São Paulo precisa provar que “és forte” contra Strongest e altitude

De que o São Paulo “és grande”, como diz seu hino, ninguém duvida. Trata-se do único clube brasileiro tricampeão mundial. A desconfiança que paira no momento é o quão forte está seu time atual para, a partir das 21h30 (de Brasília) desta quinta-feira, superar o The Strongest.

O adversário nem de longe é fiel a seu nome, que significa “o mais forte” em inglês. É o último colocado do grupo, com três pontos em quatro rodadas. Ainda assim, fez a formação de Ney Franco suar para vencer o primeiro encontro, no Morumbi, e agora tem a seu favor a altitude de 3.600 metros de La Paz. Um ingrediente a mais para testar a capacidade tricolor.

Desafiado como nunca antes no clube, o técnico Ney Franco tem o apoio dos dirigentes e se mostra confiante. “Nossa força é a qualidade dos atletas e a tradição do clube, respeitado mundialmente. A equipe vem de recuperação e está jogando bem. Os jogadores têm tido compromisso, entrega. Espero que isso possa prevalecer sobre todas as dificuldades que teremos”, diz.

 

Djalma Vassão/Gazeta Press

Time de Ney Franco tenta vitória em La Paz para não se distanciar da vaga às oitavas de final do torneio continental

 

Clube brasileiro com mais participações na Libertadores – 16 no total –, o São Paulo só foi eliminado na fase de grupos em 1978, 1982 e 1987. Quando passou por ela, quase sempre chegou longe. Foram seis semifinais, das quais se seguiram três decisões. Para não ficar no começo do caminho nesta edição, tem tentado se reinventar com as ótimas peças que tem à disposição.

Desde a derrota para o Arsenal, três semanas atrás, a equipe engatou quatro triunfos consecutivos no Campeonato Paulista. Apesar de a série ter caído no domingo, com derrota para o rival Corinthians, o futebol apresentado no clássico sustentou a expectativa de se aproximar da vaga às oitavas de final. Uma das explicações para a onda vitoriosa é a escalação de três meias técnicos.

Maicon, Jadson (vice-artilheiro da temporada) e Paulo Henrique Ganso devolveram o bom passe ao time. O trio foi mantido e começa jogando em La Paz. Em contrapartida, o poder de gol não será o mesmo da recente sequência na competição estadual, pois Luis Fabiano está suspenso de mais três partidas na Libertadores. Assim como na Argentina, quando ele ainda cumpria automática, seu substituto será Aloísio.

“O Luis é um jogador que preocupa muito os adversários, é finalizador, fazedor de gol. Entendo a punição como absurda, só que ele está fora e temos que contar com o elenco. O Aloísio é um jogador também de muita entrega física, dedicação, e vai suprir essa ausência de uma forma ou outra”, opinou o capitão Rogério Ceni, que machucou o pé direito no domingo e tem feito tratamento desde então para ter condição de jogo – caso contrário, Denis defenderá o gol do São Paulo.

Há uma dúvida também do outro lado. O técnico Eduardo Villegas não definiu se será Smith ou Mendez o parceiro de Barrera na defesa do The Strongest. Lanterna, o time boliviano busca necessariamente uma vitória nesta quinta-feira. Se perder para o São Paulo, estará eliminado precocemente da competição, provando que não é nem o segundo mais forte da chave.

FICHA TÉCNICA
THE STRONGEST X SÃO PAULO

Local: Estádio Hernando Siles, em La Paz (Bolívia)
Data: 4 de abril de 2013, quinta-feira
Horário: 21h30 (de Brasília)
Árbitro: Victor Carrillo (PER)
Assistentes: Jonny Bossio (PER) e César Escano (PER)

THE STRONGEST: Vaca; Bejarano, Smith (Mendez), Barrera e Chavez; Veizaga, Soliz, Chumacero e Cristaldo; Escobar e Reina
Técnico: Eduardo Villegas

SÃO PAULO: Rogério Ceni (Denis); Paulo Miranda, Rafael Toloi, Edson Silva e Carleto; Denilson, Maicon, Jadson e Ganso; Osvaldo e Aloísio
Técnico: Ney Franco

 

Fonte: Gazeta Esportiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*