São Paulo estuda renovação de Luan, para evitar “novo” Militão

Ciente de que é uma das principais vitrines do país, o São Paulo estuda como proteger os seus jogadores do assédio do mercado internacional. Uma alternativa usada pelo departamento de futebol é evitar que atletas em destaque tenham multas rescisórias baixas ou contratos perto do fim. O volante Luan se enquadra nesse caso. Por isso, o departamento de futebol observa de perto o rendimento do jovem e, caso ele tenha um bom desempenho no elenco profissional, receberá uma oferta para renovar o vínculo.

A política de proteção do São Paulo tem explicação. O clube já viveu impasses com atletas que saíram por valores baixos por multas rescisórias defasadas ou por contratos próximos do fim. No ano passado, por exemplo, o volante João Schmidt foi de graça para a Atalanta, da Itália. Nesta temporada, Militão ficou livre para assinar pré-contrato neste segundo semestre, porque tinha acordo com o Tricolor até janeiro de 2019.

Ainda assim, o São Paulo conseguiu reforçar o seu caixa com a saída do polivalente jogador. Promovido para o profissional em 2017, Militão acertou a sua saída para o Porto na última terça-feira (24). Os portugueses ofereceram 4 milhões de euros (R$ 17,52 milhões) mais 10% de direito em uma futura transferência para a liberação imediata do brasileiro .

No caso de Militão, o São Paulo tentou diversas vezes renovar o vínculo do jogador, que recusou todas as propostas apresentadas pelo clube. Por isso, ele se manteve com o salário mais baixo (R$ 12 mil) entre os jogadores considerados titulares do Tricolor. Nesta fase final da negociação, o jogador também pediu para ser negociado e o clube viu de maneira positiva a liberação com a possibilidade de reforçar o seu caixa.

Na última semana, o técnico Diego Aguirre promoveu o jovem Luan, de 19 anos, que fez sua estreia no clássico com o Corinthians, no último sábado, para o elenco principal. Já no treino desta terça-feira, ele integrou a equipe titular, já que Hudson foi poupado. Bem avaliado pelo superintende de futebol do clube, Ricardo Rocha, a revelação tem contrato com o São Paulo até 30 de setembro de 2019.

Desta maneira, a partir de março do ano que vem ele estará livre para assinar pré-contrato com outro clube sem que o Tricolor paulista receba qualquer compensação financeira. Luan também foi destaque nas categorias de base, disputando a final da Copa São Paulo deste ano, participando da conquista da Copa do Brasil sub-20 e com passagem pela seleção brasileira. A possibilidade de o jovem mostrar serviço aumentou com a saída de Petros durante a pausa para a Copa do Mundo. O São Paulo, no entanto, ainda cogita a contratação de um jogador para o setor.

 

Fonte: Uol

4 comentários em “São Paulo estuda renovação de Luan, para evitar “novo” Militão

  1. “Estuda a renovação” ? Oras, pra que anunciar ? Renova logo kct!!! Vai esperar o garoto dar resultado e chamar a atenção de um ABUTRE europeu que tem esse monte de carniceiros safados desses empresários ganhar nas costas do clube, graças à porcaria da lei Pelé que esse sujeito fez, quebrando vários clubes pequenos e dando o poder nas mãos dessa raça!!!

  2. Como diz uma das lendas sobre Garrincha, “..já combinou com os russos?”.
    Não basta querer que o atleta renove, há necessidade dele, principalmente seus familiares e staf quererem, caso contrário basta que aguardem a liberação para assinatura de pré-contrato. (vide caso Militão)
    Hoje em dia os empresários, planejam a vida destes futuros jogadores profissionais desde a infância, usando clubes formadores como trampolim para altos voos. Se o garoto mostra ser um craque o destino são os grandes europeus diretamente ou vitrines europeias como Portugal e Holanda, se não, o caminho são os emergentes (China, Japão, agora Egito etc..)
    Não há dúvida que existem exceções e aí os clubes conseguem vendas com bons lucros, é o mundo dos negócios.
    Simples assim.
    Tomara que este menino seja uma exceção, dando à torcida alguma alegria, mesmo que por pouco tempo e ao clube uma boa margem de lucro.

    • Amigo, é simples. Se o Clube tem a convicção que o jogador vai dar retorno, obriga a renovar o contrato antes de subir ao profissional.
      Enquanto não renovar, não sobe.

      Um caso emblemático é do Alexandre Pato, lembro que o Inter só o colocou no profissional depois de renovar contrato de base para profissional.

      Duvido que o Militão não teria renovado nessas condições, é óbvio que depois de atrair interesse de clubes da Europa não iria renovar.

  3. Como eu disse, ele tem praticamente um ano de contrato, e não um ano e meio. Como não se renova em duas horas um contrato, melhor iniciar agora né?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.