Sem pensar no Corinthians, Tricolor prevê cobrança até Libertadores voltar

Assim como o Corinthians, o São Paulo preferiu deixar para pensar no clássico do próximo domingo apenas no final desta semana. Sem temerem a cobrança referente à má fase na Copa Libertadores e pessimistas quanto ao fim da pressão, os jogadores adotam como foco o confronto desta quarta-feira, às 22 horas (de Brasília), diante do Paulista de Jundiaí, pela 15ª rodada do Estadual.

“Vitória é sempre importante, mas acho que ainda vamos ter um pouco de cobrança até o jogo da Libertadores, que é o jogo que a torcidaquer”, explicou o meio-campista Maicon, abrindo a entrevista coletiva concedida na segunda-feira, data da reapresentação do grupo dois dias depois de vencer o Bragantino por 2 a 1, no Morumbi. A partida marcou a terceira vitória consecutiva do Tricolor no Estadual, aumentando a confiança para a volta à Libertadores.

Após Oeste, São Bernardo e Bragantino, o São Paulo enfrenta Paulista de Jundiaí e Corinthians. Com 32 pontos e um jogo a menos em relação aos concorrentes, a equipe lidera de forma isolada o Campeonato Paulista. Já na Libertadores a situação é diferente: são quatro pontos somados, mesmo número do Strongest, em quatro partidas. O Atlético-MG já está classificado em primeiro lugar e, para manter o sonho vivo, o Tricolor precisa vencer os bolivianos, no dia 4, e o próprio Galo, 13 dias depois.

Fernando Dantas/Gazeta Press

O time do São Paulo quer alcançar um objetivo de cada vez e chegar motivado na Libertadores

“A gente lidera o Paulista, ainda tem dois jogos da Libertadores, então tem que pensar nos jogos do Paulista, vencer e chegar lá com moral”, admite o camisa 18 do Tricolor, que compartimenta ainda mais os objetivos dos próximos dias: “Vamos ter um jogo difícil, fora de casa, contra o Paulista, então é entrar lá e vencer. Depois pensa no Corinthians, em fazer um grande jogo em casa, com o apoio do nosso torcedor. Aí dá moral para o jogo da Libertadores”.

Ao contrário de Maicon, o atacante Wallyson, reconhece que a partida contra os bolivianos é a mais importante da temporada, mesmo sem a certeza de sua escalação entre os titulares: “Tem que pensar quarta-feira, depois domingo, e na segunda-feira tem que começar a pensar no jogo mais importante para nossa equipe no ano. Precisamos da vitória para decidir a vaga contra o Atlético-MG. Mas nossa equipe está tranquila, trabalhando forte”.

Os três triufos consecutivos serviram para o Tricolor, além de manter a vantagem na ponta da tabela do Paulistão, para espantar a ‘onda crítica’ que o clube vivia desde o empate por 1 a 1, no Pacaembu, contra o Arsenal. A situação se complicou ainda mais com a derrota sofrida diante do time argentino e as demonstrações de insatisfação de jogadores como Lúcio e Ganso.

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*