São Paulo quer fazer lição de casa para viajar tranquilo na Libertadores

Não importa como, o importante é ganhar. Esse é o lema do São Paulo para o jogo desta quinta-feira, às 19h15, no Estádio do Pacaembu, diante do Arsenal de Sarandí, que fecha o turno de ida da fase de grupos da Libertadores. O técnico Ney Franco ressaltou que a vitória é essencial para dar tranquilidade à equipe na competição e, principalmente, para que o elenco consiga fazer as duas partidas fora de casa sem a obrigação da vitória.

Claro que o comandante quer arrancar pontos de seus adversários atuando fora de seu domínimo, mas ele define como inaceitável perder pontos como mandante em uma competição de mata-mata como a Libertadores. Depois desta quinta, os são-paulinos viajam por duas vezes, para enfrentar novamente o Arsenal, desta vez na Argentina, e também o The Strongest, agora na Bolívia.

“Eu sabia que ia ser um grupo muito difícil e já havia dito que ia ser um dos mais difíceis da Libertadores. Não adianta fazer cálculos para o grupo, porque não temos certeza nenhuma. A única é que o grupo é forte. Na minha opinião, nem o Atlético-MG está classificado, muito menos o São Paulo. Por isso, posso dizer que o princípio básico dessa competição é fazer valer o mando de campo. Precisamos vencer essa de qualquer jeito e, depois, vencer o Atlético-MG dentro de casa”, analisou.

A definição “vitória de qualquer jeito” também serve de recado aos torcedores mais exigentes e a dirigentes que pretendem ver um futebol bonito. Segundo Ney, a prioridade é somar os três pontos, mesmo que, para isso, o estilo de jogo não seja do agrado da maioria. O desfalque da vez será Denílson, que sentiu dores no joelho e dará lugar a Fabrício.

O adversário, por sua vez, vem com a tentativa de arrancar um ponto a qualquer custo. Segundo Gustavo Alfaro, treinador da equipe argentina, o desafio vai ser muito semelhante ao que foi enfrentar o Atlético-MG. Como o Arsenal ainda não somou pontos, o empate serviria para que os argentinos mantivessem a esperança de classificação.

“Temos que estar muito concentrados para, pelo menos, resgatar um ponto e seguirmos vivo. É um rival muito parecido (com o Atlético-MG). Se a gente perder a organização, vamos sofrer. Temos que ter uma marcação forte e não dar espaços”, analisou ao jornal argentino Olé.

A baixa de Alfaro será Aguirre, meio de campo que sentiu dores e deve dar lugar a Rolle. Braghieri, que chegou a ser colocado como dúvida, viajou para São Paulo. Olivero, goleiro reserva, também está fora.

FICHA TÉCNICA – SÃO PAULO X ARSENAL-ARG

Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data: 07 de março de 2013 (quinta-feira)
Horário: 19h15 (de Brasília)
Árbitro: Wilmar Roldan (Colômbia)
Assistentes: Humberto Clavijo e Eduardo Diaz (ambos da Colômbia)

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Douglas, Lúcio, Rafael Tolói e Cortez; Fabrício, Wellington e Jadson; Aloísio, Osvaldo e Luís Fabiano.
Técnico: Ney Franco

ARSENAL-ARG: Campestrini; Nervo, Lisandro López, Braghieri e Cuesta; Carbonero, Marcone, Ortíz e Rolle; Darío Benedetto Celiz e Julio Furch
Técnico: Gustavo Alfaro

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*