São Paulo vence na estreia de Pato, mas não elimina CSA

osvaldo

A tão esperada estreia de Alexandre Pato pelo São Paulo terminou com vitória por 1 a 0 para a equipedo técnico Muricy Ramalho. Na noite desta quarta-feira, no estádio Rei Pelé, o Tricolor conquistou uma vantagem contra o CSA nesta primeira fase da Copa do Brasil, mas não conseguiu eliminar a partida de volta.

Muricy surpreendeu na escalação, já que optou por tirar Ganso para colocar Pato. O reforço assumiu uma posição diferente da que ocupava na época do Corinthians, pois atuou um pouco mais recuado, ajudando na armação e carregando a bola para Luis Fabiano, que ficou mais avançado. Mesmo assim, Pato tinha liberdade para se aproximar de Pabon, pela direita, e de Osvaldo, pela esquerda do sistema ofensivo.

Mesmo permanecendo em campo por 90 minutos, Pato não repetiu seu ótimo retrospecto em estreias. Famoso por ter marcado gols nos jogos em que debutou por Internacional, Milan, Seleção Brasileira e Corinthians, o atacante teve boa movimentação e até teve um gol anulado, mas não deixou sua marca.

Assim, coube a Osvaldo balançar as redes. O atacante recebeu de Pato, deixou dois adversários para trás na área e finalizou sem chances para o goleiro. O gol serviu para dar a vantagem do empate ao Tricolor no segundo compromisso, que está agendado para 9 de abril, no Morumbi. O São Paulo só conseguiria eliminar o compromisso na capital se tivesse vencido por dois ou mais gols de diferença em Maceió.

Quem avançar do confronto entre o Tricolor e o CSA enfrentará na próxima fase o vencedor do encontro entre Rondonópolis-MT e CRB-AL, que ainda não duelaram nesta competição.

O jogo – O São Paulo assumiu sua condição de favorito e teve a iniciativa na partida, apostando na velocidade, como já era esperado quando Muricy Ramalho barrou Ganso. Assim, Osvaldo avançou pela esquerda, driblou um marcador e cruzou rasteiro para Luis Fabiano, que foi travado na hora da finalização. Na jogada seguinte, Pato recebeu na área, dominou no braço direito, girou e chutou para as redes, mas o árbitro constatou a irregularidade e não validou o gol.

Em seguida, Pato teve mais duas chances, mandando uma por cima e sendo travado na outra. O atacante tentou corresponder em sua função diferente, buscando a bola atrás para levar a Luis Fabiano. Em uma das oportunidades, os dois tabelaram, mas a zaga afastou na meia-lua.

Aos 22, o São Paulo quase fez o gol. Osvaldo arrancou com a bola pela esquerda, deixou os marcadores para trás e acionou Luis Fabiano, que chegou livre pela direita e deu um leve toque sobre o goleiro Pantera, mas Roberto Dias apareceu quase em cima da linha para evitar o gol. Na resposta do CSA, Rogério Ceni enfim teve trabalho, espalmando arremate forte de Daniel Costa.

Pouco depois, o time da casa ainda teve um gol anulado. Mineiro recebeu pela esquerda, na entrada da área, e finalizou para balançar as redes, mas o árbitro observou corretamente o impedimento do lateral esquerdo e anulou a jogada. A partir daí, o ritmo do jogo diminuiu um pouco, mas o Tricolor ainda levou perigo mais uma vez. Osvaldo roubou a bola da defesa, avançou e chutou por cima do gol, ignorando os pedidos de Luis Fabiano, que estava livre pela direita.

As duas equipes voltaram sem alterações depois do intervalo, e o São Paulo continuou tentando encontrar espaços na defesa adversária. Alexandre Pato fez bom passe para Luis Fabiano, que se preparou para arrematar, mas dois defensores se jogaram na frente do atacante e travaram a batida. Em seguida, Pato ajeitou para Pabon, que bateu fraco, facilitando para o goleiro Pantera.

Porém, o gol não demorou a sair no segundo tempo. Aos nove, Pato rolou na esquerda da área para Osvaldo, que dominou de costas para o gol, girou e deixou dois marcadores para trás, para finalizar forte e alto, sem dar chances ao goleiro. Na resposta dos donos da casa, Uederson driblou Rogério Ceni pela direita, mas perdeu ângulo e acertou a trave.

Na sequência, o técnico Oliveira Canindé fez duas mudanças, colocando William Vassoura e Thiago Furtuoso nas vagas de Santos e Uederson, respectivamente. A torcida são-paulina, então, queria ver também uma mudança e começou a pedir a entrada de Paulo Henrique Ganso. O técnico tricolor atendeu aos pedidos e colocou o armador na vaga de Luis Fabiano. Assim que entrou no jogo, o camisa 10 foi conversar com Pato, ajustando o novo posicionamento do reforço, que passou a atuar mais avançado.

Na primeira jogada, os são-paulinos mostraram sintonia. Pabon cruzou da direita, Ganso cabeceou para o meio e Pato aproveitou mandando também de cabeça, mas o goleiro Pantera fez grande defesa. Em seguida, Muricy foi obrigado a fazer mais uma mudança, já que Antônio Carlos sentiu lesão e teve de ser substituído por Edson Silva. O São Paulo ainda buscou o segundo gol até o apito final, mas teve de se contentar com a vantagem mínima.

 

FICHA TÉCNICA:
CSA 0 x 1 SÃO PAULO

Local: Rei Pelé, Maceió (AL)
Data/Hora: 12/03/2014 – 22h
Árbitro: Renan Roberto de Souza (PB)
Assistentes: Luis Filipe Gonçalves Correa e Oberto da Silva Santos (ambos da PB)
Renda/Público: R$ 383.000,20/17.006 torcedores
Cartões amarelos: Charles Vagner (CSA); Alvaro Pereira (SAO)

Gol: Osvaldo, 8’/2ºT (0-1);

CSA: Pantera; Pedro Silva, Roberto Dias, Tiago Garça e Mineiro; Charles Vagner, Lucas, Santos (Williams Vassoura, 16’/2ºT) e Daniel Costa; Uederson (Thiago, 15’/2ºT) e Jeferson Maranhense. Técnico: Oliveira Canindé

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Douglas, Rodrigo Caio, Antonio Carlos (Edson Silva, 27’/2ºT) e Alvaro Pereira; Wellington, Maicon, Pabon e Osvaldo (Ademilson, 39’/2ºT); Alexandre Pato e Luis Fabiano (Ganso, 25’/2ºT). Técnico: Muricy Ramalho

2 comentários em “São Paulo vence na estreia de Pato, mas não elimina CSA

  1. Gostei de não ter eliminado porque assim pato vai jogar mais, bela estreia do pato gostei da movimentação vai jogar bem e quase sai o gol dele em so n ão entendi muricy não colocar o ganso de titular coloco ele no segundo tempo e viram no que deu.

    • Concordo em tudo. Acho que nem o Muricy queria vantagem por mais de dois gols pro Pato jogar mais vezes.
      Ficou visível porém que o time ficou refém das jogadas do Osvaldo sem a presença do Ganso. A ausência do Souza tb mostra como isso atrapalha o Maicon, que teve de sair lá de trás porque o Muricy não confia no Wellington.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*