São Paulo recusa oferta de 4 milhões de euros por Militão

O São Paulo recusou uma oferta do Porto de 4 milhões de euros (cerca de R$ 17,7 milhões) para liberar Éder Militão imediatamente do contrato válido até janeiro de 2019.

Embora saiba do desejo de Militão de sair agora para o clube europeu, o Tricolor tenta adiar a saída para usá-lo no Brasileirão e ao mesmo tempo melhorar as condições de uma eventual negociação. Uma possibilidade na mesa, por exemplo, é obter uma porcentagem de venda futura.

Independentemente do desfecho, o São Paulo conta com Éder Militão para a partida desta quinta-feira, contra o Grêmio, às 19h30, na Arena do Grêmio, em Porto Alegre, e também diante do Cruzeiro, domingo, no Mineirão. O lateral se reapresentou nesta segunda-feira e ficou no Reffis, de acordo com o Tricolor.

Militão tem sido leal aos companheiros e ao clube nas partidas, mas ao mesmo tempo é firme na demonstração do desejo de sair. Nem mesmo a campanha da equipe na disputa da liderança do Brasileirão muda sua vontade (o Tricolor tem um ponto a menos do que o Flamengo, primeiro colocado).

Enquanto o São Paulo barganha tempo e melhores condições, o Porto insiste na tentativa de liberação imediata, pois tem o primeiro jogo da temporada marcado para o dia 4 de agosto, a final da Supertaça Portuguesa contra o Desportivo Aves.

Pela lei da Fifa, Éder Militão tem condições de assinar um pré-contrato com outros clubes seis meses antes do término do vínculo (ou seja, desde o último dia 11 de julho), saindo gratuitamente ao final do acordo. Mas cabe ao São Paulo decidir se o libera agora (mediante compensação financeira) ou só ao fim do contrato.

Neste momento, o clube do Morumbi acredita no aproveitamento de Militão na próxima rodada, embora o jornal português “A Bola” tenha publicado uma entrevista do pai do atleta, Valdo, apontando o clássico com o Corinthians como a despedida do lateral. O futuro do jogador segue indefinido.

Nos bastidores o São Paulo vive uma espécie de dilema entre rendimento esportivo e lucro financeiro. O clube põe na balança o que vale mais:

  • Manter Éder Militão até o fim do contrato para aproveitá-lo esportivamente, mas possivelmente perdê-lo sem receber uma compensação financeira.
  • Vender Éder Militão agora para garantir algum retorno financeiro, mas perdê-lo para o restante da temporada.

O Tricolor tenta desde 2017 sem sucesso renovar o contrato de Éder Militão. Além dele, a outra opção para a lateral direita é Araruna (ele cumpriu suspensão contra o Corinthians e está liberado para encarar o Grêmio).

Na lateral direita, o São Paulo contratou Bruno Peres, em processo de condicionamento físico para ficar à disposição de Diego Aguirre. Régis voltou a treinar depois de ser afastado com problemas pessoais, mas também não tem condições de atuar imediatamente.

Fonte: Globo Esporte

12 comentários em “São Paulo recusa oferta de 4 milhões de euros por Militão

  1. Pra ler e entender.
    Quinta feira o Militão corre o risco de, num lance infeliz qualquer, “entregar” a partida para o Grêmio. E aí: como é que fica? O atleta fez corpo mole? O atleta é “sem vergonha” porque trabalha num emprego “de outro mundo” e não pode errar? Errou para “punir” sua empresa que não quis liberá-lo?
    Quinta feira próxima, também, o Militão corre o risco de por a perna num lance perigoso e quebra-la de forma a ter que deixar de ser um “profissional de outro mundo” e ter que “fazer a vida” neste nosso mundo, onde julgamos as pessoas pelos nossos conceitos, mesmo que enganosos, e queremos vê-las agindo de acordo com esses conceitos. E daí: o clube vai pagar salários após o vencimento de seu contrato? Alguém vai lembrar que ele se arrebentou cumprindo profissionalmente seu contrato de 12 mil mensais e pagar-lhe uma grande indenização por isso? Sei não…
    Acho que, do jeito que as coisas estão, o S.Paulo deveria, sim, liberar o jogador pra ir, de vez, para a Europa. A grana oferecida, se verdadeira, é muito grande, pra correr o risco de rejeitá-la e, de-repente, ver o time não continuar bem no campeonato e perder nas duas pontas (sem contar o risco do Militão ser responsabilizado pelo fracasso e os dirigentes cobrados por isto). Ademais, o tricolor já contratou um lateral de ofício que, pelo menos pelo que já apresentou jogando, vai dar conta da posição. Tem mais: um único jogador não ganha título e, também, não perde título. Hoje o time está engrenado e fica mais fácil para quem entrar se integrar e corresponder à altura do que vinha sendo feito.
    É o que penso…

  2. Esperaria os proximos jogos e ver como ele vai jogar, se vai ser profissional ou moleque mercenario, e como todos estao escrevendo, tentaria aumentar esse valor mais um pouco e com clausula se for negociado com outro clube ganhar uma grana em cima.
    Pq para mim ele vai fazer é corpo mole pq sabe se o sao paulo nao vender ele logo vai perde-lo no inicio do ano, vai sair de graça.

  3. Tem que vender agora e negociar uma valorização futura. O risco é colocar um jogador que não quer mais ficar…não concordo em manter o Militão.Mas isto não tira o lado ingrato do jogador.

  4. Tem que ficar!
    Defesa está equilibrada com ele.

    E acredito no profissionalismo dele que até agora não decepcionou, sua postura é exemplar.

    Que assine imprensa contrato para sair em janeiro e jogue o resto do ano pra ser campeão brasileiro. Esse título entra pra história dele… sair do Brasil com um título credencia ele para grandes conquistas…. incluindo seleção brasileira… copa…

  5. Ganho técnico é o mais importante, já que faz muito tempo que não levantamos um caneco. Militao é raçudo e não vai fugir da briga pelo título. Que fique até fim do ano e vá embora com a sensação de dever cumprido. Fique defenda nossas cores como sempre.

  6. Tem que fazer jogo duro com esse Porto mesmo, igual fizeram com o Maicom e ainda levaram dois jogadores da base.
    Se quer sair que paguem 5M de euros mais 10% de participação em uma futura negociação, além de exigir que jogue contra Grêmio e Cruzeiro.
    Não entendo essa defesa de alguns, não dá para comparar futebol com outras profissões, futebol é outro mundo, ficar comparando situações do mercado de trabalho com negociações de futebol é insânia, no futebol envolve paixão, muito dinheiro, investimento do clube, projeção/fama e etc.
    Ficar comparando situações de qualquer um que recebesse uma proposta pra ganhar 10 vezes mais, lógico que qualquer um aceitaria, apesar de ter certeza que essa valorização só ocorre no futebol.
    Ficar enaltecendo que o cara corre e não baixou o rendimento, isso é o mínimo que se espera de um jogador profissional, se hoje ele ganha “pouco” foi opção dele, não quis renovar e agora com grande possibilidade de ser campeão quer sair, que saia esse ingrato.
    O brasileiro anda tão desiludido com a situação política do país, que quando um indivíduo é ético e cumpre com todas as suas obrigações, as pessoas exaltam, sendo que é o mínimo que se espera de todos.

    • Rodrigo Leal, o senhor deu uma aula, parabéns! Disse todas as verdades sem o podre do politicamente correto!

      O pior é ver gente se referindo a ele como um garoto… deixem o menino com suas filhas formosas sozinhos e aí sim verão um garoto nove meses depois… faz lembrar a babação pro “menino Neymar”!

      Parabéns ao SPFC nessa e ao Raí, que assim vai ganhando respeito e deixando de ser como no começo do ano um simples administrador de ONG!

      Por merreca fica aí, se tirar o pé e fizer bico que vá para Cotia. E depois é hora de acionar o Porto na FIFA por aliciamento!!!

      SPFC voltando a agir como clube grande!!

    • A profissão de jogador de futebol não tem nada a ver com outras quaisquer:
      Jogador de futebol se aposenta aos 30 e poucos.
      Jogador de futebol pode sofrer uma contusão e ficar parado por meses. Imagina isso com o contrato por acabar.
      A esmagadora maioria dos jogadores de base não vingam. O cara dedica os anos de formação e depois se vê desempregado e despreparado aos 20 anos.

      Especificamente no caso do Militao: ele nao vai ganhar 10x o que ganha. Ele vai ganhar 50x ou 60x. Isso sem contar luvas, que provavelmente tambem deve receber.

      O erro todo foi o São Paulo não ter dado aumento de 10x no ano passado. O Militao ganha muito menos do que, por exemplo, o Maicossuel que recebeu do São Paulo para (não) jogar pelo Gremio.

      Nao é porque vc é são-paulino, ou porque o Danilo Brida diz que é, que o Militao tem obrigação de ser. Se eu soubesse que tenho que me aposentar em 15 anos, eu iria procurar o que fosse melhor para mim hoje. O São Paulo que não ofereceu isso pra ele num momento em que ele podia aceitar. Agora, já era.

      Se segurarem pelo menos por mais uns 4 jogos + 4 ou 5 milhões de euros + 10% de uma futura venda, tem que aceitar.

      • A carreira de jogador é curta, porém o que eles ganham em um contrato de 1 ano, 99% da população não ganha a vida inteira trabalhando, veja o exemplo do Morato que machucou seriamente no segundo jogo pelo São Paulo e só tinha contrato de um ano, não renovaram com ele e o mesmo está em fase de retorno?
        Ninguém está pedindo para ele ser são paulino, mas um clube que o formou, deu toda estrutura médica, nutricional e etc. É falta de gratidão mesmo.
        Mesmo porque lhe foi oferecido salário de R$ 400 mil mais luvas e participação em futura venda, será que ele vai ganhar 60x mais que isso no Porto? Lógico que não.
        E outra lá na Europa quando um jogador machuca, ele não recebe integralmente o salário, recebe apenas uma pequena parcela até voltar a jogar e com certeza se ele machucasse aqui no São Paulo iria receber integralmente.
        Portanto na minha opinião ele está sendo ingrato e burro, pois jogando mais dois anos no São Paulo estaria na seleção e sendo vendido para um grande clube europeu.

  7. Acho que o Militão vai acabar saindo, isso é choro para puxar mais um pouquinho, e o Porto vai acabar cedendo, mas eu gostaria que o Militão ficasse até fim do ano. 4 ou 5 milhões de euros não vai fazer grande diferença na nossa vida, o Militão até o fim do brasileirão vai fazer muita diferença, o time está ajustado, nos últimos 5 jogos só levamos 1 gol, o Militão é um pilar desse sistema defensivo, vai bagunçar demais a saída dele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.