São Paulo pode ter Pato por apenas 14 jogos. E perdê-lo de graça

O São Paulo está protegido de perder Alexandre Pato caso o Corinthians receba uma proposta inferior a 15 milhões de euros (R$ 49 milhões) até o fim do ano. Porém, o acordo contratual entre os clubes permite uma possibilidade extremamente negativa para o clube do Morumbi. Em junho, caso haja proposta de 15 milhões de euros pelo atacante, o Corinthians poderá vende-lo sem ressarcir o São Paulo. Impedido de jogar o Paulistão, Pato terá participado de no máximo 14 jogos pelo São Paulo antes de sair, nesse cenário hipotético.

A diretoria do São Paulo confirma: tal situação é possível. Porém, os dirigentes são-paulinos não cogitam que o jogador receba uma proposta de 15 milhões de euros até o meio de 2014, até porque o Corinthians não conseguiu uma oferta próxima deste montante até agora. Este é o mesmo valor pago pelo clube do Parque São Jorge para tirar o jogador do Milan (ITA), no início de 2013, e também é o valor da cláusula contratual que obriga o São Paulo a romper o empréstimo em caso de oferta recebida.
Esse cenário demonstra uma brecha a favor do Corinthians na troca de Pato por Jadson. Se vendido em junho, a balança da troca mostraria, do lado corintiano, 15 milhões de euros e o meia Jadson, enquanto o lado são-paulino ficaria vazio: sem jogador e sem ressarcimento.
A saída de Pato no meio do ano poderia fazer com que o atacante disputasse apenas 14 jogos pelo São Paulo. São seis partidas que ele poderia fazer pela Copa do Brasil – primeira, segunda e terceira fase – e oito pelo Brasileirão. Apesar de haver nove rodadas do campeonato nacional antes da pausa para a Copa do Mundo, o São Paulo tem clássico contra o Corinthians agendado para a quarta rodada. Como em outros acordos de empréstimo, Pato está vetado de jogar contra o ex-clube. Jadson não enfrenta o São Paulo até o fim de 2014.
Por já ter feito cinco jogos pelo Corinthians no Paulistão, Alexandre Pato não poderá jogar o estadual pelo São Paulo. Sua estreia deverá acontecer no dia 12 de março, contra o CSA, pela primeira fase da Copa do Brasil.
O Corinthians terá a possibilidade de vender Alexandre Pato para qualquer outro clube durante o empréstimo do atacante ao São Paulo, porém o clube rival só será obrigado a liberar o jogador caso exista uma oferta de pelo menos 15 milhões de euros (R$ 49 milhões). Este foi o montante pago ao Milan pela contratação, há pouco mais de um ano. Caso o Corinthians receba, até o fim de 2015, propostas de valor inferior, caberá aos dois clubes analisarem se a venda vale a pena, sem obrigação do São Paulo de romper o empréstimo. O clube do Morumbi ainda pode ganhar dinheiro no negócio. Em janeiro de 2015, a cláusula cai para 10 milhões de euros.
O contrato de empréstimo prevê que o São Paulo tenha direito a 10% do lucro de toda a operação corintiana por Alexandre Pato – incluindo a compra do jogador junto ao Milan, no início de 2013 – caso a proposta seja superior a 15 milhões de euros. Ou seja, se o Corinthians decidir vender Alexandre Pato ao receber uma proposta de 18 milhões de euros, por exemplo, o São Paulo receberá 300 mil euros como ressarcimento, correspondente a 10% dos 3 milhões de euros de lucro entre o valor de venda e o valor pago ao Milan.
No São Paulo, a primeira reação da torcida é dividida. Na vitória sobre o Paulista, nesta quarta, houve protesto da principal organizada:”Diretoria, vai se ferrar, trazer o Pato é dar dinheiro pros gambás”, gritou a organizada, na sequência de “Pato é o c…”, repetidas vezes. Os mesmos torcedores, após os protestos, gritaram o nome de Luis Fabiano, que não necessariamente brigará por uma vaga no ataque com Alexandre Pato. Houve também gritos contra o Corinthians.
Emprestado ao São Paulo até o fim de 2015, Pato terá parte dos salários pagos pelo Corinthians. Jadson tinha apenas mais um ano de contrato com o clube do Morumbi, poderia assinar pré-contrato com qualquer outro clube a partir de 1º de julho e sairia de graça, sem indenização ao clube, no fim do ano.
O Corinthians tentou não deixar Alexandre Pato jogar em um rival, mas não conseguiu. Antes de negociar o atacante com o São Paulo, o clube do Parque São Jorge tentou empurrá-lo para pelo menos outros três clubes, sem sucesso. Grêmio e Cruzeiro reclamaram do valor elevado do atleta, que recebe R$ 800 mil, entre salários e direitos de imagem. O Flamengo topou uma troca com Carlos Eduardo, mas aí foi o Corinthians quem não se interessou.
Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*