São Paulo deixa experiência de lado em “jogo caseiro” com a Ponte

A julgar pela experiência internacional, o favoritismo do São Paulo nas semifinais da Copa Sul-americana é gritante. O técnico Muricy Ramalho, no entanto, não pretende utilizar a favor de sua equipe o fato de a Ponte Preta disputar a sua primeira competição com chancela da Conmebol.

“Isso não tem nada a ver. É como se fosse um jogo de Campeonato Brasileiro, de Paulista. Só muda o nome da competição, então a experiência não influencia em nada. É um jogo caseiro, de São Paulo”, definiu Muricy, rejeitando o favoritismo contra um time que tem três títulos do interior paulista (de 1927, 2009 e 2013) e um da Série A-2 do Estadual (1969) como maiores glórias.

O respeito pregado pelo comandante do São Paulo é tamanho que ele também não se importou com o momento atual da Ponte. Confiou que a equipe de Campinas ainda pode se safar do rebaixamento no Campeonato Brasileiro, lamentou o veto ao Estádio Moisés Lucarelli no jogo de volta e elogiou o elenco capitaneado pelo colega Jorginho.

“A Ponte tem um conjunto muito com, que subiu com a chegada do Jorginho. Vi o jogo deles contra o Vélez. Foi ótimo. Eles também contam com jogadores que decidem”, enalteceu Muricy Ramalho.

Fernando Dantas/Gazeta Press

Muricy elogiou a Ponte Preta para rejeitar o favoritismo atribuído ao São Paulo na semifinal continental

São Paulo e Ponte Preta começarão a definir uma vaga na decisão da Sul-americana na noite desta quarta-feira, no Morumbi. O jogo de volta será na semana que vem, provavelmente em Mogi Mirim. “A primeira partida não é tão decisiva assim. É claro que existe a importância de ganhar em casa, mas a nossa história recente mostra que isso não define classificação”, disse Muricy.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*