Revelação diz que saiu do São Paulo por não ter sido sido valorizado

Em entrevista exclusiva à Gazeta Esportiva, Bruno Lamas, cria das categorias de base do São Paulo, justificou a saída do clube paulistano no mesmo ano em que o jogador foi campeão mundial sub-15 pelo Tricolor. Junto de Lucas Piazon e Ademilson no ataque, o jogador de 24 anos conquistou o título internacional da categoria, em 2009, para cima do Werder Bremen: placar de 3 a 1 na final.

“Nessa época, tinha só 15 anos e não havia contrato, só um contrato de formação que não contava para o profissional. Conversei com o São Paulo e eles falaram que só ofereceriam algo quando eu completasse 16 anos. Meu irmão jogava no Corinthians na época, que tinha interesse em mim, assim como o Santos”, explicou o atleta.

“Decidi sair do São Paulo porque achei que eles não deram o valor que eu esperava. Valor pessoal mesmo, pensei que eles fariam uma proposta ou que nós entraríamos em um acordo. Eles não fizeram isso”, contou.

Depois da saída do Tricolor, Bruno Lamas revelou que chegou a treinar por um mês no Corinthiansantes de concretizar sua ida ao Santos. De acordo com o jogador, o momento pelo qual a equipe da Vila Belmiro atravessava à época foi determinante para o acerto.

“Cheguei a ir para o Corinthians, fiquei lá um mês, conhecendo e treinando. Mas o Santos chegou com uma proposta e, como na época eles tinham Neymar, Ganso, entre outros que se destacavam, achei que era uma bora hora para ir para lá. Larguei o Corinthians e acabei assinando por três anos com o Santos”, justificou, antes de explicar o motivo que fez com que sua carreira no Peixe fosse interrompida. “Na hora em que eu estava para ir para o profissional, tivemos problemas na renovação de contrato. Até hoje não sei muito bem o que aconteceu e nem gosto de falar sobre isso”.

Após a definição de sua situação, o jogador contou à Gazeta Esportivaque recebeu uma sondagem de um grande clube de Portugal, o Braga, optando por, entretanto, permanecer no futebol brasileiro e assinar com o Cruzeiro.

Sem espaço na Raposa, Lamas foi emprestado ao Democratas, do mesmo estado, para a disputa do Campeonato Mineiro. Os planos acabaram sendo interrompidos, já que enfim a concretização da proposta do futebol português ocorreu. Entretanto, o clube era outro: dessa vez, o brasileiro recebeu oferta do Leixões, então na segunda divisão da disputa local.

“Eu iria integrar o time B do Braga, aqui de Portugal, só que eles não fizeram uma proposta oficial. Decidi então ir para o Cruzeiro, porque eles tinham um planejamento bom e o time em si tem nome. Achei que era a hora de continuar no Brasil e acabei ficando por dois anos, peguei bem a fase em que eles estavam vencendo tudo. Acabei não tendo chances, treinava com o profissional mas jogava no sub-20. Vi que não teria chances e eles me emprestaram, iria jogar o Estadual pelo Democratas. Enquanto fazia pré-temporada, o Leixões me ligou e achei interessante minha ida, por ser uma chance na Europa”, ressaltou, antes de completar.

“Perguntei para o pessoal que jogava por aqui (Portugal) na época e me falaram que o Leixões tinha história, mas estava na segunda divisão. Achei interessante arriscar mesmo assim. Foi bom para o meu aprendizado e crescimento. Sofri algumas coisas, mas acabou tudo dando resultado e agora sou um novo jogador”, concluiu.

Agora no Santa Clara, time recentemente promovido à primeira divisão portuguesa, Bruno Lamas, por fim, revelou suas expectativas para a próxima temporada europeia. “Vim disposto a dar tudo, ajudar o time a se manter na primeira divisão e fazer grandes jogos. Acho que o elenco tem qualidade, o pessoal é tranquilo e penso que vamos dar trabalho”, finalizou.

 

Fonte: Gazeta Esportiva

10 comentários em “Revelação diz que saiu do São Paulo por não ter sido sido valorizado

  1. Jogador com 15 anos acha que está formado… pronto…

    Seguinte… se tivesse aproveitado a estrutura do SP para se desenvolver até os 20 anos talvez tivesse se tornado um bom jogador.

    Em 5 anos acho que dá pra aprender e desenvolver bastante coisa… mas abriu mão disso por dinheiro.

    Se ficasse no SP, o Militão poderia se tornar um jogador a nível de seleção brasileira… titular, jogando um dos campeonatos mais difíceis do mundo com varios clássicos. Mas prefere ir pra Portugal, onde só tem dois clubes fortes hoje, onde o seu nível de competição tende a cair… uma pena…

  2. A história acima justifica certas perdas, infelizmente nem sempre se acerta todas, mas muitas vezes é preferível perder do que arriscar ter um traste para carregar.
    Garotos da base são pura obra do acaso e sorte na hora de uma avaliação.
    Uma avaliação técnica muitas vezes ajuda em uma escolha acertada, mas o imponderável está escondido no caráter, na personalidade, na influência externa, enfim trata-se de uma loteria.
    Ainda bem que neste caso o palpite foi correto.

  3. Prestem bem atenção: ele foi campeão sub 15 junto com o Edmilson com aquele que se achava o novo Kaká, Lucas Piazon, sabemos o destino desses dois: o Edmilson sempre foi correto, apesar de em termos de qualidade técnica, não vingou no Tricolor, mas sempre foi correto é por isso conseguiu se fixar no Japão; quanto ao Sou o novo Kaká (sqn), está na Europa, porém, continua sendo o Lucas Piazon, muito aquém do Kaká.

  4. rs…o mais engraçado na carreira dele é que em todos os clubes que ele foi, não jogou e não foi valorizado pelo clube.
    Todos os clubes não deram oportunidade, não deram espaço e não sabe, o que aconteceu.
    Não gosta de falar sobre isso, está em uma momento lindo no “maior” clube de Portugal e agora rumo a liga dos campeões.
    Pra resumir ele dormiu Pelé e acordou ninguém.
    Parabéns amigo…espero que tenha feito, já que teve tempo ocioso bastante, uma reflexão…os outros não são os culpados…a culpa é sua pela incopetência e a falta de caráter.
    Sorte!
    Longe de quem te “criou”.

  5. Nunca ouvi falar.
    Se fosse 10% do que ele imaginava com 15 anos, estaria hoje substituindo o CR7 no Real Madrid.
    Não jogou no SPFC, nem na escória, nem no Santos e nem no Cruzeiro e foi o SPFC que não o valorizou??
    E ainda tem gente que acha que ninguém entende de futebol na base, afinal fizeram o certo em não renovar com um jogador que não deu em nada, tal qual o Piazon.
    O Ademilson estava no Japão e apesar de não ter tido sucesso no SPFC, não saiu pelas portas dos fundos.
    E do gigante Leixões, prosperou para o poderoso Santa Clara.
    Esse aí se um dia quiser entrar no Morumbi tem que comprar um ingresso.

  6. Parabéns pelas escolhas. Linda carreira jogando pelo poderoso Santa Clara de Portugal.

    Cara tinha 15 anos e já queria contrato profissional.

    • As referências citadas por ele – Lucas Piazon e Admilson – por si só explica o quão ruim era aquela geração. Parabéns a todos eles pelo brilho e sucesso obtido na carreira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*