANTOS: Aranha; Cicinho, Neto, Gustavo Henrique e Mena; Arouca, Alan Santos e Cícero; Geuvânio, Thiago Ribeiro e Leandro Damião. Técnico: Oswaldo de Oliveira

Fonte: Lance

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*