Sem reforços, São Paulo veta até saída de Silvinho e assume ficar sem opção

A diretoria do São Paulo já procurava reforços para o ataque quando terminou a temporada com diversas opções – porém ineficazes – para o setor. Após a virada do ano, a equipe se reapresentou sem Aloísio, vendido ao Shandong Luneng (CHN), e Welliton, que retornou ao Spartak Moscou (RUS), e aumentou a necessidade de contratações. Agora, a carência é tanta que a diretoria tricolor vetou a liberação de Silvinho, última opção para o setor e que não marcou nenhum gol com a camisa do clube desde que foi contratado, em maio de 2013.

Silvinho está emprestado pelo Penapolense até o fim de abril de 2014. Como não tem espaço no São Paulo e servia apenas como cobertura ao elenco até o fim do ano passado, seus representantes conversaram com a diretoria do São Paulo para saber se existia a possibilidade de romper o vínculo antecipadamente, em janeiro, para permitir que o jogador se transferisse para outro clube, onde poderia jogar com mais frequência. A Ponte Preta, entre outros clubes, demonstrou interesse na contratação do jogador. O São Paulo, no entanto, deu resposta negativa e disse que precisa tê-lo no plantel.

A necessidade de segurar Silvinho reflete a carência de opções e a preocupação da diretoria diante do fracasso nas negociações. Atacante que atua pelos lados do campo, o jogador não conseguiu marcar nenhum gol desde que foi contratado e nunca conseguiu garantir vaga no time titular. Mesmo assim, se faz necessário.

Entre o fim de 2013 e início de 2014, a diretoria são-paulina fracassou em diferentes negociações com peças para o setor ofensivo. Marcelo Cirino, do Atlético-PR, eleito revelação do Brasileirão, foi um dos alvos do clube. O São Paulo, no entanto, esbarrou no alto valor e na má relação do presidente atleticano Mario Celso Petraglia com o clube. Marlone, outro alvo, foi procurado com atraso, quando já havia aceitado trocar o Vasco pelo Cruzeiro.  Eduardo Vargas, do Napoli-ITA, está próximo do Santos e deve mais uma vez preterir o São Paulo.

Neste momento, as opções ofensivas do elenco, além de Silvinho, são apenas Osvaldo, Ademilson e Luis Fabiano.

A diretoria tricolor também já admite que existe o risco de não ter em 2014 um reserva imediato para Luis Fabiano, que desde 2011, quando retornou ao Morumbi, é o titular que desfalca o time com maior frequência.  “A possibilidade sem dúvida nenhuma existe, à medida que até o momento não contratamos nenhum jogador para o ataque. Aloísio saiu por contingências alheias às nossas vontades. A saída dele não era nosso desejo. É uma posição, eu concordo, com a qual estamos preocupados, que vamos tentar trazer mais um jogador para completar esse elenco”, admitiu o vice-presidente de futebol do São Paulo, João Paulo de Jesus Lopes, na terça-feira, durante a apresentação do lateral direito Luis Ricardo, único reforço contratado até agora para 2014.

Por ora, a diretoria são-paulina adota o discurso de que não há opções disponíveis no mercado. Os dirigentes afirmam que esperam que jogadores como Jadson e Osvaldo se recuperem da má fase para que possam ser considerados reforços para a nova temporada. “Nós também não temos uma abundância de valores disponíveis no mercado. A realidade momentânea do futebol brasileiro, é um ciclo que estamos atravessando, não ter tantos atletas disponíveis naquelas posições que o São Paulo pretende contratar. Tenho certeza que vamos conseguir contratar outros jogadores”, acrescenta Jesus Lopes.

 

Fonte: Uol

 

Nota do PP: sem comentários.

3 comentários em “Sem reforços, São Paulo veta até saída de Silvinho e assume ficar sem opção

    • Não foram tão enganados assim pelo tanto que irão ganhar por mês.
      Enganados mesmo somos nós torcedores que lotamos o Morumbi no ano passado para ver um time ruim e fraco, que quase foi rebaixado e fechou com chave de ouro o ano perdendo em casa vergonhosamente do Santos de Campinas na Sul Americana, e será para esse mesmo time que iremos ter que torcer este ano novamente.

  1. O ‘projeto’ ou a ‘missao’ de jogarmos a Segunda Divisão em 2015 continua a todo vapor.
    Essa notícia é definitivamente o melhor exemplo de “insanidade” definida por Einstein, que é fazer sempre a mesma coisa e esperar resultados diferentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*