Spartak veta empréstimo, e Welliton não deve ficar no São Paulo em 2014

O São Paulo recebeu a resposta do Spartak Moscou (RUS) após iniciar a negociação para ficar com o atacante Welliton, de 27 anos, em 2014: os russos recusaram os dois modelos apresentados, para estender o empréstimo do jogador ao clube do Morumbi, disse que só aceita vende-lo e frustrou as expectativas são-paulinas. Agora, a diretoria tricolor já admite que não deve contar com o atleta na próxima temporada.

Aos russos, o São Paulo havia oferecido dois modelos de negócio. Como Welliton tem contrato com o Spartak Moscou apenas até o fim de 2014, os dirigentes sabiam que uma oferta simples de renovação do empréstimo seria recusada. Por isso, propuseram que os russos renovassem com o jogador por três anos, para que aprovassem novo empréstimo de um ano ao Morumbi, com prioridade de negociação ao São Paulo ao término de cada temporada. Outra possibilidade proposta foi a cessão dos direitos econômicos do atacante ao clube paulista, em troca do valor recolhido em uma revenda no futuro, que seria repassada ao Spartak.

A resposta do Spartak foi enfática. Não existe chance de renovar o empréstimo, ou de ceder os direitos econômicos na alternativa proposta. O clube russo afirma que só aceita negociar o jogador definitivamente, modelo de negócio no qual o São Paulo não pretende entrar. A diretoria avalia que o valor pedido pelos russos é muito alto, fora de mercado e ainda teria de pagar salário próximo ao teto do elenco para Welliton – atualmente, Grêmio e São Paulo dividem os vencimentos do atleta, que teve o empréstimo repassado pelo clube gaúcho, no qual ficou entre janeiro e agosto.

Se não houver reviravolta inesperada no caso, Welliton se reapresentará em Moscou em janeiro. O São Paulo não vê mais alternativas e agora lamenta a perda. A diretoria tinha esperança de que o jogador pudesse assumir papel como titular da equipe em 2014 se permanecesse. O departamento de futebol só iniciou a negociação pela permanência após pedido do técnico Muricy Ramalho, que avalia que o atacante poderia ser um dos protagonistas do time se fizesse a pré-temporada do próximo ano com os demais companheiros – a comissão técnica analisa que o atleta está distante de sua melhor forma física.

A provável saída de Welliton abre caminho para que Luis Fabiano tenha menor concorrência e se consolide como titular caso permaneça. A diretoria diverge nas análises sobre o camisa 9, mas concorda que deve entrar em negociações se for consultada por clubes do exterior por uma venda. Serão intensificados os esforços para contratar jogadores para o setor ofensivo – o que já era prioridade torna-se necessário pela carência de opções.

Ídolo na Rússia, Welliton não conseguiu repetir o desempenho em sua volta ao Brasil, em 2013. Mesmo assim, ele tem alto valor de mercado e por isso torna a contratação definitiva inviável para o São Paulo. Em 2011, o Wolfsburg (ALE) ofereceu 18 milhões de euros pelo jogador, e teve a proposta recusada pelo Spartak Moscou. O clube alemão acabara de vender os artilheiros Edin Dzeko, bósnio, ao Manchester City (ING), e o brasileiro Grafite, ex-São Paulo, ao Al Ahli (EAU), e procurava suprir a carência com um goleador do mesmo nível.

Welliton foi revelado pelo Goiás, clube no qual despontou como jogador promissor, antes de ir à Rússia. Em fevereiro de 2013, voltou ao Brasil para tentar ficar aos olhos da seleção brasileira.

 

Fonte: Uol

4 comentários em “Spartak veta empréstimo, e Welliton não deve ficar no São Paulo em 2014

  1. Os russos ajudando o SPFC a montar um time melhorzinho.
    Esse Welliton é muuuuuuiittto ruim.
    Menos mal. É só ver se o Muriçoca não vai bater o pé e fazer muxoxo para o SP contrata-lo a peso de ouro

  2. O São Paulo deve estar querendo o jogador por algum projeto de caridade, só pode ser isso, pois futebol ele não tem. Tanto que não tem, que o próprio Spartak não é retardado de renovar com o limitado jogador por mais três anos…
    Só o São Paulo é capaz de fazer alguma loucura para ter o jogador. É provável dele voltar para a Rússia e acontecer o mesmo que com o Denilson no Arsenal, cujo contrato foi rescindido quando ele voltou. Quer dizer, se o São Paulo quiser o jogador tem que pagar, mas se ele voltar para lá acaba dispensado.

  3. Ainda bem, nos ajudou a compor o elenco na reta final.
    A meu ver ajudou sim, mas temos gente melhor por muito menos.
    Walter, seguramente nao ganha a metade do salario de Welliton,
    e e infinitamente melhor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*