Santos e São Paulo fazem propostas por Vargas e aguardam Napoli

A disputa entre Santos e São Paulo pelo atacante Eduardo Vargas ficou mais acirrada. Os rivais paulistas enviaram dirigentes para a Europa para se reunirem com a cúpula do Napoli nesta semana. O UOL Esporte apurou que os dois clubes brasileiros fizeram novas propostas e aguardam a escolha dos italianos.

Após ouvir as novas ofertas por Vargas, o Napoli prometeu que enviará uma contraproposta para Santos e São Paulo. Desta forma, o leilão pelo chileno está aberto, pois o clube que cobrir a pedida dos italianos e pagar mais ficará com o jogador.

A negociação será por empréstimo independente do clube brasileiro que acertar a contratação de Vargas. O período já está definido por Santos e São Paulo. O time da Vila Belmiro pretende trazê-lo por um ano e meio, enquanto o empréstimo do tricolor paulista terá duração até dezembro de 2014.

O Santos foi recebido primeiro pelo Napoli. O superintendente André Zanotta viajou a Itália ao lado do empresário Paulo Afonso, responsável pela transferência do ex-goleiro santista Rafael ao clube italiano em junho deste ano.

O agente do goleiro tem bom trânsito na Italiana e, por isso, foi acionado para ajudar no encontro entre o dirigente santista e a cúpula do Napoli. O Santos queria antecipar o acordo, pois teme a concorrência do São Paulo.

O São Paulo, por sua vez, enviou o gerente executivo Gustavo de Oliveira, filho de Sócrates, que foi recebido logo após a reunião entre a diretoria do Napoli e os representantes do Santos. Além da Itália, o dirigente passará pela Alemanha para observar atletas, mas, de acordo com o presidente Juvenal Juvêncio, o chileno Vargas não é prioridade.

Juvenal ressalta que o atacante, que marcou dez gols pelo Grêmio em 2013, continua no radar do São Paulo, mas descartou fazer loucuras durante o leilão criado pelo Napoli.

“Nós não deixamos de ter interesse, mas não pagamos o que o Napoli pede. Agora, não. É um jogador que eventualmente interessa, mas que não há uma obsessão. Se for palatável, nesse caso seria custo-benefício, mas não é a coisa” explicou.

O Santos leva um pouco de vantagem na briga por Vargas, pois pretende utilizar a dívida do goleiro Rafael, negociado com os italianos, para abater o preço do empréstimo.

Rafael foi vendido ao Napoli por R$ 16 milhões. Como detinha 70% dos direitos econômicos, o Santos tem direito a R$ 11 milhões do montante, pagos em duas parcelas. A primeira parte já foi paga, mas o clube paulista quer utilizar o crédito restante, de 2014, para facilitar a contratação de Vargas.

 

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*