São Paulo também tenta impedir semifinal em Mogi Mirim

Depois de conseguir que a Conmebol vetasse o Moisés Lucarelli, em Campinas, como palco da segunda partida da semifinal da Copa Sul-Americana contra a Ponte Preta, a diretoria do São Paulo tentará fazer com que o jogo também não aconteça em Mogi Mirim.

O clube alega que o estádio Romildo Vitor Ferreira, segunda opção da Ponte para o encontro do dia 27 de novembro, também não tem a capacidade mínima de 20 mil pessoas exigida pela entidade para essa fase da competição.

Dois dos três laudos disponíveis no site da FPF (Federação Paulista de Futebol) mostram a arena de Mogi Mirim sem condições para a partida.

A vistoria da engenharia aponta capacidade de 19.570 torcedores. O laudo de segurança, 19.900. Apenas o do Corpo de Bombeiros mostra aptidão para mais de 20 mil pessoas (20.579).

Ao contrário da Ponte, o São Paulo já foi avisado pela Conmebol que a partida não será no Moisés Lucarelli, a tradicional casa da equipe campineira.

Almeida Rocha-26.mai.2013/Folhapress
Ponte Preta e São Paulo jogam no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas, pelo Brasileiro
Ponte Preta e São Paulo jogam no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas, pelo Brasileiro

O veto ao estádio é uma vitória política da equipe paulistana. Apesar de ter capacidade de público inferior à exigida, ele foi usado pela Ponte normalmente nas oitavas e quartas de final da competição.

“O São Paulo é um clube legalista e intransigente em relação a regulamentos. Também tínhamos uma preocupação especial quanto à segurança”, disse o vice de futebol João Paulo de Jesus Lopes.

Fonte: Folha SP

Um comentário em “São Paulo também tenta impedir semifinal em Mogi Mirim

  1. Vitória de pirro.
    Qto tempo faz que não temos vitórias políticas contra equipes importantes no país ou fora dele.
    Talvez devêssemos oferecer pra Macaca jogar no Morumbi sem cobrança do aluguel. . .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*