Tricolor encara Ponte e torcida contra para criar “gordura” no Paulista

O São Paulo faz neste sábado, às 19h30 (de Brasília), contra a Ponte Preta, sua décima partida na temporada, mas apenas a segunda diante de uma torcida adversária e um ambiente de visitante. Em busca de um triunfo, o terceiro de forma consecutiva, para confirmar o fim da crise pelos lados do Morumbi, os atletas querem criar uma “gordura” no Campeonato Paulista para poderem voltar as atenções à Taça Libertadores da América em março.

Até o momento, a única vez em que atuaram diante de uma grande torcida adversária foi contra o Corinthians, pela quarta rodada do Estadual, quando saíram derrotados por 2 a 0. Antes, haviam visitado o Universidad César Vallejo-PER, time que possuía poucos torcedores apesar da boa presença no estádio Mansiche, e o Red Bull, que mandou o jogo no mesmo Moisés Lucarelli, com maioria da torcida sendo são-paulina.

Sendo assim, contra os ponte-pretanos, os comandados de Edgardo Bauza terão uma prévia do que enfrentarão no dia 10 de março, contra o River Plate, pela segunda rodada da fase de grupos da Libertadores. Até lá, no entanto, terão três jogos pelo Estadual, encarados como essenciais para dar tranquilidade à equipe na busca de uma recuperação no torneio continental.

“Antes dessas duas vitórias (contra Rio Claro e Novorizontino) a gente já tinha se reunido e falado que tínhamos de buscar pontos. Estávamos muito atrás da Ferroviária e do Audax. Conseguimos esse objetivo, agora vamos encarar a Ponte Preta, jogo difícil, mas tentar buscar outra vitória para criar essa “gordura” no Paulista”, analisou o volante Hudson, que volta a ser titular após descansar contra o Novorizontino.

Além dele, as mudanças em relação ao time que venceu no meio da semana contam com a entrada de Lugano na zaga, dando descanso a Rodrigo Caio, e o retorno dos titulares Bruno, Mena, Paulo Henrique Ganso e Jonathan Calleri. Wesley, por sua vez, foi mantido pelo lado direito, confirmando a condição de reserva ao argentino Centurión, bastante criticado pela torcida.

A saída do avante, por sinal, é um sinal de que Bauza já está satisfeito com a organização da equipe, seu principal objetivo neste início de ano. Agora, a busca do comandante é por um São Paulo que faça mais gols, além de conseguir se defender bem. “Estou feliz com o que conseguimos em termos de organização, mas acho que é evidente que precisamos ser mais inventivos na frente”, avaliou Patón.

Do outro lado, a Macaca tenta confirmar a sua recuperação no Paulista. Ainda na zona de rebaixamento da competição devido ao mau início, os campineiros conseguiram uma boa vitória por 3 a 1 sobre o Audax, na quarta-feira, a primeira em seis jogos. Agora, buscam mais uma boa atuação frente ao principal rival da sequência próxima de partidas.

“Não adianta termos feito uma boa partida na quarta-feira diante do Audax se chegarmos no sábado e não tivermos uma boa atuação contra o São Paulo. A concentração já está totalmente voltada para este adversário e queremos ter mais um grande resultado”, analisou o goleiro João Carlos.

FICHA TÉCNICA
PONTE PRETA X SÃO PAULO

Local: estádio Moisés Lucarelli, em Campinas (SP)
Data: 27 de fevereiro de 2016, sábado
Horário: 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Flavio Rodrigues de Souza (SP)
Assistentes: Carlos Augusto Nogueira Junior e Luis Alexandre Nilsen (ambos de SP)

PONTE PRETA: João Carlos; Jeferson, Tiago Alves, Fábio Ferreira e Reinaldo; Jonas, Élton, Felipe Azevedo e Clayson; Rhayner e Wellington Paulista
Técnico: Alexandre Gallo

SÃO PAULO: Denis; Bruno, Lugano, Maicon e Mena; Hudson, Thiago Mendes, Wesley, Ganso e Michel Bastos; Calleri
Técnico: Edgardo Bauza

Fonte: Gazeta Esportiva

2 comentários em “Tricolor encara Ponte e torcida contra para criar “gordura” no Paulista

  1. Melhorar o ataque sem atacantes: este é o objetivo do Patão. Isto, para mim, é pior que o professor pardal: se conseguir podem lhe dar um diploma pelo fato.
    Três volantes – um quase morto (todo mundo sabe quem), para jogar contra a PP que está muito mal, e o homem fala em melhorar a criatividade da equipe?
    Vamos esperar pra ver, mas acho que vai ser mais um sofrimento…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*