São Paulo diz que pode se endividar para contratar reforço de impacto

A diretoria do São Paulo afirma que, se houver necessidade, pode usar sua saúde financeira para se endividar nesta janela de transferência e contratar um jogador de impacto. O clube não tem dinheiro em caixa, mas tem crédito graças à estabilidade financeira conquistada após gastar R$ 61,5 milhões dos R$ 87 milhões recebidos do Paris Saint-Germain (FRA) pela venda de Lucas e afirma que não teria problemas para contrair uma dívida inferior neste momento.

A capacidade de endividamento é tida como uma carta na manga a ser usada em situação emergencial, caso o presidente Juvenal Juvêncio sinta em janeiro que não conseguiu montar a equipe que esperava para 2014. Por ora, o clube continua tentando montar um elenco barato, sem gastar muito e com salários dentro do padrão atual.

Com os R$ 61,5 milhões investidos para quitar dívidas, três empréstimos de capital de giro com o BMG foram liquidados: um com vencimento em janeiro de 2014, de R$ 2,4 milhões, e dois com vencimento em março de 2014, de R$ 12,9 milhões e R$ 8,7 milhões. Os débitos em conta corrente garantida com Bradesco (R$ 10,4 milhões), Itaú (R$ 12,1 milhões), Rendimento (R$ 10 milhões) e Industrial e Comercial (R$ 5 milhões) também foram liquidados.

A contratação cara que o São Paulo tenta nessa janela de transferências é a do volante Jucilei, do Anzhi Makhachkala, da Rússia. O clube pede 6 milhões de euros (R$ 19 milhões), e a diretoria são-paulina acredita que consegue fazer o negócio por 5 milhões de euros (R$ 16 milhões). O São Paulo busca investidores para tentar dividir a conta – a DIS, do grupo Sonda, afirma ter sido procurada pelo clube –, mas deve tentar o negócio por conta própria caso não consiga encontrar parceiros.

Até agora, a única contratação firmada pelo São Paulo para 2014 é a do lateral direito Luis Ricardo, de 29 anos, que disputou o Brasileirão pela Portuguesa. Os reforços para o ataque, no entanto, ainda não foram contratados e o clube tem dificuldade para encontrar nomes no mercado. O São Paulo consultou Marcelo, revelação do Brasileirão pelo Atlético-PR, e ouviu resposta negativa, assim como no caso de Marlone, que saiu do Vasco e defenderá o Cruzeiro na próxima temporada. Nomes como os do chileno Eduardo Vargas, do Napoli (ITA), e de Rafael Sóbis, do Fluminense, interessam como antes, mas não foram alvos de negociações por causa dos altos valores de salário e transações entre clubes.

Além de sofrer para contratar, o São Paulo sofreu baixa importante e ainda pode sofrer outras. O atacante Welliton, visto pelo técnico Muricy Ramalho como esperança para  o setor ofensivo em 2014, não ficará. O Spartak Moscou (RUS) não aceitou estender o empréstimo e respondeu que só aceitaria negociá-lo definitivamente, algo que os dirigentes tricolores não cogitam. Por isso, Luis Fabiano, que era visto como transferível em janeiro, pode ser segurado caso receba proposta do exterior. Do mesmo setor, Aloísio está emprestado até junho de 2014 e recebe o interesse do Shandong Luneng, da China, enquanto pede valorização no São Paulo.

 

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*