Time do SP na Copinha expõe falha de formação e geração perdida de 95

O São Paulo leva o rótulo de ser grande clube revelador de jogadores dos últimos anos no Brasil, exalta produtividade e excelência das categorias de base em Cotia e tem argumentos para se defender: só com a venda do meia Lucas ao Paris Saint-Germain (FRA), por exemplo, recebeu R$ 86 milhões. No entanto, a atual edição da Copa São Paulo – para a qual o clube é um dos favoritos à conquista do título – revela uma falha da formação tricolor e uma geração, de 1995, que não conseguiu se firmar ou produzir bons jogadores.

O time titular do São Paulo que estreou na Copinha com empate contra o Kashiwa Reysol, do Japão, teve quatro jogadores nascidos em 1994 – que completam 20 anos em 2014, idade máxima para o torneio – e sete nascidos em 1996. A equipe é muito jovem e tem, em sua maioria, atletas longe do limite de 20 anos de idade. No time, nenhum nascido em 1995, entre 18 e 19 anos.

No total, o time do São Paulo que disputa o torneio sub-20 é, em sua maioria, sub-18. São 13 jogadores nascidos em 1996, dos 25 inscritos. Quatro nasceram em 1994, seis em 1995 e dois em 1997.

No ano passado, a geração de 1995 foi predominante no time da Copinha. Chegou às quartas de final, foi eliminado pelo Goiás, e não encantou. O único aproveitado entre os profissionais daquela equipe foi o meia Lucas Evangelista, que inicia 2014 treinando sob o comando de Muricy Ramalho, no CT da Barra Funda. Ele, especificamente, não é formado pelo São Paulo. Passou a maior parte da carreira amadora no Desportivo Brasil, foi, saiu e voltou ao São Paulo. Uma disputa entre agentes pode até tirá-lo do São Paulo nesta temporada.

As maiores revelações do São Paulo nos últimos anos vão até a geração de 1993. O zagueiro Breno, que despontou jovem com Muricy Ramalho e marcou a primeira grande venda de Cotia, é de 1989. Depois dele, a grande aposta foi Oscar, de 1991, que deixou o clube após disputa jurídica e hoje é titular da seleção brasileira. Da geração seguinte, de 1992, saíram Lucas e Casemiro, que hoje também atuam em grandes times da Europa. Como último grande nome surge Rodrigo Caio, de 1993: titular absoluto em 2013, foi um dos únicos que se sobressaiu durante o período de crise, passou a ser agenciado pelo português Jorge Mendes, mesmo empresário de Cristiano Ronaldo, e inicia 2014 com a certeza que será titular.

 

Fonte: Uol

4 comentários em “Time do SP na Copinha expõe falha de formação e geração perdida de 95

  1. Sinceramente Paulo, uma infelicidade você postar essa copia de matéria feita pelo Guilherme no portal UOL. O São Paulo em 2013 teve 23 jogadores convocados para seleções de base, em 5 campeonatos diferentes, superando qualquer outro time brasileiro. O São Paulo, foi e continua sendo o melhor formador de atletas do Brasil. Burrice dos técnicos que não aproveitam os jogadores da base. Auro, Boschilia, Evandro, Gustavo, são exemplos de jogadores que precisam subir ao profissional esse ano, senão para serem titulares, ao menos ganhar experiencia…
    Minha opinião.

    Abraço

    • Mayrom, o fato de publicarmos a matéria não significa que estamos de acordo com ela. Ela é posta para que os leitores concordem ou não e, como você está fazendo, emitam suas opiniões. Mas, sinceramente, vou esperar mais um pouco para falar desta geração. Ela é vencedora nesse momento, pois “conseguiu” a classificação, mas se amanhã for derrotada, será analisada como fracassada. Por isso prefiro esperar mais um pouco. E não podemos negar que perdemos, sim, ao menos duas gerações. Me dê um nome que seja da geração de 94 ou de 95 que tenha vingado.O Lucas Evangelista? Mas saiba que o debate aqui é sempre salutar. Abraços!

      • Lucas Farias, Mirray, Ademilson, Lucas Piazon assim como o Lucas Evangelista (todos nascidos em 94 ou 95), pra mim são exemplos de jogadores que se melhor treinados e melhor assessorados poderiam e podem dar muito certo no time do São Paulo. Agora, se a diretoria e os técnicos que passaram não souberam aproveitar, é verdadeiramente uma lastima… Mas como você disse, vamos esperar pra fazer julgamentos, acredito que essa molecada que disputa a copa São Paulo, se bem treinada e assessorada, pode dar muitas glorias ai nosso TRICOLOR… Abraço Paulo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*