São Paulo tem sucessos e fracassos em trocas no passado

A troca realizada por São Paulo e Corinthians, que levou Jadson ao Parque São Jorge e Pato ao Morumbi foi uma das transações mais badaladas do futebol brasileiro. Não é para menos: são dois jogadores com passagens pela seleção brasileira. O clube tricolor, porém, tem história em trocas de jogadores.

As transações deste tipo feitas no Morumbi tiveram resultados bastante variáveis. Em algumas ocasiões, o São Paulo levou a melhor. Houve também momentos nos quais saiu perdendo. O melhor cenário, com desfecho positivo para os dois clubes envolvidos, também apareceu. Até o mais bizarro, uma troca ruim para os dois lados, também ocorreu.

Em 1990, o São Paulo tinha em seu elenco o lateral Nelsinho. Não era um jogador espetacular, mas era experiente, velho conhecido dos torcedores do futebol brasileiro, e despertou o interesse do Flamengo.

No Flamengo, surgia uma promessa, o também lateral Leonardo: a troca foi feita. No Rio, Nelsinho sofreu com as lesões e empolgou com a camisa rubro-negra. Já Leonardo virou ídolo no Morumbi, fez carreira no Milan, da Itália, e esteve no elenco da seleção campeã do mundo em 94. Ponto para o São Paulo.

Ao contrário do caso Leonardo, a troca de 2010, de Rodrigo Souto por Arouca, causa traumas até hoje na torcida são paulina. Vindo do Fluminense, Arouca não atravessava boa fase no São Paulo, e foi trocado por Souto com o Santos. Erro da diretoria tricolor.

No Morumbi, Souto até conseguiu ser titular, mas não encantou. Arouca, enquanto isso, tornou-se peça fundamental no alvinegro da baixada, e conquistou uma Libertadores – quatro anos depois, ainda é parte importante do elenco, e já teve oportunidades na seleção. Rodrigo, passou por Náutico e Figueirense, e em 2014 recebeu uma chance no Botafogo.

Até agora, uma vitória e uma derrota para o São Paulo. Hora de um empate: em 1996, uma troca entre o clube paulista e o Cruzeiro gerou bastante polêmica, pelo número de atletas envolvidos. Os mineiros cederam Belletti e Serginho, e receberam em troca Gilmar, Vitor, Donizete, Ailton e Ronaldo Luís.

A transação revelou-se uma boa para os dois lados. Serginho e Belletti tiveram boas passagens no Morumbi, foram negociados com a Europa e defenderam a seleção brasileira. Na Toca da Raposa, os reforços ajudaram na conquista da Libertadores de 1997.

Resta o mau negócio, a troca que não teve bons efeitos para nenhum dos clubes envolvidos. É o caso da ida de Roger para o Palmeiras, em troca do lateral esquerdo Lúcio, em 2006. Contratado da Ponte, o atacante passou longe de corresponder às expectativas do São Paulo. O ala, no Palestra, também vivia péssimo momento, e era criticado por torcedores.

Os novos ares não ajudaram nenhum dos atletas, que levaram as fases ruins para suas novas casas e saíram sem deixar saudades.

Para 2014, além da troca Jadson/Pato, a diretoria prepara outra: o atacante Osvaldo pode ir para Fluminense, que cederia o meia Wagner. Em qual categoria estas irão se enquadrar, só o tempo vai dizer.

 

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*