São Paulo esnoba acusação de aliciamento e diz que age usando a lei

O São Paulo não mostra preocupação com as reclamações dos clubes em relação ao aliciamento de jogadores nas categorias de base. Mais do que isso. A diretoria esnoba a união dos rivais e diz que age sempre usando a lei na hora de contar com jogadores.

Nesta sexta-feira, o diretor de futebol, Adalberto Baptista, que também acumula a função de diretor da base, afirmou que lamenta as acusações, colocou o jurídico à disposição do funcionário acusado e ainda disse que não se preocupa com um eventual boicote por ter inúmeros convites para participar de competições dos garotos.

“O São Paulo vê com tristeza essas manifestações. O São Paulo age sempre dentro do que a lei prevê e sempre respeitando os outros clubes e observando a inexistência de agentes e intermediários nas categorias de base”, disse ele no CT da Barra Funda, para depois defender José Geraldo, gerente de base, acusado pelos clubes de ser o agente que pratica o aliciamento.

“As pessoas falam que o Geraldo alicia, Geraldo isso, Geraldo aquilo… O São Paulo deu respaldo e não só isso. Deu o corpo jurídico à disposição do Geraldo para qualquer acusação em relação à calúnia e difamação. O time vai tomar medidas porque são acusações levianas e que não fazem realidade dos fatos”, completou.

Em conjunto, os clubes afirmaram que podem passar a não disputar mais as competições de base em que o São Paulo estiver. A medida serviria para boicotar o clube, que não respeita uma cartilha elaborada pela Abex (Associação Brasileiras dos Executivos de Futebol) em parceria com os gerentes de base das equipes.

Adalberto esnoba esse risco e disse que não reconhece essa instituição por adotar a postura de não dar “guarida” a empresários e agentes. Além disso, o diretor afirma que não foi convidado para nenhum encontro.

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*